Fotografia de uma médica utilizando o celular.

Como evitar o cancelamento de consulta? Descubra 12 dicas essenciais para manter uma agenda consistente

É possível evitar o cancelamento de consultas, implementando lembretes automáticos por SMS ou e-mail, oferecendo opções de reagendamento fácil e minimizando o tempo de espera. Confira todas as dicas e como colocá-las em prática!

Um dos grandes problemas enfrentados pelos profissionais de saúde é como evitar o cancelamento de consulta, principalmente quando ocorre de última hora. 

O cancelamento de consulta não só prejudica o fluxo de trabalho dos médicos, como também tem grande impacto no atendimento da clínica ou consultório. 

Isso porque, de um lado, o médico fica com o tempo livre quando deveria estar atendendo; do outro, a parte administrativa tem o esforço de preencher as lacunas de horários e realocar os pacientes. 

Mas como evitar esse problema? Continue a leitura para descobrir 12 dicas essenciais que ajudam a reduzir a taxa de cancelamento de consulta.

Quais motivos levam o paciente a cancelar a consulta em uma clínica ou consultório médico?

São vários os motivos que levam ao cancelamento de consulta em uma clínica ou consultório médico. E, algumas vezes, não é possível evitar esse problema. 

Assim, ela pode ser resultado de uma falta de organização por parte dos pacientes, que acabam priorizando outros compromissos em detrimento do atendimento médico.

Para muitas pessoas, a saúde não é uma prioridade, o que leva a escolhas que colocam compromissos de trabalho ou outros interesses acima da consulta médica.

Em certos casos, o cancelamento da consulta pode até mesmo ser uma estratégia por parte do paciente. Por exemplo, ele pode agendar um horário para garantir o atendimento, enquanto continua procurando por uma opção mais conveniente em outras clínicas. Quando encontra um horário mais adequado, cancela a primeira opção de consulta.

Por outro lado, também é preciso considerar situações em que o paciente possa ter imprevistos pessoais e realmente não consiga comparecer à clínica, levando ao inevitável cancelamento da consulta.

Leia também: Agendamento online de consultas médicas: como automatizar o atendimento

Prejuízos causados pela recorrência de cancelamento de consultas

Os prejuízos causados pela recorrência de cancelamento de consultas podem ser diversos e impactar diferentes aspectos. Aqui estão alguns prejuízos comuns:

  • Financeiro: o cancelamento frequente de consultas resulta no financeiro da clínica, pois o médico deixa de receber pelo atendimento agendado. Além disso, pode haver custos adicionais associados à administração dos cancelamentos e à tentativa de preencher os horários vagos.
  • Operacionais: o cancelamento de consultas pode interromper o fluxo de trabalho planejado, causando desorganização na agenda e afetando a produtividade da equipe médica e administrativa.
  • Atendimento ao paciente: os pacientes que cancelam consultas com frequência podem enfrentar atrasos em seu tratamento, prejudicando sua saúde e satisfação com a clínica.
  • Reputação: cancelamentos frequentes podem afetar a reputação da clínica ou consultório, gerando desconfiança por parte dos pacientes e dificultando a atração de novos clientes.
  • Gestão do tempo: a recorrência de cancelamentos exige tempo e esforço para reorganizar a agenda, encontrar novos horários para os pacientes e realizar o acompanhamento necessário.
  • Sobrecarga de trabalho: a equipe médica e administrativa pode enfrentar uma sobrecarga de trabalho devido à necessidade de lidar com os cancelamentos e reagendar as consultas.

Portanto, o cancelamento de consultas pode ter impactos significativos na clínica ou consultório, afetando tanto aspectos financeiros quanto operacionais, bem como a satisfação do paciente e a reputação da instituição. 

Leia também: Saiba como planejar o orçamento anual para sua clínica ou consultório médico e tenha total controle sobre o seu negócio

Como lidar com clientes que desejam cancelar?

Quando um cliente expressa o desejo de cancelar, é essencial abordar a situação com empatia e profissionalismo.

Comece mostrando compreensão pela sua situação e, em seguida, ofereça soluções alternativas, como reagendar a consulta ou explorar outros serviços que possam atender às suas necessidades. 

Destaque os benefícios da consulta ou serviço que estão cancelando e, se aplicável, explique a política de cancelamento de forma clara e amigável. Encoraje-os a reconsiderar o cancelamento, ressaltando o valor que o serviço pode trazer para eles. 

Ao longo da conversa, mantenha uma atitude profissional e cortês, demonstrando interesse genuíno em resolver suas necessidades.

Leia também: Relação médico-paciente: saiba a importância e dicas para melhorá-la

12 dicas de como evitar o cancelamento de consulta médica na clínica ou consultório

Agora que você já conhece os prejuízos do cancelamento de consulta, deve estar se perguntando como evitá-los e quais soluções podem ser adotadas para evitar que isso prejudique a clínica e mantenha um bom relacionamento com os pacientes. 

Veja a seguir 12 dicas para vencer esse desafio:

1. Mantenha uma comunicação efetiva com os pacientes

Uma comunicação clara e regular é essencial para evitar cancelamentos desnecessários. Mantenha os pacientes informados sobre políticas de cancelamento, disponibilidade de horários e quaisquer atualizações relevantes, como a confirmação de consultas. Isso cria um senso de transparência e confiança, reduzindo a probabilidade de cancelamentos de última hora.

2. Realize treinamentos com sua equipe de atendimento

Uma equipe bem treinada pode identificar sinais precoces de cancelamento e intervir de maneira eficaz. Treinamentos que enfatizam a importância do serviço ao cliente e habilidades de comunicação podem ajudar a reter os pacientes e resolver preocupações antes que levem ao cancelamento.

3. Adote uma política de cancelamento e reagendamento eficiente

Uma política clara e justa de cancelamento e reagendamento pode ajudar a evitar abusos e manter a eficiência da clínica. Certifique-se de comunicar essa política aos pacientes de forma clara e amigável, via e-mails, mensagens de texto e sinalizações na clínica, destacando os benefícios tanto para a clínica quanto para eles.

4. Seja flexível e tenha outras alternativas de atendimento 

Oferecer opções de atendimento flexíveis, como consultas online ou telemedicina integrada, pode ser uma solução conveniente para os pacientes e reduzir o número de cancelamentos de consulta devido a conflitos de horários ou inconveniências.

5. Use sistemas de confirmação automatizada e lembretes personalizados

Utilize tecnologia, como um software de gestão para clínicas ou consultórios, para enviar lembretes de consulta médica por mensagem de texto, e-mail ou telefone. Isso ajuda a garantir que os pacientes não se esqueçam das consultas agendadas e reduz o número de cancelamentos por esquecimento ou desorganização.

Testar Soluções para Gestão de Clínicas e Consultórios por 7 dias Grátis

6. Trabalhe uma abordagem empática e personalizada

Demonstrar empatia e compreensão em relação às necessidades individuais dos pacientes pode aumentar a fidelidade e reduzir os cancelamentos. Uma abordagem personalizada permite que os pacientes se sintam valorizados e cuidados, o que pode fortalecer o relacionamento com a clínica.

7. Meça o nível de satisfação dos seus pacientes

Realize pesquisas regulares de satisfação para entender as necessidades e expectativas dos pacientes. Isso não só ajuda a identificar áreas de melhoria, mas também permite que a clínica se adapte às demandas dos pacientes, reduzindo assim a probabilidade de cancelamentos.

8. Entenda o motivo por trás de cada cancelamento de consulta

Ao entender as razões por trás dos cancelamentos, a clínica pode implementar estratégias específicas para abordar preocupações recorrentes dos pacientes, seja melhorando os serviços, ajustando políticas ou oferecendo soluções alternativas.

9. Evite demoras e preze pela pontualidade

Respeitar o tempo dos pacientes demonstra profissionalismo e cuidado com a experiência do paciente. Minimizar as esperas e garantir a pontualidade das consultas pode reduzir a insatisfação e o desejo de cancelar futuras consultas.

10. Permita encaixes e atenda em horários alternativos 

Oferecer flexibilidade nos horários de consulta e permitir encaixes quando possível pode ajudar a acomodar as necessidades dos pacientes e reduzir a probabilidade de cancelamentos devido a conflitos de agenda.

11. Crie uma lista de espera

Ter uma lista de espera para os pacientes que desejam reagendar consultas pode ajudar a preencher vagas que foram canceladas, reduzindo assim o impacto financeiro dos cancelamentos e mantendo a agenda médica otimizada.

12. Incentive o pagamento antecipado 

Oferecer descontos ou benefícios para pacientes que pagam antecipadamente por consultas pode incentivar o comprometimento e reduzir o número de cancelamentos de última hora. O pagamento online também ajuda a garantir um fluxo de receita mais estável para a clínica.

Leia também: Tecnologia na área da saúde: principais tendências para 2024

Como o Conclínica pode te auxiliar para evitar o cancelamento de consulta? 

O Conclínica é um software para gestão de clínicas, que não apenas oferece um serviço eficiente de agendamento de consultas, mas também disponibiliza atendimento virtual e uma variedade de outras ferramentas essenciais. 

Com recursos personalizáveis e intuitivos, o Conclínica ajuda clínicas e consultórios a fidelizar clientes ao oferecer conveniência e acesso fácil aos cuidados de saúde, enquanto reduz o número de cancelamentos de consultas. Simplifique suas operações e melhore a experiência do paciente. 

Entre em contato conosco hoje mesmo para uma demonstração gratuita!


Fotografia de um médico que conversa com uma paciente no consultório médico

Como preencher a história patológica pregressa na anamnese? Entenda o passo a passo e confira nossas dicas!

A história patológica pregressa é uma parte fundamental da anamnese, focada na coleta de dados sobre as condições de saúde anteriores do paciente. Essas informações permitem ao médico compreender melhor o estado atual de saúde do paciente e identificar possíveis fatores de risco. Saiba mais!

A história patológica pregressa é uma das partes fundamentais da anamnese. Isso ocorre porque é um conjunto de dados que contém informações essenciais para diagnósticos mais precisos e para a saúde do paciente. 

Alguns exemplos de informações coletadas no consultório incluem a ordem cronológica de doenças graves ao longo da vida, internações por problemas de saúde, acidentes, gestações, vacinas e imunizações, traumatismos leves, procedimentos cirúrgicos etc. 

Dessa forma, é importante entender o que é a história patológica pregressa e como preenchê-la de forma adequada para a construção de um bom roteiro. 

O que é Anamnese?

A anamnese é uma entrevista realizada pelo médico para identificar os sintomas e chegar a um diagnóstico eficaz do paciente. 

Ela permite que o profissional de saúde descubra o histórico médico e familiar do paciente, além da identificação da queixa principal da consulta. Tem como finalidade identificar, de forma precisa, o desenvolvimento da doença e dos sintomas atuais que o trouxeram ao consultório. 

Além disso, é uma etapa fundamental para construir a relação entre o médico e o paciente, pois o médico deve realizar diversas perguntas pessoais para construir o histórico do paciente. Dessa forma, o atendimento humanizado clínico já começa através da anamnese. 

Assim, a ficha de anamnese inclui algumas etapas indispensáveis, como a identificação do paciente (nome, idade, peso, altura, etc.), queixa principal, que é o momento para entender por que o paciente está buscando ajuda, e o histórico de doença atual (HDA), com a cronologia dos sintomas, localização corporal, circunstâncias associadas, sensações, frequência etc.

A anamnese é a base para um diagnóstico preciso e eficaz, permitindo que o paciente inicie o tratamento de forma ágil e eficiente.

Testar Soluções para Gestão de Clínicas e Consultórios por 7 dias Grátis

O que é a história patológica pregressa?

A história patológica pregressa (HPP), uma das etapas da anamnese, é um conjunto de informações e dados sobre o histórico de saúde do paciente e é, sem dúvida, uma das partes mais importantes da anamnese. 

Como mencionado anteriormente, a coleta de dados deve ser feita de forma completa, com informações relevantes sobre o histórico de saúde do paciente. Isso inclui doenças ao longo da vida, entorses e fraturas, gestações, cirurgias realizadas e internações, exames, medicamentos, imunizações, hábitos e uso de substâncias pelo paciente. 

Essa etapa é de suma importância para chegar a um diagnóstico correto, visto que o histórico de saúde do paciente é fundamental para elaborar uma boa anamnese.

Leia também: Como se tornar um médico virtual e aumentar sua área de atendimento

O que incluir na história patológica pregressa?

Na história patológica pregressa (HPP), o profissional de saúde deve coletar informações detalhadas sobre o histórico médico do paciente. Isso geralmente inclui:

1. Condições médicas prévias

Nesta pergunta, são registradas quaisquer condições de saúde que o paciente tenha enfrentado anteriormente, abrangendo desde problemas crônicos, como diabetes ou hipertensão, até condições agudas, como infecções graves.

2. Cirurgias anteriores

Este tópico aborda os detalhes de qualquer procedimento cirúrgico que o paciente possa ter passado, incluindo o tipo de cirurgia, data da operação, local onde foi realizada e quaisquer complicações que tenham ocorrido.

3. Internações hospitalares

Aqui são descritas as hospitalizações prévias do paciente, detalhando os motivos da internação, a duração da estadia no hospital e os tratamentos recebidos durante o período de internação.

4. Alergias

Nesta parte são registradas todas as alergias conhecidas do paciente, seja a medicamentos, alimentos, substâncias ambientais ou materiais médicos, incluindo a descrição das reações alérgicas experimentadas.

5. Medicamentos em uso

Este item lista todos os medicamentos que o paciente está atualmente tomando, incluindo prescrições médicas, medicamentos de venda livre e suplementos, juntamente com suas dosagens e frequências de uso.

6. Tratamentos anteriores

Aqui são registrados quaisquer tratamentos médicos ou terapias que o paciente possa ter recebido anteriormente, como fisioterapia, quimioterapia, ou outras intervenções médicas significativas.

7. Histórico familiar

Este ponto documenta informações sobre o histórico de saúde de familiares próximos do paciente, incluindo pais, irmãos e filhos, com ênfase em condições médicas hereditárias ou genéticas.

8. Estilo de vida

Aqui são abordados os hábitos e comportamentos do paciente que podem influenciar sua saúde, como dieta, atividade física, tabagismo, consumo de álcool, padrões de sono e outros aspectos relevantes.

9. Exames realizados

Esta parte registra todos os exames médicos que o paciente tenha feito anteriormente, como exames de sangue, radiografias, ressonâncias magnéticas, entre outros, juntamente com os resultados relevantes.

10. Traumas 

Por fim, são documentados quaisquer traumas físicos significativos que o paciente possa ter sofrido, como acidentes de carro, quedas, lesões esportivas ou outros eventos traumáticos relevantes para sua saúde atual.

Leia mais: Entenda o que é o Exame de Fator Antinuclear (FAN) e o que esse teste pode diagnosticar

Estratégias para o preenchimento eficiente da HPP na anamnese

O médico deve conduzir a entrevista para coletar as informações de maneira sistemática e abrangente, buscando os dados sobre todas as condições médicas mencionadas acima.

Dessa forma, existem algumas estratégias que podem ser utilizadas, como:

  • Perguntas abertas: faça questionamentos que encorajem o paciente a compartilhar livremente sua experiência médica e histórico de saúde.
  • Escuta ativa: aplique técnicas de escuta ativa, como formulando perguntas de seguimento e oferecendo retorno sobre as informações fornecidas pelo paciente.
  • Registros médicos prévios: valide as informações relatadas pelo paciente por meio de registros médicos prévios, sempre que estes estiverem disponíveis.
  • Informações adicionais: consulte familiares próximos ou cuidadores para obter dados, especialmente se o paciente tiver dificuldades em se recordar ou em fornecer detalhes precisos.
  • Condições médicas: explore as circunstâncias envolvidas no surgimento de condições médicas anteriores, incluindo a natureza dos sintomas, duração e intensidade.
  • Histórico familiar: pergunte sobre o histórico familiar de doenças, já que isso pode oferecer dados relevantes sobre a predisposição genética do paciente a determinadas condições médicas.
  • Visão holística: ao registrar a História Patológica Pregressa, é essencial considerar a narrativa pessoal do paciente, incluindo eventos de vida, estresse e fatores emocionais, para obter informações valiosas.

Durante a anamnese, é essencial registrar todos os detalhes relevantes e evitar omissões. Cada informação coletada durante a entrevista, desde condições médicas prévias até tratamentos anteriores, deve ser documentada para garantir um registro do histórico médico do paciente.

Isso ajuda a evitar lacunas na compreensão da saúde do paciente e facilita a tomada de decisões clínicas fundamentadas. 

Além disso, é importante organizar as informações de forma clara. Isso permite que os profissionais de saúde tenham acesso rápido e fácil aos dados durante a análise da anamnese, facilitando a identificação de padrões, tendências ou áreas de preocupação. 

Leia também: Como funciona o sigilo médico? Entenda sobre limites e regras

Dicas para preparar o paciente para fornecer informações precisas

Para preparar o paciente para fornecer informações precisas durante a anamnese, é importante criar um ambiente acolhedor e confidencial para a experiência do paciente, onde o paciente se sinta à vontade para compartilhar. 

Demonstrar empatia e praticar a escuta ativa são elementos essenciais para estabelecer uma conexão significativa, incentivando o paciente a ser honesto e transparente sobre seu histórico médico. 

É importante explicar a importância da anamnese e reservar tempo suficiente para a entrevista, garantindo assim uma coleta abrangente de informações.

Ao fazer perguntas direcionadas e específicas, utilizar recursos visuais quando necessário e respeitar as crenças e valores do paciente, é possível criar um ambiente propício para uma troca eficaz de informações durante a anamnese.

Estar atento aos sinais não-verbais também é fundamental para compreender o estado emocional do paciente e garantir sua participação ativa no processo de coleta de dados.

Leia também: Receita de remédio: Leis e regras de como você deve prescrever

Por que utilizar o software médico Conclínica para preenchimento da anamnese?

O software para gestão de clínicas Conclínica oferece uma solução eficaz e otimizada para a coleta da anamnese, simplificando o processo para os profissionais de saúde. 

Com a anamnese digital, os dados são registrados de forma legível e sem a necessidade de papel, eliminando preocupações com espaço e preservando o meio ambiente.

Além de facilitar a organização dos documentos, o Conclínica prioriza a proteção da privacidade dos pacientes, garantindo a confidencialidade de suas informações. 

Com isso, o uso do software não apenas simplifica o processo de coleta e armazenamento de dados médicos, mas também fortalece a segurança no gerenciamento das informações clínicas.

Entre em contato conosco hoje mesmo para uma demonstração gratuita!


profissional da saúde retirando sangue de uma paciente para a realização do exame

O Exame de Fator Antinuclear deu positivo? Saiba o que é o FAN e o que esse teste pode diagnosticar

Entenda o significado do exame FAN, sua importância no diagnóstico e como funciona esse procedimento clínico essencial para doenças autoimunes.

Você já se deparou com um pedido de exame e ficou sem entender o significado de algumas siglas? Um exemplo disso é o exame FAN. 

O Fator Antinuclear (FAN) é uma análise clínica desenvolvida para identificar anticorpos associados a doenças autoimunes no sangue. Este exame é essencial para ajudar os médicos a diagnosticar e monitorar condições como lúpus eritematoso sistêmico e outras doenças.

Os resultados do FAN, combinados com o relatório do paciente e os sintomas, fornecem informações cruciais para minimizar as consequências patológicas e estabelecer um plano de tratamento eficaz.

Quer entender melhor o que é o exame e como esse procedimento funciona? Então, acompanhe o nosso artigo e fique por dentro de todos os detalhes sobre o assunto. Boa leitura!

O que é o exame FAN (Fator Antinuclear)?

O exame FAN, que se refere à sigla Fator Antinuclear, consiste em um grupo de autoanticorpos – ou seja, anticorpos – que atuam contra as células do próprio organismo do paciente.

Existem diversos tipos de FAN, cada um direcionado a uma estrutura celular específica, e estão relacionados a diferentes tipos de doenças autoimunes. Quando solicitado pelos médicos sob suspeita de uma patologia autoimune, é realizado a partir da coleta de sangue. Assim, os anticorpos são reconhecidos por meio da análise clínica. 

O procedimento pode ser feito em adultos tanto quanto em crianças e bebês, contudo, nesse caso, o exame é realizado por meio de uma picada na sola do pé. 

Além disso, não há nenhum preparo específico e não é necessário estar em jejum para a sua realização, porém, é importante observar que o exame só deve ser realizado mediante recomendação médica.

Leia também: Entenda as vantagens de adotar um sistema de resultado de exames online

Para que serve o exame FAN?

O exame FAN mostra se existem anticorpos no sangue do paciente e a presença de doenças autoimunes.  

Esses anticorpos são específicos e podem atacar as próprias células do corpo, o que é característico de condições autoimunes. Portanto, o procedimento fornece informações essenciais para os médicos diagnosticarem e monitorarem uma variedade de doenças.

Contudo, o diagnóstico nunca deve se restringir apenas ao resultado do exame de Fator Antinuclear. São necessárias outras análises, como a pesquisa de anticorpos autoimunes específicos, além da avaliação médica do paciente.

Quando solicitar o exame FAN?

O exame FAN é prescrito pelo médico, normalmente um reumatologista, quando há suspeita de doença autoimune, que ocorre quando os anticorpos atacam o próprio organismo, resultando de desordens do sistema imunológico. 

As condições autoimunes podem afetar diferentes órgãos e estruturas, como o sistema motor, pele, rins, sistema nervoso, entre outros. Diferentes especialidades médicas podem estar envolvidas na identificação da doença, sendo o imunologista acionado após o diagnóstico. 

Sintomas persistentes como inchaços, manchas vermelhas, dores nas articulações, febre leve e fadiga excessiva são os indicativos mais comuns. Após a avaliação clínica, o exame FAN pode ser solicitado, e se positivo, outros exames de anticorpos são realizados para determinar a doença específica do paciente.

Como funciona o teste de Fator Antinuclear?

Como dito anteriormente, após receber a prescrição médica para o exame FAN, o paciente deve realizar o procedimento de coleta de uma pequena amostra de sangue, que será enviada a um laboratório para análise. Agora, vamos entender melhor como o exame funciona:

Quando o exame FAN apresenta resultado positivo, reagente ou alterado?

No exame FAN, mais de 20 padrões de imunofluorescência podem ser identificados, indicando como as células Hep-2 são atacadas pelos anticorpos. A interpretação desses padrões, como nuclear pontilhado grosso, nuclear pontilhado fino, entre outros, requer cautela, pois um mesmo resultado pode sugerir diferentes doenças ou até mesmo não indicar um quadro patológico. 

Quando o exame apresenta resultado positivo, reagente ou alterado, isso indica a detecção de anticorpos contra estruturas do próprio organismo. Contudo, há várias explicações possíveis para esses resultados. 

Pode ocorrer em indivíduos saudáveis, ser indicativo de uma doença reumática autoimune, representar um sinal precoce da doença (podendo surgir até 10 anos antes da doença), indicar uma quebra transitória da tolerância imunológica (devido a infecções, uso de medicamentos ou presença de neoplasias) ou ainda representar um traço autoimune familiar. 

Portanto, esse resultado sugere a possibilidade de uma doença autoimune, na qual o sistema imunológico ataca células e tecidos saudáveis do corpo. 

É importante ressaltar que um resultado positivo do exame FAN não é diagnóstico por si só, sendo necessária uma avaliação médica completa, incluindo histórico clínico e exame físico, para estabelecer um diagnóstico preciso.

Principais doenças autoimunes relacionadas a resultados positivos no exame FAN

As principais doenças autoimunes associadas a resultados positivos no exame incluem:

  • Lúpus eritematoso sistêmico (LES): o LES é uma doença autoimune que afeta diversos órgãos e sistemas do corpo.
  • Hepatite autoimune: é caracterizada pela inflamação do fígado devido à ação do sistema imunológico.
  • Tireoidite de Hashimoto: a tireoidite de Hashimoto causa hipotireoidismo devido à inflamação da glândula tireoide.
  • Síndrome de Sjögren: provoca boca e olhos secos devido à disfunção das glândulas salivares e lacrimais.
  • Esclerose sistêmica (esclerodermia): causa o endurecimento da pele e pode afetar órgãos internos.
  • Doença mista do tecido conjuntivo: a doença mista do tecido conjuntivo combina características de várias doenças autoimunes.
  • Artrite reumatoide: uma condição autoimune que causa inflamação nas articulações.
  • Dermatomiosite: uma doença que afeta os músculos e a pele, levando a fraqueza muscular e erupções cutâneas.
  • Esclerose múltipla: afeta o sistema nervoso central, resultando em danos aos nervos e uma variedade de sintomas neurológicos.
  • Vitiligo: é uma condição em que a pele perde sua pigmentação, resultando em manchas brancas ou claras.
  • Psoríase: caracterizada por manchas vermelhas, escamosas e pruriginosas na pele.

Essas são apenas algumas das doenças autoimunes que podem ser detectadas através de resultados positivos no exame FAN. Cada uma delas apresenta características específicas e pode afetar diferentes órgãos e sistemas do corpo humano.

Testar Soluções para Gestão de Clínicas e Consultórios por 7 dias Grátis

Fatores que podem interferir no resultado do exame

Alguns fatores que podem interferir nos resultados do exame incluem o uso de certos medicamentos que afetam o sistema imunológico, como anti-hipertensivos e anticonvulsivantes. Infecções virais ou bacterianas ativas no momento do teste podem desencadear respostas imunológicas temporárias. 

A idade e o sexo do paciente também podem influenciar, pois o FAN pode ser positivo em uma pequena porcentagem de pessoas saudáveis, especialmente mulheres e à medida que envelhecem. É o que afirma a Sociedade Portuguesa de Medicina Interna, dizendo que é mais comum em mulheres, afetando aproximadamente três vezes mais mulheres do que homens.

Como também, condições de saúde como câncer, doenças hepáticas e outras doenças autoimunes podem impactar nos resultados. Além disso, as técnicas de laboratório utilizadas para realizar o teste podem variar em sua sensibilidade e especificidade.

Leia também: Medicina preventiva: como implementar em clínicas e consultórios médicos?

Importância do acompanhamento médico para interpretar o resultado do exame FAN

O acompanhamento médico é fundamental para interpretar de forma correta o resultado do exame. Isso porque, o médico é capacitado para analisar os resultados do histórico clínico do paciente, sintomas presentes e outros exames complementares.

Logo, essa avaliação é essencial para determinar se o resultado positivo está relacionado a uma doença autoimune específica ou se pode ter outras explicações, visto que aproximadamente 5% da população saudável pode apresentar esse resultado sem apresentar sintomas de doença autoimune.

Assim, como o exame não identifica especificamente o tipo de doença autoimune que uma pessoa possa ter, o médico pode solicitar testes adicionais para investigar a presença de autoanticorpos específicos. Por exemplo, se houver suspeita de lúpus, o médico pode solicitar o teste para o anticorpo anti-DNA nativo dupla hélice. 

Portanto, o acompanhamento médico é essencial para garantir uma interpretação correta do resultado do exame FAN. Além de proporcionar o melhor cuidado e tratamento ao paciente, o médico pode orientar sobre os próximos passos, incluindo a necessidade de realizar exames adicionais ou iniciar tratamento, caso seja indicado.

Leia também: Lembrete de consulta médica: saiba como facilitar processos com pacientes

Administre suas consultas, exames e dados dos pacientes com o Conclínica 

Entre em contato conosco e descubra como a Conclínica, um software de gestão de clínicas, pode aprimorar a administração de consultas e o acompanhamento dos resultados de exames, facilitando o gerenciamento de clínicas e consultórios. 

Com recursos avançados para gestão de resultados de exames e agendamento de consultas, nossa plataforma simplifica e otimiza o fluxo de trabalho, permitindo uma administração mais eficiente. Conheça nossos planos e faça um teste grátis!


médico calculando o orçamento anual para sua clínica

Saiba como planejar o orçamento anual para sua clínica ou consultório médico e tenha total controle sobre o seu negócio

O planejamento orçamentário anual para clínicas e consultórios médicos pode impulsionar seu sucesso e controle financeiro. Confira dicas de como elaborar e alcançar o máximo de resultados!

O planejamento do orçamento anual em clínicas ou consultórios médicos é essencial para o sucesso e controle de qualquer negócio, uma vez que pode influenciar diretamente o futuro da sua empresa.

Isso ocorre porque, ao desenvolver um orçamento anual bem elaborado, é possível garantir o controle financeiro e tomar decisões estratégicas que impulsionam o crescimento do seu negócio.

Neste artigo, vamos explorar a importância do planejamento financeiro anual, além de fornecer dicas práticas para o planejamento e a estruturação do seu orçamento. Boa leitura!

Importância do planejamento financeiro anual para clínicas e consultórios.

O sucesso de uma clínica ou consultório médico vai além do atendimento aos pacientes. Uma gestão financeira eficiente, por exemplo, também é fundamental para garantir a sua estabilidade e crescimento. Sendo assim, o preparo de um bom orçamento anual é muito importante. 

Mas afinal, o que é um orçamento anual? 

Trata-se de um documento que organiza todos os gastos e receitas ao longo de um ano. Em outras palavras, é essencial para sustentar decisões assertivas e preparar a empresa para o próximo ano, fornecendo uma base sólida e dados financeiros concretos. 

São inúmeros os benefícios de contar com um planejamento eficaz do orçamento anual para clínicas. Veja alguns a seguir: 

  • Estabilidade financeira: um orçamento bem construído identifica gastos e áreas de melhoria, mantendo uma base financeira estável e minimizando crises.
  • Decisões estratégicas: com informações precisas, é possível tomar decisões estratégicas e investir em equipamentos, expandir serviços ou contratar mais profissionais. 
  • Controle de custos: um orçamento anual em clínicas permite otimizar custos, mantendo a qualidade dos serviços.
  • Prevenção de surpresas: é possível reservar para emergências, como reparos ou despesas médicas inesperadas, garantindo segurança financeira.
  • Transparência e responsabilidade: o orçamento compartilhado promove transparência e responsabilidade na equipe, melhorando o entendimento das metas financeiras.
  • Vantagens na negociação: com um bom orçamento, a clínica pode negociar contratos com fornecedores, gerando economias em suprimentos, aparelhos e serviços essenciais.

Leia também: Como se tornar um médico virtual e aumentar sua área de atendimento

Como planejar o orçamento anual para clínicas e consultórios médicos?

Fotografia de um médico com celular na mão.Agora que você já entendeu a importância desse procedimento, vamos entender como realizar um planejamento eficaz. Uma sugestão inicial é realizar o orçamento da clínica no final do ano anterior, aproveitando os dados disponíveis para estabelecer metas para o ano seguinte.

Sendo assim, o ideal é que o orçamento já esteja pronto em janeiro, permitindo que a clínica comece o ano com números bem definidos e um direcionamento claro. 

A seguir, confira 5 etapas fundamentais que irão auxiliar na elaboração do seu orçamento anual:

1. Levante de custos fixos e variáveis

Para elaborar um orçamento anual para sua clínica, é essencial identificar e listar todas as fontes de receitas e despesas. No que diz respeito às receitas, é importante considerar consultas, exames e procedimentos médicos, entre outros serviços oferecidos pela clínica. Em relação às despesas, é necessário categorizá-las em fixas e variáveis.  

As despesas fixas podem incluir aluguel do espaço, tributos, salários dos funcionários, contas de água, luz, energia e internet, e outros gastos recorrentes como a manutenção de equipamentos.

Já as despesas variáveis podem envolver custos com materiais de limpeza e escritório, materiais de consumo (como luvas), marketing e publicidade.

Portanto, ao mapear todas essas receitas e despesas, você terá uma visão clara das finanças da sua clínica, permitindo um planejamento financeiro mais eficaz e proporcionando tranquilidade para lidar com eventuais imprevistos ao longo do ano.

Leia também: Como o agendamento online pode ajudar a sua clínica

2. Projeção de receitas

É fundamental realizar uma avaliação detalhada da situação financeira da sua clínica. Comece analisando os registros comerciais do ano atual e revise cuidadosamente todos os registros para compreender as receitas, despesas e lucros da clínica ao longo do ano. 

Identifique áreas de destaque e aquelas que precisam de melhorias no desempenho financeiro. Assim, será possível direcionar os esforços de forma mais objetiva, melhorando os resultados e garantindo uma gestão financeira eficiente no próximo ano.

Para realizar a projeção de receitas, é essencial considerar várias fontes de renda da clínica, como consultas médicas, exames, procedimentos especializados, serviços adicionais (como vacinas), entre outros. 

Portanto, a previsão de atendimentos e procedimentos ao longo do ano pode ser feita com base em dados históricos de atendimento, demanda esperada e possíveis variações no número de pacientes. É importante também considerar eventos especiais, como campanhas de saúde pública.

3. Definição de metas financeiras

É importante que o orçamento esteja alinhado com a estratégia e metas do negócio. Portanto, um aspecto fundamental do planejamento orçamentário anual é estabelecer metas e objetivos realistas que considerem o financeiro da clínica e os fatores internos e externos que possam influenciar o desempenho.

Estabeleça metas financeiras alinhadas com o crescimento previsto da clínica e as oportunidades de mercado. Isso pode incluir: 

  • Aumento da receita: esse objetivo é alcançável por meio de metas, como expandir serviços, atrair novos pacientes, ajustar valores de consultas e procedimentos, etc.
  • Aprimoramento da eficiência operacional: isso inclui otimizar processos internos, reduzir desperdícios e aumentar a produtividade da equipe.
  • Expansão de serviços: uma alternativa é ampliar os serviços, como novas especialidades, implementar exames ou procedimentos, ou até mesmo abrir filiais.
  • Capacitação da equipe médica: investir na capacitação é fundamental para garantir a excelência no atendimento e aprimorar constantemente os serviços. 
  • Implementação de tecnologias digitais: com essas implementações, é possível otimizar processos, melhorar a eficiência operacional e aprimorar a experiência do paciente.

Certifique-se de que essas metas sejam alcançáveis, pois é exatamente isso que as tornam realistas.

Testar Soluções para Gestão de Clínicas e Consultórios por 7 dias Grátis

4. Controle de fluxo de caixa

Entender e monitorar o fluxo de caixa é essencial para aprimorar o desempenho financeiro da sua clínica. Isso facilita a tomada de decisões de compra, evitando gastos extras e promovendo economias significativas.

Para isso, é fundamental registrar todas as receitas e despesas, antecipar pagamentos e acompanhar prazos de recebimento com detalhes, incluindo valores recebidos à vista, parcelamentos, contas pagas, previsões de gastos e entradas de valores.

Assim, o fluxo de caixa auxilia no planejamento de investimentos, logística e negociação de prazos com fornecedores.

A utilização de um sistema de gestão simplifica o controle financeiro da sua clínica, oferecendo dados atualizados, além de ser essencial para outras áreas da clínica, como agendamento de pacientes, atendimento e faturamento. 

Um exemplo é o Conclínica, um software para gerir dados, receitas e agendamentos dos pacientes. Com nossa plataforma intuitiva, você simplificará a organização da sua clínica, incluindo o envio de prescrições digitais.

5. Analise os resultados e revise o orçamento

A análise dos resultados e a revisão do orçamento são etapas fundamentais para garantir a eficácia da gestão financeira da clínica. Durante essa fase, é essencial avaliar o desempenho financeiro em relação às metas estabelecidas e às projeções iniciais do orçamento.

Isso envolve revisar detalhadamente as receitas e despesas, identificando possíveis desvios e áreas de melhoria. Se as metas não foram atingidas, é importante investigar as causas e tomar medidas apropriadas.

Além disso, durante a revisão do orçamento, é recomendável atualizar as projeções financeiras com base nas novas percepções e nas mudanças no ambiente empresarial. Isso pode incluir ajustes nas metas, realocação de recursos e revisão das estratégias financeiras.

Leia também: Receita de remédio: Leis e regras de como você deve prescrever

Avaliação periódica do desempenho financeiro

Avaliar periodicamente o desempenho financeiro é essencial para o sucesso de qualquer empreendimento, e as clínicas médicas não são exceções. Durante essas avaliações, é importante examinar vários aspectos, como as fontes de receita da clínica, bem como os custos e despesas associadas. 

Além disso, é necessário acompanhar de perto o fluxo de caixa da clínica, garantindo que haja uma gestão eficaz das entradas e saídas de dinheiro para evitar problemas e cumprir compromissos financeiros.

Calcular e analisar indicadores como margem de lucro, liquidez e rentabilidade oferece uma visão da eficiência financeira. Como também, comparar os resultados financeiros obtidos com as metas estabelecidas e o orçamento planejado é outra etapa importante.

Portanto, a avaliação periódica do desempenho financeiro ajuda a antecipar desafios e oportunidades e a tomar medidas para garantir o financeiro da clínica a longo prazo.

Estratégias de economia e investimento

Estratégias de economia e investimento são essenciais para a saúde financeira de uma clínica. 

Isso inclui negociar com fornecedores por melhores condições, controlar estoques para evitar desperdícios, revisar contratos e despesas fixas, investir em tecnologia para aumentar eficiência, promover educação financeira na equipe, diversificar investimentos, e monitorar e ajustar as estratégias regularmente. 

Essas ações visam otimizar recursos, reduzir custos e criar uma base sólida para o crescimento sustentável da clínica.

Agora que você conhece a importância do orçamento anual para clínicas e consultórios médicos, está na hora de colocar essas dicas em prática. Comece hoje mesmo a planejar o seu orçamento e garanta o sucesso do seu negócio.

Agende uma demonstração gratuita do nosso software Conclínica e dê o primeiro passo para simplificar a gestão do seu negócio médico!


pessoa segurando celular com a tela de log in do instagram

Como fazer uma live no Instagram: Dicas e o que diz o CFM

Para fazer uma live médica no Instagram é necessário compreender as ferramentas do aplicativo, conhecer dicas de conteúdo para sua transmissão e seguir todas as exigências do CFM. Saiba mais!

Você, médico, já pensou em fazer uma live no Instagram? A transmissão ao vivo se tornou uma das formas mais populares de interação nas redes sociais, permitindo que você compartilhe momentos instantâneos com seus seguidores. Por isso, neste artigo, vamos te mostrar como fazer uma live no Instagram de forma simples e eficiente.

Além disso, discutiremos as diretrizes estabelecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) para profissionais da saúde que desejam utilizar essa ferramenta.

Então, prepare-se para descobrir todas as dicas e orientações necessárias para realizar sua primeira transmissão ao vivo!

Por que utilizar o Instagram Live na Área Médica?

Segundo uma pesquisa conduzida pela Livestream e a New York Magazine, aproximadamente 80% das pessoas têm preferência por assistir transmissões ao vivo em comparação com a leitura de conteúdos em blogs.

É importante observar que o Instagram não é a única plataforma de mídia social que facilita transmissões ao vivo. No entanto, destaca-se como uma das preferidas devido à rapidez e simplicidade que oferece aos usuários na realização de lives.

Promover e engajar pessoas com a sua marca

Por isso, a utilização das lives no Instagram dentro da área médica representa uma estratégia impactante para envolver pacientes e promover clínicas de forma eficaz. O Instagram, uma plataforma amplamente popular, proporciona interação em tempo real, especialmente relevante para o público mais jovem.

Com o Instagram Live, médicos e equipes médicas têm a oportunidade de humanizar a clínica, estabelecendo conexões emocionais e construindo confiança com os pacientes. 

Educar a sua audiência

A transmissão ao vivo permite esclarecer dúvidas, abordar mitos relacionados à saúde, e oferecer informações educativas sobre condições médicas, tratamentos e prevenção.

A demonstração ao vivo de procedimentos médicos não apenas educa os pacientes, mas também contribui para a redução do medo e da ansiedade associados a esses procedimentos. 

Divulgar suas especialidades

Além disso, a plataforma serve como meio para atualizações regulares, mantendo os pacientes informados sobre novos serviços, profissionais e novas tecnologias da área da saúde que sua clínica adota.

Para gestores de clínicas médicas, o Instagram Live oferece vantagens específicas, se destacando como uma ferramenta bastante eficaz para o marketing de conteúdo

Obter o feedback imediato durante as transmissões ao vivo possibilita ajustes rápidos na abordagem da clínica. Já a promoção de horários de atendimento, eventos de saúde e parcerias com outros profissionais amplia a visibilidade da instituição de saúde.

Quais temas posso abordar?

Como fazer uma live no Instagram sendo médico

Em uma transmissão ao vivo, um médico pode abordar temas variados, oferecendo informações e esclarecimentos relevantes para o público. Por exemplo: 

  • Discutir estratégias de prevenção para doenças comuns, compartilhar dicas sobre um estilo de vida saudável, ou abordar questões específicas, como condições médicas, saúde mental e cuidados com a pele;
  • Responder perguntas dos seguidores em tempo real, proporcionando esclarecimentos sobre uma gama diversificada de temas. 
  • Discutir tópicos relacionados à nutrição, gestão de medicamentos, saúde feminina, ou mesmo fornecer atualizações importantes sobre saúde pública, como informações sobre vacinas e surtos de doenças;
  • Orientar sobre exames de rotina, check-ups e a importância da prevenção precoce. Além disso, temas específicos, como cuidados infantis, podem ser abordados, oferecendo dicas valiosas para os pais sobre vacinação, nutrição e questões pediátricas.

A chave está em adaptar os temas à especialidade médica e garantir que o conteúdo seja preciso, informativo e acessível ao público-alvo. Essa abordagem diversificada pode tornar as lives médicas mais interessantes e relevantes para os espectadores.

7 dicas de como fazer uma live no Instagram

Veja a seguir as 7 dicas principais para quem deseja fazer uma transmissão ao vivo pelo Instagram.

1. Entenda como abrir a live no aplicativo

Ao iniciar a realização de uma transmissão ao vivo no Instagram, o primeiro passo é abrir o aplicativo e garantir que você esteja conectado à conta desejada. Em seguida, na tela inicial, localize o ícone da câmera no canto superior esquerdo e toque nele para acessar a interface da câmera.

Dentro da câmera, você encontrará a opção "Ao Vivo" na parte inferior da tela. Esse ícone, representado por um pequeno vídeo com a palavra "Ao Vivo" abaixo, deve ser selecionado para começar a configurar sua transmissão.

2. Configure suas preferências

Antes de iniciar a live, é importante ajustar as configurações conforme suas preferências. Você pode definir quem pode assistir - público, amigos ou privado - e também decidir se deseja permitir comentários durante a transmissão.

4. Personalize a descrição

Antes de iniciar a transmissão, escreva uma descrição envolvente para atrair espectadores e fornecer uma prévia do conteúdo que será compartilhado. Uma vez feito isso, toque no botão "Ao Vivo" para iniciar a transmissão. Aguarde alguns momentos enquanto o Instagram estabelece a conexão com sua audiência.

5. Interaja com os comentários 

Durante a live, os espectadores têm a oportunidade de interagir, fazendo comentários. É crucial interagir com eles, respondendo perguntas, agradecendo pela participação e reconhecendo seus comentários.

Testar Soluções para Gestão de Clínicas e Consultórios por 7 dias Grátis

6. Crie um roteiro para sua live

Além disso, certifique-se de ter um plano claro para o conteúdo que será compartilhado durante a live, seja uma apresentação, tutorial ou discussão. Mantenha uma boa conexão com a internet, posicione-se em um local bem iluminado para uma melhor visibilidade, e assegure-se de que o áudio seja nítido, optando por um ambiente silencioso e, se possível, um microfone externo.

Hora do show! Mostre autenticidade durante a transmissão para criar uma conexão genuína com os espectadores e incentive a interação, chamando-os à ação. Ter um planejamento prévio, como um roteiro ou tópicos a serem abordados, ajuda a manter a transmissão organizada e focada.

7. Divulgue sua transmissão

Por fim, promova a live com antecedência para que seus seguidores estejam cientes e possam participar. Lembre-se de que a chave para uma transmissão ao vivo bem-sucedida no Instagram é a interação constante com a audiência.

Orientações Éticas do CFM para Lives Médicas

médico pesquisando como fazer uma live no instagramAs instruções éticas do Conselho Federal de Medicina (CFM) para transmissões ao vivo de médicos no Instagram são essenciais para manter a integridade profissional e garantir a qualidade das informações compartilhadas. 

Essas diretrizes abrangem desde requisitos técnicos até procedimentos durante a transmissão, além de regras específicas estipuladas pelo CFM.

No que diz respeito aos requisitos técnicos, embora as lives se destaquem pela sua simplicidade, é imperativo seguir as regras estabelecidas pelo CFM. 

Práticas como linguagem sensacionalista, autopromoção, divulgação de informações sem respaldo científico e realização de lives com caráter de consulta médica são estritamente proibidas.

Experimente o Conclínica e ganhe tempo para fazer suas lives 

Agora que você já entendeu como fazer uma live no Instagram e seus benefícios, é bem provável que precise se organizar para ganhar tempo para as transmissões e atender os novos pacientes que virão.

Para isso, você pode contar com o Conclínica, um software de gestão de clínicas projetado para poupar seu tempo e esforço, permitindo que você se concentre no que realmente precisa!

A gestão completa e prática do Conclínica transforma a rotina da sua clínica, proporcionando uma gestão eficiente e otimizada em todas as áreas. Conheça nossos planos e faça um teste grátis!


médico segurando comprimidos medicamentosos em suas mãos

Receita de remédio: Leis e regras de como você deve prescrever

Ao elaborar uma receita de remédio, médicos e demais profissionais da saúde precisam estar em conformidade com as leis e normas que regem a atividade, garantindo a segurança do paciente e o cumprimento da ética médica. Saiba mais!

A prescrição receita de remédio é uma prática médica essencial, mas também é uma área cercada por leis e regulamentos rigorosos. É fundamental para os profissionais da saúde compreenderem e seguirem essas diretrizes para garantir a segurança e o bem-estar dos pacientes. 

No artigo a seguir, vamos mergulhar nas leis e regras que regem a prescrição de remédios. Abordaremos desde os aspectos legais até as melhores práticas na redação de receitas médicas. 

Esta informação é crucial não apenas para manter a conformidade com as normativas, mas também para assegurar que os pacientes recebam o tratamento adequado de maneira eficiente e segura. 

Se você é um profissional de saúde buscando aprimorar seus conhecimentos em prescrição médica ou simplesmente alguém interessado em entender como o processo funciona, este artigo é para você.

O que diz a legislação atual sobre a prescrição de receitas de remédio

No Brasil, a prescrição de medicamentos é regida por legislações específicas que visam garantir a segurança e o bem-estar dos pacientes. É essencial que os profissionais de saúde estejam cientes e sigam estas normativas para assegurar a prática correta e legal da prescrição. 

Confira abaixo alguns dos principais aspectos da legislação brasileira em relação à prescrição de medicamentos.

Quais são os profissionais autorizados a receitar remédios?

No Brasil, a prescrição de medicamentos é uma atividade restrita a médicos, dentistas e, em certos casos específicos, a enfermeiros (principalmente no âmbito da atenção básica de saúde e conforme protocolos estabelecidos).

Como deve ser o receituário?

A legislação brasileira exige que a prescrição seja feita em receituário adequado, contendo o nome completo do paciente, a indicação clara do medicamento, a dosagem, a forma de administração, a duração do tratamento e a assinatura do profissional, além de outros dados que possam ser relevantes.

O que diz a legislação sobre a prescrição de remédios controlados?

A prescrição de substâncias controladas, como psicotrópicos, segue regulamentações mais estritas. Estes medicamentos devem ser prescritos em receituário próprio (receituário de controle especial) e estão sujeitos a regras específicas de dispensação e armazenamento, conforme estabelecido pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Prescrição Eletrônica

Embora a prescrição eletrônica esteja ganhando espaço no Brasil, ainda há um uso significativo do receituário em papel. A receita digital, no entanto, é vista como uma ferramenta para aumentar a eficiência e reduzir erros, estando em fase de expansão e regulamentação.

Normas de Privacidade

As informações do paciente devem ser tratadas com confidencialidade, respeitando as normas de privacidade e sigilo médico estabelecidas pelo Conselho Federal de Medicina e pela legislação brasileira.

Renovação e Refil de Prescrições

As regras para a renovação de receitas, especialmente para medicamentos de uso contínuo, seguem critérios estabelecidos para evitar automedicação e garantir o acompanhamento adequado.

Cuidados e responsabilidades do profissional de saúde ao receitar um remédio

Receita de remédio médico receitando

Na prática médica, prescrever medicamentos é uma tarefa que transcende a mera escolha de um remédio para um sintoma ou condição. Para os profissionais de saúde, trata-se de uma atividade que exige um equilíbrio cuidadoso entre conhecimento clínico, ética médica, responsabilidades legais e uma comunicação efetiva com o paciente.

Avaliação cuidadosa do histórico do paciente

Um exemplo disso é o caso de um paciente com histórico de dor crônica que busca alívio. O médico, ao considerar a prescrição de um opioide, deve primeiro realizar uma avaliação minuciosa do relatório paciente

Isso inclui entender outras condições de saúde, remédios atuais, possíveis alergias a medicamentos e histórico familiar. Com base nessa informação, o médico deve avaliar se o benefício do opioide supera os riscos, dada a potencialidade para dependência e efeitos colaterais adversos.

Conformidade com as leis e normativas

Além de uma avaliação cuidadosa, o médico deve agir em estrita conformidade com as leis e normativas. Isso significa usar receituários adequados, seguir diretrizes para a prescrição de medicamentos controlados, e manter registros detalhados de todas as prescrições.

Comunicação com o paciente

A comunicação com o paciente também é uma peça chave. O médico deve informar claramente ao paciente sobre como usar o medicamento, discutir possíveis efeitos colaterais e interações com outros remédios. 

Em situações como a prescrição de opióides, é essencial obter o consentimento informado do paciente, garantindo que ele compreenda os riscos associados ao uso desse tipo de medicamento.

Além disso, é vital que o médico permaneça atualizado sobre as mais recentes pesquisas e tratamentos disponíveis, garantindo que as prescrições sejam baseadas nas evidências mais atuais. 

Respeito pela autonomia do paciente

O respeito pela autonomia do paciente também é crucial; as decisões devem ser tomadas considerando as preferências e os valores do paciente.

Por fim, após a prescrição, é importante um acompanhamento cuidadoso. O médico deve monitorar como o paciente está respondendo ao tratamento e estar pronto para fazer ajustes, se necessário. 

Essa abordagem holística e responsável na prescrição de medicamentos não apenas cumpre com as obrigações legais e éticas do médico, mas também assegura o cuidado mais seguro e eficaz para o paciente.

Leia também: Veja dica de como melhorar a relação entre médico e paciente na sua clínica ou consultório

Tipos de Receitas Médicas

No Brasil, o sistema de prescrição médica é estruturado para garantir o uso seguro e controlado de medicamentos, com diferentes tipos de receitas para diferentes categorias de medicamentos. Compreender essas categorias é essencial para médicos e pacientes.

Receitas de Medicamentos Controlados

  • Receituário Especial: Esses medicamentos devem ser prescritos em receituários específicos, conhecidos como receituários de controle especial. Estes receituários possuem cor específica (azul ou amarela, dependendo da substância) e são numerados e controlados.
  • Informações Detalhadas e Regras de Dispensação: A receita deve conter informações detalhadas sobre a dosagem, a forma de uso e a duração do tratamento. Farmácias devem seguir regras rigorosas para dispensar esses medicamentos, incluindo a retenção de uma cópia da receita.

Leia também: Entenda o que é a receita azul e para que serve

Receitas para Medicamentos de Uso Contínuo

Medicamentos de uso contínuo, prescritos para tratamentos de longa duração ou doenças crônicas, têm regras mais flexíveis.

  • Validade Estendida: As receitas de medicamentos de uso contínuo geralmente têm uma validade maior, facilitando a continuidade do tratamento sem interrupções frequentes para novas prescrições.
  • Monitoramento Regular: Apesar da maior validade, é vital que o médico faça acompanhamentos regulares para monitorar a eficácia e os efeitos do tratamento, ajustando dosagens quando necessário.

Receitas Comuns

Para medicamentos que não são controlados, as receitas comuns são utilizadas. Estas receitas não necessitam de um receituário especial e são usadas para a maioria dos medicamentos.

Em todos os casos, a clareza na prescrição é vital. As receitas devem conter todas as informações necessárias, como nome completo do paciente, data, nome do medicamento, dosagem, via de administração e duração do tratamento, além da assinatura e carimbo do médico.

Testar Soluções para Gestão de Clínicas e Consultórios por 7 dias Grátis

Exigências Documentais para a receita de remédio

receita de remédio senhor busca remédio em farmáciaNa prescrição médica, a atenção aos detalhes e a precisão na documentação são fundamentais, tanto para a conformidade legal quanto para a segurança do paciente

Começando com a identificação completa do paciente, incluindo nome, idade e, em alguns casos, o CPF, é crucial para personalizar a prescrição e prevenir erros. 

Por exemplo, ao prescrever um antibiótico para um paciente, o médico deve registrar todas essas informações, além de detalhar o histórico médico do paciente, como alergias conhecidas, medicamentos atuais e histórico familiar de doenças.

Ao elaborar a receita, o nome do medicamento deve ser claramente indicado, preferencialmente com o princípio ativo. A dosagem exata, a forma farmacêutica (como comprimidos ou solução injetável) e instruções detalhadas de uso, incluindo como e quando tomar o medicamento, são indispensáveis para garantir o uso correto e eficaz do tratamento. 

A receita deve ser assinada e carimbada pelo médico, incluindo seu nome completo, número de registro profissional e especialidade, se aplicável.

Para medicamentos controlados, como psicotrópicos, o uso de um receituário de controle especial é obrigatório. Estes receituários têm características específicas de segurança e devem ser preenchidos com atenção extra. 

Além disso, o médico pode precisar manter registros detalhados dessas prescrições para fins de controle por autoridades de saúde.

É também prática recomendável obter o consentimento informado do paciente, especialmente em casos de medicamentos com riscos significativos. Isso garante que o paciente esteja ciente dos potenciais riscos e benefícios do tratamento. 

Essas práticas não apenas asseguram a conformidade com as normativas legais, mas também promovem o melhor cuidado possível ao paciente, evitando complicações e maximizando a eficácia do tratamento.

Leia também: Entenda a importância da gestão de documentos para a área da saúde e como fazê-la

Consequências da Não Conformidade

A não conformidade com as normas de prescrição médica pode acarretar sérias consequências legais e éticas para os profissionais de saúde. A aderência às regulamentações é fundamental não apenas para a prática médica legal, mas também para garantir o cuidado seguro e eficaz dos pacientes. 

Quando um profissional de saúde falha em seguir as normas de prescrição, ele se expõe a uma série de riscos. Legalmente, isso pode resultar em ações disciplinares pelo conselho profissional, multas significativas e, em casos graves, até mesmo a perda da licença médica. 

Isso ocorre porque a prescrição inadequada ou descuidada de medicamentos é vista como uma violação grave das responsabilidades profissionais, podendo colocar em risco a saúde e a segurança dos pacientes.

  • Do ponto de vista ético, a não conformidade pode levar a uma deterioração da relação entre médicos e pacientes. Uma prescrição inadequada pode resultar em tratamentos ineficazes, efeitos colaterais graves e, em situações extremas, até mesmo causar danos irreparáveis aos pacientes. 

Essa ação não só prejudica a reputação do profissional de saúde, mas também pode ter implicações para a integridade do sistema de saúde como um todo.

  • Além disso, a não conformidade com as normas de prescrição pode levar a implicações legais mais amplas, como processos judiciais por negligência ou imperícia. Estes processos podem ser não apenas financeiramente onerosos, mas também prejudiciais à carreira e à imagem do profissional envolvido.

Por exemplo, um médico que prescreve um medicamento controlado sem seguir as regulamentações específicas para esse tipo de medicamento pode enfrentar acusações de prática médica irresponsável. Isso pode levar a uma investigação pelas autoridades de saúde e, dependendo do resultado, a sanções severas.

Portanto, a aderência rigorosa às regulamentações de prescrição é crucial. Os profissionais de saúde devem estar constantemente atualizados com as leis e diretrizes locais e nacionais e seguir as melhores práticas para a prescrição de medicamentos. 

Isso assegura não apenas a conformidade legal e ética, mas também a prestação do mais alto nível de cuidado aos pacientes.

Atualizações e Mudanças na Legislação

É crucial para os profissionais de saúde manterem-se atualizados com as alterações na legislação de prescrição médica, pois as leis nesta área estão em constante evolução. Essas mudanças podem variar desde novas regras para a prescrição de medicamentos controlados até a introdução de diretrizes aprimoradas para o uso de prescrições eletrônicas.

Tais alterações exigem que os médicos e outros profissionais da saúde revisem e, muitas vezes, adaptem seus processos existentes. Isso pode incluir mudanças na forma como os dados dos pacientes são armazenados, na metodologia de prescrição e na comunicação com as farmácias.

Além disso, as atualizações legislativas podem requerer que os profissionais passem por treinamentos adicionais para compreender e aplicar corretamente as novas normativas. 

Para se manter informado sobre as últimas mudanças, é recomendável que os profissionais acompanhem as publicações de conselhos médicos, comunicações da ANVISA e outras fontes confiáveis de informação, como o blog do Conclínica.

Participar regularmente de conferências e workshops também pode ser uma maneira eficaz de se manter informado sobre as tendências atuais e as melhores práticas no campo médico.

Utilize o software Conclínica para gerir dados, receitas, agendamentos dos pacientes e muito mais!

Se você é um profissional de saúde buscando uma solução eficiente e inovadora para gerir sua clínica e otimizar seu processo de prescrição, convidamos você a conhecer nosso sistema de gestão para clínicas, o Conclínica. 

Com o Conclínica, você tem acesso a uma plataforma intuitiva que não só simplifica o processo de prescrição digital, mas também oferece uma série de recursos para melhorar a gestão do seu consultório.

Nossa ferramenta permite que você envie prescrições digitais de forma rápida e segura, garantindo conformidade com as regulamentações atuais e proporcionando maior conveniência tanto para você quanto para seus pacientes. 

Além disso, o Conclínica oferece funcionalidades abrangentes, como o gerenciamento de prontuários eletrônicos, agendamento de consultas e muito mais! Visite nosso site, explore nossos planos e veja como podemos transformar a gestão da sua clínica. 


médicas analisando exame de radiografia em mãos

Riscos operacionais na radiologia: Quais são e como se precaver

A radiologia é uma área crucial da medicina, responsável por fornecer diagnósticos precisos por meio de imagens. No entanto, assim como em qualquer campo operacional, há riscos envolvidos. Portanto, neste artigo, discutiremos os principais riscos operacionais na radiologia e como se prevenir contra eles. 

É fundamental entender esses perigos para garantir a segurança dos profissionais e pacientes envolvidos nesse processo tão importante para a saúde humana. 

Vamos explorar cada uma dessas chances em detalhes e apresentar medidas preventivas que podem ser adotadas nas clínicas e hospitais onde a radiologia é praticada. 

Afinal, ao conhecer as ameaças potenciais e implementar precauções adequadas, podemos minimizar os riscos operacionais na radiologia e promover um ambiente mais seguro para todos.

Riscos Comuns na Radiologia

A prática da radiologia, embora vital para diagnósticos precisos e tratamentos eficazes, está sujeita a uma variedade de riscos que podem impactar significativamente a segurança dos pacientes e a qualidade dos serviços prestados. 

Abaixo, detalhamos mais especificamente os riscos comuns associados à radiologia. Continue lendo.

Erros na Interpretação de Imagens: Diferenças sutis nas características radiológicas podem levar a interpretações divergentes, particularmente em casos menos frequentes. É necessário reduzir as chances desses acontecimentos. 

Afinal, a falta de padronização na nomenclatura e descrição de achados radiológicos pode contribuir para mal-entendidos entre radiologistas. 

A presença de artefatos nas imagens, decorrentes de técnicas de aquisição ou processamento inadequadas, pode distorcer a interpretação.

Falhas nos Equipamentos de Radiologia: Desgastes naturais em componentes mecânicos e eletrônicos podem resultar em imprecisões nas imagens, comprometendo a qualidade diagnóstica. 

Falhas nos sistemas de arrefecimento de equipamentos, como tubos de raios-X, podem levar a superaquecimento e danos irreversíveis. Atualizações tecnológicas frequentes são necessárias para acompanhar avanços e garantir a disponibilidade de recursos diagnósticos mais precisos.

Problemas de Comunicação e Documentação: Divergências nos formatos e padrões de documentação entre diferentes instituições de saúde podem dificultar a transferência eficiente de informações. 

Nesse caso, falhas na transmissão de dados podem ocorrer durante a integração de sistemas de informações de saúde, levando a perdas de dados cruciais.

A falta de treinamento específico em comunicação para profissionais de radiologia pode resultar em ambiguidades em relatórios e instruções.

Segurança da Informação: Vulnerabilidades em sistemas de armazenamento de dados podem resultar em ataques cibernéticos, com consequências prejudiciais para a integridade e confidencialidade das informações. 

É necessário haver conscientização sobre segurança cibernética entre os profissionais de radiologia para mitigar a chance de manipulação não autorizada de dados. 

A conformidade com regulamentações de proteção de dados, como a LGPD, é crucial para garantir a privacidade do paciente.

Exposição à Radiação Indevida: A ausência de treinamento adequado em técnicas de otimização de dose pode resultar em exposições desnecessariamente altas aos pacientes. 

Variações nos protocolos de aquisição de imagem entre diferentes profissionais ou departamentos podem levar a inconsistências na dose de radiação administrada. 

Assim, o monitoramento regular da dose de radiação, auditorias e educação continuada são essenciais para reduzir riscos relacionados à exposição excessiva.

Inadequada Gestão de Resíduos Radiológicos: O descarte inadequado de reagentes químicos e materiais utilizados na radiologia pode resultar em contaminação ambiental.

A falta de conformidade com regulamentações de gestão de resíduos radiológicos pode levar a penalidades legais e impactos adversos na reputação da instituição de saúde. 

Por isso, a implementação de práticas sustentáveis na gestão de resíduos radiológicos pode ser benéfica tanto para a saúde pública quanto para a imagem da instituição.

Impactos dos Riscos na Operação

riscos ocupacionais na radiologia médico analisa raio x

Os riscos associados à radiologia podem ter impactos significativos em várias áreas da operação, afetando não apenas a qualidade do atendimento, mas também a reputação da clínica

Agora, vamos entender alguns dos principais impactos que esses riscos causam no dia a dia da radiologia. Confira também alguns exemplos práticos.

Prejuízos à Precisão Diagnóstica

A falta de precisão na interpretação de imagens radiológicas pode resultar em impactos clínicos substanciais, como a identificação equivocada de tumores ou a subestimação de condições médicas urgentes. 

Em um exemplo, um erro na avaliação de uma mamografia poderia atrasar o diagnóstico de câncer de mama, prejudicando a eficácia do tratamento e as perspectivas de recuperação da paciente.

Ademais, a revisão constante de diagnósticos incorretos pode gerar custos adicionais para o sistema de saúde, desencadeando procedimentos de reavaliação e, potencialmente, intervenções médicas.

Testar Soluções para Gestão de Clínicas e Consultórios por 7 dias Grátis

Possíveis Danos ao Paciente

Falhas nos equipamentos de radiologia, como a má calibração de um acelerador linear em radioterapia, podem resultar em danos diretos aos pacientes, causando lesões teciduais e complicações inesperadas. 

Em casos extremos, a exposição excessiva à radiação pode contribuir para efeitos colaterais prejudiciais e até mesmo impactar adversamente a qualidade de vida pós-tratamento.

No contexto de diagnósticos equivocados, um exemplo prático envolve um paciente submetido a uma cirurgia invasiva com base em informações imprecisas, resultando em complicações desnecessárias e prolongamento do tempo de recuperação.

Implicações Legais e Regulatórias

Erros na interpretação de imagens podem acarretar implicações legais sérias, como processos por negligência médica. 

Em um caso emblemático, uma clínica foi processada após um diagnóstico incorreto em exames de imagem levar a um tratamento inapropriado, resultando em danos físicos e emocionais para o paciente.

No aspecto regulatório, a não conformidade com normas pode levar a penalidades substanciais. 

Impacto na Reputação da Clínica

Incidentes relacionados à imprecisão diagnóstica e segurança do paciente podem atrair cobertura midiática negativa, abalando a confiança do público na clínica. 

A gestão da reputação torna-se imperativa nesses casos, exigindo ações imediatas, como declarações públicas transparentes e a implementação de medidas corretivas visíveis.

Por fim, a gestão desses riscos não apenas envolve medidas corretivas após o incidente, mas também exige uma abordagem preventiva contínua para garantir a excelência operacional e a confiança duradoura dos pacientes e da comunidade.

Estratégias de Prevenção

riscos ocupacionais na radiologia médico toma cuidado ao realizar o procedimento

Na busca pela excelência na prática radiológica, a implementação de estratégias preventivas é um pilar essencial. Ao enfrentar os desafios associados à radiologia, é crucial adotar abordagens abrangentes que não apenas preservem a qualidade operacional, mas também assegurem a segurança e confiança dos pacientes. 

Para isso, agora confira as principais táticas para prevenir erros e riscos na operação da radiologia.

Investimento no Desenvolvimento Contínuo da Equipe: O ideal é ter compromisso total em promover o aprimoramento constante da equipe de radiologia, oferecendo cursos especializados que vão desde técnicas avançadas de interpretação de imagens até a compreensão das últimas inovações tecnológicas.

Também, o incentivo à participação em discussões interativas e simulações práticas para enfrentar casos clínicos desafiadores. 

Por exemplo, a implementação de um programa intensivo de treinamento em ressonância magnética focado em imagens complexas de órgãos específicos, elevando a expertise da equipe para diagnosticar condições mais obscuras com precisão.

Manutenção Regular dos Equipamentos: Estabelecimento de uma agenda detalhada para manutenção preventiva, incorporando checagens regulares de calibração e inspeções técnicas agendadas para todos os equipamentos de radiologia.

Utilize sistemas avançados de monitoramento em tempo real para avaliar continuamente o desempenho dos equipamentos. 

Aprimoramento dos Protocolos de Comunicação: O desenvolvimento de protocolos de comunicação robustos entre todos os membros da equipe médica, desde radiologistas até técnicos de radiologia, promove uma troca eficiente e clara de informações.

Ainda, a implementação de ferramentas modernas, como sistemas eletrônicos de registros de saúde, para consolidar a comunicação. Imagine uma plataforma digital interativa que permite aos radiologistas e clínicos colaborarem em tempo real, discutindo casos complexos e garantindo decisões alinhadas. Legal, né?

Reforço das Medidas de Segurança da Informação: A adoção de tecnologias avançadas de segurança da informação, incluindo criptografia robusta de dados e autenticação de dois fatores, pode salvar com mais segurança os registros médicos e informações dos pacientes.

Para isso, você pode realizar treinamentos periódicos sobre boas práticas de segurança da informação para a equipe, com ênfase na importância da proteção de dados confidenciais e na LGPD.

Conclusão

No universo complexo da radiologia, é obrigatório identificar e reduzir os riscos operacionais. Isso não só mantém a qualidade dos serviços como também assegura a segurança dos nossos pacientes. 

Quando falamos em precisão diagnóstica, cuidados com os equipamentos e uma comunicação que flui, estamos construindo as bases sólidas das clínicas radiológicas. 

Se lidamos com esses desafios de frente, não só mantemos a integridade da prática radiológica, mas também conquistamos a confiança dos pacientes e consolidamos a reputação da instituição.

Investir em prevenção não é só reduzir a chance de imprevistos, mas também elevar a qualidade do serviço e a segurança dos pacientes. 

Com treinamentos contínuos, manutenção regular dos equipamentos e uma comunicação afiada, construímos uma defesa sólida contra erros, criando um ambiente de cuidado seguro e confiável.

E se falamos em excelência na gestão do seu consultório ou clínica, a Conclínica é o caminho. Com nosso software, agende consultas rapidinho, simplifique o registro de dados dos pacientes, reduza a burocracia e simplifique a administração, além de ter uma visão financeira completa. 

Escolha a Conclínica e garanta uma gestão médica eficiente, proporcionando a melhor experiência tanto para os profissionais de saúde quanto para os pacientes!


pessoa paga com máquina de cartão menor taxa

Máquina de cartão para clinicas com a menor taxa do mercado: 05 opções

Descubra as opções de máquinas de cartão que facilitam o recebimento de pagamentos e reduzem os custos operacionais de clínicas.

Você é dono de uma clínica e está cansado de pagar altas taxas nas máquinas de cartão? Não se preocupe! Neste artigo, vamos apresentar 05 opções de máquina de cartão com a menor taxa do mercado, especialmente para clínicas. 

Com o objetivo de ajudar você a economizar e otimizar seus serviços financeiros, selecionamos as melhores opções disponíveis no mercado para oferecer aos seus pacientes uma forma prática e segura para efetuarem os pagamentos sem comprometer o seu orçamento. 

Leia também: Tecnologia na área da saúde: principais tendências para 2024

Vantagens de usar máquina de cartão no consultório ou clínica

Oferecer máquinas de cartão no consultório médico traz muitas vantagens. É mais fácil para os pacientes, que podem pagar de forma rápida e não precisam andar com dinheiro. 

Para os médicos, isso significa menos preocupação com atrasos nos pagamentos, porque as transações são seguras e eficientes.

As maquininhas também deixam tudo mais seguro. Não é necessário mexer com dinheiro físico, o que evita o surgimento de problemas. Além disso, as transações eletrônicas deixam um registro certinho de tudo que acontece.

Outro ponto positivo é que elas aceitam vários tipos de cartão, então os pacientes podem escolher o jeito mais fácil para eles. 

Isso, junto com a rapidez na hora de pagar, faz com que o atendimento seja mais rápido e tranquilo.

E tem mais! Muitas máquinas permitem parcelar o pagamento, o que contribui para quem tem tratamentos mais caros. E para o médico, fica mais fácil controlar as finanças, já que as transações ficam registradas automaticamente.

Assim, usar maquininha de cartão deixa o consultório mais moderno e passa uma ideia de profissionalismo. No fim das contas, é uma maneira prática, segura e eficiente de lidar com os pagamentos, melhorando a experiência tanto para o paciente quanto para os profissionais da área da saúde.

Confira: Gestão de custos: otimize esse processo com a tecnologia certa

5 opções de máquinas de cartão com menores taxas do mercado

pagando com máquina de cartão menor taxa

Escolher uma maquininha de cartão com taxas mais baixas é essencial para pequenos empreendedores. Nessa decisão, é necessário considerar tarifas competitivas, agilidade nos recebimentos e avaliações dos consumidores. 

As tarifas impactam diretamente nos ganhos, buscando opções acessíveis para preservar o faturamento. A rapidez no acesso aos recursos é fundamental para manter o fluxo de caixa saudável, tornando a eficiência no processo de recebimento uma prioridade. 

Por isso, confira abaixo 5 modelos com as menores taxas atualmente.

1. PagSeguro Minizinha Chip 3 

A PagSeguro Minizinha Chip 3 traz boas ofertas para quem faz transações financeiras. Com taxas desde 0,00% para débito, 0,00% para crédito e 3,79% para parcelamento, ela oferece opções variadas. 

A melhor parte é que no primeiro mês, a taxa é zero, então você pode experimentar sem custos no começo.

A maquininha ainda vem com o chip 3, o que deixa as transações mais seguras e estáveis. Isso significa que as conexões são melhores, tornando os pagamentos rápidos e seguros. 

Esse modelo é uma boa oportunidade para empreendedores e autônomos testarem a PagSeguro Minizinha Chip 3 sem comprometer o bolso nos primeiros trinta dias. Uma oferta vantajosa para quem procura uma solução de pagamento eficiente.

2. Maquininha Stone

A Maquininha Stone oferece diversas vantagens e condições atrativas para diferentes tipos de negócios. Para Microempreendedores Individuais (MEI) e pessoas físicas, as taxas começam em 0,85% para débito, 0,85% para crédito à vista, e 9,89% para crédito parcelado em até 12 vezes. 

Já para outros tipos e tamanhos de empresas, as taxas têm início em 1,29% para débito, 3,59% para crédito à vista, e 11,99% para crédito parcelado em 12 vezes.

Entre as vantagens oferecidas pela Maquininha Stone estão:

  • Isenção de mensalidade;
  • Bateria de longa duração para garantir a autonomia do dispositivo;
  • Programas de fidelidade que podem trazer benefícios extras;
  • Praticidade de ser uma opção ideal tanto para pessoas físicas quanto para MEIs. 

Além disso, a maquininha conta com um simulador de vendas para proporcionar uma estimativa realista dos custos envolvidos. A garantia ilimitada é outro diferencial, proporcionando tranquilidade aos usuários ao assegurar suporte contínuo. 

Esses elementos fazem da Maquininha Stone uma escolha versátil e vantajosa para diversos tipos de negócios, adaptando-se às necessidades específicas de cada empreendedor.

Saiba mais: Gestão Financeira para clínicas: como médicos e profissionais de saúde podem manter as finanças no azul

3. GigaTon T1

A maquininha de cartão GigaTon T1 oferece uma série de vantagens para facilitar as transações de pessoas físicas e jurídicas. Com taxas competitivas, você pode garantir o recebimento em apenas 1 dia útil, sendo 1,79% para débito, 3,69% para crédito à vista, e variando de 5,99% a 13,49% para parcelamentos de 2 a 12 vezes.

Além disso, a GigaTon T1 não exige aluguel, proporcionando uma solução econômica para quem busca praticidade. 

A máquina se destaca por sua versatilidade, aceitando diversas bandeiras, como Visa, Mastercard e Elo. 

Sua conexão via Bluetooth e a garantia ilimitada são características desse modelo que garantem um funcionamento eficiente e suporte contínuo.

Uma vantagem é a possibilidade de escolher o prazo para receber os saldos: 1, 14 ou 30 dias. O dispositivo também oferece gestão de vendas via aplicativo, facilitando o acompanhamento das transações. Além disso, o uso de bateria permite mobilidade durante o uso. 

A GigaTon T1 ainda inclui um cartão pré-pago com conta digital gratuita para recebimento de saldos e transferências, sem taxas adicionais para transferências para outros bancos. 

Ideal para quem realiza muitas vendas no débito, crédito à vista e parcelado, esse modelo se destaca como uma opção completa e acessível no mercado de maquininhas de cartão.

Testar Soluções para Gestão de Clínicas e Consultórios por 7 dias Grátis

4. InfinitePay

médico passa para paciente a máquina de cartão menor taxa

A maquininha InfinitePay é uma boa opção para quem tem uma clínica. Com a vantagem de receber o dinheiro em apenas 1 dia útil, a tela touchscreen facilita bastante o uso diário. Um ponto positivo é que ela aceita Pix e QR Code, tornando as transações mais práticas.

Para quem precisa de uma conta digital, a InfinitePay oferece uma de graça, o que pode ser útil para receber e movimentar o dinheiro com facilidade. Além disso, a maquininha conta com uma plataforma para gerenciar os gastos, ajudando no controle financeiro.

Falando sobre as taxas, elas são bem acessíveis. No débito, a taxa é de 1,38%, e no crédito à vista, fica em 3,16%. 

Se você preferir parcelar, as taxas variam de 5,40% a 12,41% para compras de 2 a 12 vezes. Importante mencionar que esse modelo é mais indicado para quem tem um CNPJ, ou seja, é uma opção pensada para empresas. 

5. Getnet Renova com bobina

A maquininha Getnet Renova com bobina oferece uma série de benefícios para facilitar as transações, seja para pessoas físicas ou jurídicas. Com taxas variando de 1,89% no débito a 19,70% em parcelamentos de 12 vezes, a Getnet proporciona opções flexíveis para diferentes tipos de negócios.

Recebendo o saldo em apenas 2 dias úteis, a máquina se destaca por não exigir aluguel e oferecer a escolha do prazo para recebimento, seja em 2 ou 30 dias. Com conexão via 3G ou Wi-fi, a Getnet Renova é versátil, proporcionando mobilidade no uso.

Outro ponto positivo é a aceitação de diversas bandeiras, como Visa, Hiper, Master, Elo, Sodexo, entre outras. Além disso, suporta pagamentos por aproximação e aceita vale-refeição. O depósito pode ser feito diretamente na conta bancária ou na conta digital.

Com uma garantia estendida de 3 anos, a máquina também é recomendável para quem realiza muitas vendas no débito, crédito à vista e parcelado. O benefício de leitura via Chip e Tarja torna a Getnet Renova uma opção completa para diferentes necessidades comerciais.

Veja também: Relação médico-paciente: saiba a importância e dicas para melhorá-la

Tecnologia e facilidade para sua clínica

A escolha da máquina de cartão certa pode ser um passo crucial para o sucesso financeiro de sua clínica médica. Ao ponderar sobre as opções apresentadas acima, você estará melhor preparado para tomar uma decisão informada e alinhada às necessidades específicas de sua prática médica.

Entendemos que a gestão eficiente é necessária para o bom funcionamento de uma clínica. Por isso, convidamos você a conhecer a solução de gestão financeira para clínicas oferecida pela Conclínica. 

Com benefícios como a otimização em todas as áreas, agilidade na marcação de consultas, atendimento eficiente, gestão simplificada e um financeiro inteligente, nosso software foi projetado para aprimorar a eficiência de sua clínica.

Não perca a oportunidade de transformar a gestão de sua clínica. Visite nosso site ou entre em contato conosco para obter mais informações sobre como a Conclínica pode ser a solução ideal para o sucesso financeiro e operacional de sua clínica médica.

Estamos prontos para ajudar a elevar o padrão de sua prática médica!

 


Médico faz atendimento online e descobre como se tornar um médico virtual

Como se tornar um médico virtual e aumentar sua área de atendimento

Saiba como a tecnologia está permitindo que médicos aumentem sua área de atendimento.

Com o avanço da tecnologia e a crescente demanda por serviços de saúde, entender como se tornar um médico virtual pode ser uma excelente oportunidade para expandir sua área de atendimento.

Através dessa modalidade, é possível oferecer consultas online, realizar diagnósticos à distância e acompanhar pacientes de forma remota. 

Além disso, a medicina virtual permite alcançar pessoas em regiões remotas ou com dificuldade de acesso aos cuidados médicos tradicionais.

Neste artigo, vamos explorar os passos necessários para se tornar um médico virtual e as vantagens desse modelo inovador de atendimento.

Leia também: Tecnologia na área da saúde: principais tendências para 2024

Crescimento da telemedicina no Brasil

A evolução da telemedicina representa um marco significativo na modernização do atendimento médico, transformando a maneira como pacientes e profissionais de saúde se conectam. 

Inicialmente impulsionada pela necessidade de superar desafios geográficos e otimizar o acesso a serviços médicos, a telemedicina tem evoluído constantemente, especialmente durante a crise sanitária global.

Um levantamento realizado em 2022 com 1.183 médicos nos estados de São Paulo e Maranhão revelou que as diversas aplicações da modalidade, que ganharam destaque como alternativa durante a pandemia, são propostas para permanecer integradas ao sistema de saúde brasileiro. 

Uma de suas principais vantagens é a conveniência e flexibilidade oferecida aos pacientes, permitindo consultas à distância, monitoramento de condições crônicas e acesso rápido a orientações médicas, independentemente da localização geográfica. 

Isso se traduz em maior acessibilidade aos cuidados de saúde, especialmente para aqueles em áreas remotas ou com dificuldades de mobilidade.

Assim, a adoção de tecnologias de comunicação avançadas contribui para uma abordagem mais ágil e adaptável aos desafios médicos, promovendo uma prestação de serviços mais eficaz.

Confira: Agendamento Online: como a funcionalidade pode beneficiar a sua clínica

Como se tornar um médico virtual: Requisitos e Ferramentas Necessárias 

Médico atende paciente pelo computador, ele descobriu como se tornar um médico virtual

Para realizar a telemedicina da melhor forma possível, é necessário contar com uma infraestrutura tecnológica bem elaborada. Esses recursos são cruciais para garantir a segurança, eficiência e qualidade das interações entre profissionais e pacientes. Confira abaixo alguns exemplos.

  • Plataformas de videoconferência robustas: optar por plataformas de videoconferência de alta qualidade, como Zoom, Microsoft Teams ou soluções específicas de telemedicina é um bom começo. Essas ferramentas possibilitam consultas virtuais e oferecem recursos avançados, como compartilhamento de tela e interações em tempo real.
  • Softwares de gestão de consultas integrados: o uso de ferramentas de gestão de consultas que vão além do agendamento online, abrangendo também o monitoramento contínuo e a integração de históricos médicos eletrônicos é outro passo importante. Essas soluções proporcionam uma visão mais abrangente da saúde do paciente, facilitando o acompanhamento e a tomada de decisões informadas.
  • Tecnologias seguras de transmissão de dados: mecanismos de criptografia e protocolos seguros são essenciais para proteger informações sensíveis durante todas as etapas das interações remotas. Por isso, é necessário incorporar tecnologias avançadas para garantir a segurança na transmissão de dados de saúde. 
  • Conformidade com regulamentações de saúde: adotar medidas rigorosas para proteger a privacidade do paciente é essencial para evitar implicações legais.
  • Monitoramento remoto com dispositivos conectados: esses dispositivos coletam dados que permitem um acompanhamento contínuo de condições crônicas e a identificação precoce de eventuais problemas de saúde dos pacientes.

Saiba mais: Telemedicina: Quais As Vantagens De Utilizar No Seu Consultório?

Testar Soluções para Gestão de Clínicas e Consultórios por 7 dias Grátis

Preparação profissional

Na transição para a prestação de serviços de saúde virtual, a preparação profissional é uma etapa importante. A infraestrutura tecnológica deve ser robusta, garantindo uma conexão de internet estável e a utilização de equipamentos adequados, como câmeras e microfones. 

O espaço virtual deve ser cuidadosamente selecionado, minimizando distrações e proporcionando um ambiente profissional para as consultas online.

Também é necessário investir tempo em treinamento nas ferramentas de telemedicina escolhidas, explorando suas funcionalidades para otimizar a experiência do paciente, bem como adotar um software de gestão de consultas e registros médicos eletrônicos. Essa ferramenta auxilia na documentação de informações de maneira organizada e facilita o acompanhamento preciso dos pacientes.

Adaptar as habilidades de comunicação para o ambiente virtual é fundamental, mantendo uma postura clara, empática e envolvente. Além disso, a privacidade do paciente deve ser priorizada, com explicações detalhadas sobre as medidas de segurança adotadas durante as consultas online para construir confiança.

Flexibilidade e capacidade de adaptação são cruciais para lidar com eventuais contratempos tecnológicos, com planos de contingência em vigor para manter a eficiência e qualidade do atendimento. Participar de capacitações contínuas e workshops específicos da prática médica virtual é uma estratégia valiosa para aprimorar constantemente as suas habilidades.

Leia mais: Automação de processos: como reduzir a carga de trabalho administrativa dos médicos

Promoção da prática virtual

Médico aprendendo como se tornar um médico virtual

Ao ser adepto da telemedicina, é interessante utilizar as redes sociais como uma ferramenta estratégica. A criação de conteúdo relevante contribui para essa abordagem.

A primeira etapa envolve a identificação do público-alvo e a escolha das plataformas sociais mais adequadas ao perfil dos pacientes. A divulgação de informações sobre os benefícios dessa modalidade, juntamente com detalhes sobre como agendar consultas online, pode ser feita por meio de postagens regulares.

A criação de conteúdo educativo, como vídeos explicativos, artigos informativos e infográficos, pode ser compartilhada nas redes sociais para aumentar a conscientização sobre a telemedicina.

Isso inclui destacar a conveniência, flexibilidade e eficiência desse modelo, incentivando os pacientes a explorarem essa opção.

Além disso, o uso de depoimentos de pacientes satisfeitos que experimentaram consultas virtuais pode ser uma estratégia poderosa. Essas histórias reais podem inspirar confiança e eliminar quaisquer preocupações que os pacientes possam ter em relação à telemedicina.

A interação ativa nas redes sociais, respondendo a perguntas e comentários, mostra aos  pacientes um compromisso contínuo. 

Incentivar a participação por meio de enquetes, sessões de perguntas e respostas ao vivo ou webinars pode fortalecer ainda mais a conexão com a sua comunidade online.

Confira: Facebook para médicos: 7 dicas para divulgar sua página

Aumento da área de atendimento

A telemedicina é uma revolução na forma como recebemos cuidados médicos. Imagine poder consultar um médico não importa onde você esteja, sem precisar sair de casa. Essa é a maravilha dessa modalidade. 

Os profissionais de saúde podem usar plataformas seguras de videoconferência para se conectarem com pacientes, diagnosticarem condições de saúde, prescrever tratamentos e até mesmo acompanharem o progresso, tudo virtualmente.

Essa abordagem beneficia quem reside em áreas remotas, onde o acesso aos serviços de saúde pode ser limitado, e oferece praticidade para aqueles que preferem a comodidade de receber cuidados médicos no conforto de seus lares. 

A tecnologia utilizada garante comunicação eficaz entre médicos e pacientes, garantindo uma interação tão eficiente quanto em uma consulta presencial.

Assim, a telemedicina ultrapassa fronteiras geográficas, proporcionando um alcance expandido para os cuidados com a saúde. 

Essa inovação não apenas soluciona desafios antigos, mas também destaca seu potencial transformador, tornando a assistência médica global mais inclusiva e acessível.

Leia também: Telemedicina: o que é, como funciona e suas principais vantagens

Conclusão

Em suma, a telemedicina surge como uma solução inovadora, não apenas simplificando a vida dos profissionais de saúde, mas também ampliando o acesso dos pacientes a cuidados médicos de qualidade. 

Por meio dessa abordagem virtual, as barreiras geográficas são superadas, permitindo que as pessoas recebam atenção médica sem limitações físicas.

Para maximizar os benefícios da telemedicina e otimizar a gestão de clínicas, o Conclínica oferece um software completo. Com recursos abrangentes, incluindo videoconferências seguras, gestão eficiente de consultas e segurança de dados, nossa plataforma visa proporcionar uma experiência aprimorada tanto para os profissionais de saúde quanto para os pacientes.

Não deixe de explorar as possibilidades do sistema para gerenciamento clínico para impulsionar sua prática médica rumo à modernização e eficiência. Faça parte dessa revolução na prestação de cuidados médicos!

 


médicos em uma reunião em residência em clínica médica

Residência em clínica médica: e agora, qual o próximo passo? 

Veja as dicas para quem deseja seguir carreira na área da saúde e planejar o seu futuro profissional após a residência em clínica médica.

A residência em clínica médica é um momento importante na carreira de qualquer profissional da saúde. Após anos de estudo e dedicação, os residentes enfrentam desafios diários, aprendem com casos complexos e adquirem habilidades essenciais para sua futura prática clínica. 

Contudo, ao finalizar a residência, surge uma nova questão: qual o próximo passo? Neste artigo, vamos explorar as opções disponíveis aos médicos recém-formados e como podem direcionar suas carreiras para alcançar sucesso e satisfação profissional. Acompanhe!

Leia também: Qualidade de vida do médico: dicas para melhorar o desempenho

Opções pós-residência

Após completar a residência em clínica médica, os profissionais da área de saúde se deparam com uma gama de opções para moldar sua trajetória profissional. Essas escolhas variam conforme os interesses pessoais e as metas específicas de cada médico. 

Vamos explorar detalhadamente algumas possibilidades.

Continuidade dos estudos

Muitos médicos optam por continuar seus estudos por meio de programas acadêmicos avançados, como mestrado, doutorado ou pós-doutorado.

O engajamento em pesquisas clínicas oferece uma oportunidade única para contribuir significativamente para o avanço do conhecimento médico.

Especializações médicas

A busca por especializações é um caminho comum pós-residência, uma vez que permite que os médicos se aprofundem em áreas específicas, como cardiologia, endocrinologia ou pneumologia. A especialização, além de expandir o conhecimento, proporciona uma prática profissional mais focada e direcionada.

Atuação em hospitais

Trabalhar em hospitais é uma opção popular, seja como clínico especialista ou ocupando cargos de liderança.

Eles oferecem um ambiente dinâmico, com oportunidades para colaborar com equipes multidisciplinares e lidar com uma ampla variedade de casos clínicos.

Consultório privado

A opção de abrir um consultório privado é escolhida por alguns médicos que desejam oferecer atendimento personalizado e autonomia na gestão da prática médica.

No entanto, essa decisão também demanda habilidades empreendedoras para gerir o próprio negócio.

Docência e educação médica

A carreira acadêmica, envolvendo docência e educação médica, atrai profissionais interessados em compartilhar conhecimento e moldar futuros profissionais de saúde.

O trabalho em universidades ou instituições de ensino médico proporciona uma oportunidade única de contribuir para o desenvolvimento da próxima geração de médicos.

Medicina de família e comunidade

A especialização em medicina de família e comunidade destaca-se pela abordagem mais abrangente da saúde, atendendo pacientes de todas as idades.

Essa escolha é especialmente gratificante para profissionais que valorizam a continuidade do cuidado e o estabelecimento de relações de longo prazo com os pacientes.

Medicina internacional ou humanitária

Alguns especialistas escolhem se envolver em medicina internacional ou missões humanitárias, oferecendo cuidados em contextos diversos e contribuindo para iniciativas globais de saúde.

Porém, é importante que a tomada de decisão seja baseada em uma avaliação profunda dos interesses pessoais, paixões e aspirações. Cada opção oferece oportunidades únicas, mas a escolha certa dependerá da visão de carreira individual de cada médico. 

Confira: A importância das análises clínicas na medicina moderna

Dicas para escolha da especialização

médico segura seu estetoscópio após residência em clínica médica

Escolher a especialização médica é uma decisão que moldará toda a sua jornada profissional. Para essa decisão, é fundamental iniciar com uma jornada de autoconhecimento. Avalie suas paixões, interesses e habilidades, refletindo sobre os momentos mais satisfatórios durante a graduação e a residência.

Converse com mentores, professores e médicos experientes, buscando insights valiosos sobre diferentes especialidades. A troca de experiências pode fornecer uma visão mais clara das expectativas e desafios associados a cada área. Além disso, considere o estilo de vida desejado, ponderando a carga horária e a flexibilidade de cada especialidade.

Investigue a demanda do mercado na sua região, analisando oportunidades de emprego, oferta de vagas em hospitais e a viabilidade de consultórios privados. Esteja atento às tendências emergentes na medicina, considerando fatores como mudanças demográficas, avanços tecnológicos e desenvolvimentos na área da saúde.

Ao tomar decisões, busque um equilíbrio entre seus interesses pessoais e a demanda do mercado. Escolher uma especialidade apenas por razões financeiras pode resultar em insatisfação a longo prazo. 

Por isso, avalie as condições de trabalho associadas a cada especialidade, ponderando aspectos como estresse e exigências físicas.

Participe ativamente de eventos, conferências e encontros profissionais para ampliar seu networking. Essas conexões podem proporcionar informações práticas sobre o cotidiano e as demandas de diferentes áreas médicas.

Outra dica é antecipar-se às mudanças na prática médica, considerando como as tecnologias emergentes, políticas de saúde e avanços científicos podem influenciar as especialidades no futuro. 

Por fim, converse com profissionais que já atuam na especialidade desejada para obter uma compreensão mais profunda dos desafios, recompensas e níveis de satisfação profissional associados a cada área. 

Leia mais: Relação médico-paciente: saiba a importância e dicas para melhorá-la

Testar Soluções para Gestão de Clínicas e Consultórios por 7 dias Grátis

Mercado de trabalho e oportunidades

Ao analisarmos o mercado de trabalho para médicos especialistas nessa área, encontramos diversas tendências e oportunidades que buscam por profissionais nessa área específica.

  • Demanda por clínicos gerais: a demanda contínua por clínicos gerais permanece robusta, especialmente em regiões bastante povoadas. Esses profissionais desempenham um papel crucial ao oferecer cuidados primários e gerenciar uma ampla gama de condições de saúde.
  • Ênfase crescente na medicina preventiva: uma busca crescente na medicina preventiva está impulsionando a necessidade de clínicos capazes de se dedicar a orientar os pacientes em práticas saudáveis e identificar precocemente potenciais problemas de saúde.
  • Expansão da telemedicina: a aceitação crescente da telemedicina abre novas fronteiras, possibilitando aos clínicos realizar consultas virtuais. Esse cenário é ainda mais relevante para atender pacientes em áreas remotas.
  • Especialização em geriatria: com o envelhecimento da população, a especialização em geriatria torna-se mais crucial. Clínicos especializados em cuidados geriátricos experimentam uma demanda crescente, dada a necessidade específica dessa faixa etária.
  • Integração de tecnologias avançadas: a incorporação de tecnologias avançadas, como inteligência artificial e análise de dados, está transformando a clínica médica. Clínicos que adotam essas inovações podem encontrar oportunidades em organizações que buscam aprimorar a eficiência e a qualidade dos cuidados.
  • Trabalho em equipes multidisciplinares: a tendência de colaborar em equipes multidisciplinares está ganhando destaque. Clínicos que se integram efetivamente com outros profissionais de saúde, como enfermeiros, fisioterapeutas e nutricionistas, destacam-se no mercado.
  • Crescimento em clínicas especializadas: clínicas que oferecem serviços específicos, como cuidados cardíacos, diabetes ou saúde da mulher, estão crescendo. Profissionais com especializações complementares encontram oportunidades nessas clínicas.
  • Globalização da saúde: a globalização da saúde está abrindo portas para oportunidades em pesquisa e colaboração internacional. Médicos com uma perspectiva global podem encontrar espaço em organizações envolvidas em iniciativas globais de saúde.
  • Participação em programas de saúde pública: a participação em programas de saúde pública, como campanhas de vacinação e projetos de conscientização oferece oportunidades adicionais para clínicos contribuírem para o bem-estar da comunidade.
  • Crescimento da medicina integrativa: o aumento da aceitação da medicina integrativa abre espaço para especialistas que desejam incorporar terapias complementares e alternativas em sua prática, atendendo à demanda por cuidados mais abrangentes.

Saiba mais: 5 livros que todo médico precisa ler

Desenvolvimento profissional

médica segura prancheta apos sua residencia em clinica médica

O desenvolvimento profissional contínuo é essencial para médicos que buscam aprimorar suas habilidades e permanecer atualizados na área da medicina, que é bastante dinâmica. Diversas estratégias podem ser adotadas para alcançar esse objetivo.

  • No âmbito do desenvolvimento profissional, a participação em eventos científicos é uma oportunidade valiosa para ficar atualizado com os avanços e descobertas médicas. Investir em cursos de atualização e especialização também contribui para a garantia de relevância nas práticas clínicas e tecnológicas. 
  • Engajar-se em grupos de estudo com colegas propicia a troca de conhecimentos, discussões clínicas e aprendizado colaborativo. A contribuição para a literatura científica por meio da publicação de artigos em revistas especializadas solidifica a reputação profissional. 
  • Buscar mentoria de profissionais mais experientes pode oferecer uma orientação valiosa para o crescimento e superação de desafios da carreira.
  • Participar de projetos de pesquisa permite aplicar conhecimentos, na prática, contribuindo para avanços na medicina. A obtenção de certificações e diplomas adicionais em áreas de interesse específico amplia as oportunidades de atuação em nichos especializados.

No contexto do networking na área médica, a construção de relacionamentos sólidos com colegas, professores, mentores e outros profissionais é fundamental. Essas conexões proporcionam suporte e troca de experiências. Além disso, abrem portas para oportunidades profissionais, como vagas de emprego e colaborações em projetos.

Confira: 11 filmes que todo médico deve assistir

Aspectos práticos e administrativos

Lidar corretamente com os aspectos práticos e administrativos ao estabelecer uma prática médica é fundamental para garantir o funcionamento eficiente e legal da clínica. Diversas questões devem ser consideradas, desde o registro em conselhos profissionais até contratos de trabalho e burocracias envolvidas.

O primeiro passo prático é garantir o registro profissional adequado nos conselhos regionais ou nacionais de medicina. Este processo inclui geralmente a apresentação de documentos comprobatórios de formação e experiência, bem como de pagamento de taxas.

A atenção aos aspectos legais e fiscais também é importante. Isso inclui a elaboração de contratos de trabalho para a equipe médica e administrativa, que devem refletir as responsabilidades e direitos de cada parte envolvida.

No que diz respeito à burocracia, é necessário lidar com registros e licenciamentos obrigatórios para a operação da instituição médica. Isso pode envolver licenças municipais, estaduais e federais, dependendo das regulamentações locais.

Para auxiliar profissionais que estão iniciando suas práticas, a Conclínica oferece um software de gestão de clínicas médicas. Essa ferramenta é projetada para simplificar tarefas administrativas, como agendamento de consultas, gestão de prontuários eletrônicos, controle financeiro, emissão de relatórios, dentre outras funcionalidades.

Assim, o software pode ser valioso para otimizar o gerenciamento da clínica, permitindo que os profissionais concentrem mais tempo em seus pacientes e menos em tarefas administrativas. Faça o teste gratuito por sete dias e conheça todas as funções do sistema, na prática!