Representante Farmacêutico: a ética no relacionamento

A rotina do representante farmacêutico se resume em realizar visitas a clínicas médicas, farmácias e centros de distribuição apresentando e promovendo os medicamentos determinados pela sua companhia. Esse profissional esclarece as dúvidas quanto aos medicamentos, explicando sua indicação, posologia e benefícios para os pacientes. Para obter êxito em seu trabalho, ele precisa estabelecer uma relação com os médicos e, consequentemente, ganhar a credibilidade deles. No entanto, esse relacionamento pode criar inconvenientes no consultório médico, a julgar pelas visitas sem horário marcado, atrasando a agenda médica e deixando os pacientes incomodados.

Receber o representante e dar a devida atenção a ele é de extrema importância para ambas as partes, pois assim o médico pode manter-se atualizado sobre os lançamentos das empresas e suas especificações, porém é preciso respeitar a ordem dos pacientes que aguardam por seus atendimentos, sem interrupções.

Com o crescimento da indústria farmacêutica, aumentou também o número de remédios e, consequentemente, a quantidade de representantes nos consultórios divulgando os medicamentos. Nesse sentido, cabe aos médicos reconhecerem as boas intenções do profissional e a qualidade das medicações mostradas, já que elas serão recomendadas aos pacientes. Em relação à ética nesses casos, tal recomendação é considerada permitida, dentro da lei, não sendo considerada submissão do médico ao laboratório correspondente ao seu representante farmacêutico.

Há desconfianças acerca desse vínculo, como a prescrição incoerente de remédios em troca de patrocínios, pagamentos de honorários para os elogios feitos, amostras grátis, atuação em congressos, indicações etc. Todas elas são pertinentes e devem ser levadas em conta, mas é preciso avaliar os resultados após o uso para haver uma apuração.

De acordo com o Conselho Federal de Medicina, após um acordo entre CFM e a Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma), foram estabelecidos parâmetros para disciplinar a relação entre médicos e indústrias, incluindo a transparência dessa relação, o apoio dessas empresas à organização de congressos, às ofertas de brindes, entre outros aspectos. Além disso, o Código de Ética Médica Brasileiro abordou a importância da ética para a eliminação dos conflitos.

Esse contato entre os médicos e os representantes deve ser transparente, respeitoso e sincero para que não haja desconfianças e problemas maiores para ambos.

Conheça o Conclínica, um sistema de gestão de clínica online, fácil de usar e completo como deve ser. Clique aqui e experimente gratuitamente por 15 dias.

 

 

 

 


Como transformar meu consultório em uma clínica médica?

Você se formou na faculdade que tanto sonhou, trabalhou duro para abrir seu consultório individual e agora deseja mudar de rumo e transformar esse consultório em uma clínica médica completa, mas não sabe por onde começar? Então você está no lugar certo! Nesse artigo nós listamos CINCO dicas de como iniciar esse sonho sem erros. Confira!

Fazer a transição de um consultório individual para uma clínica com variedade de especialistas não é uma tarefa fácil, demanda tempo, planejamento e recursos financeiros para investir no local. No entanto, com muita determinação é possível chegar ao objetivo desejado. Veja os passos!

  1. Planejamento

O ponto mais importante de todo projeto é saber planejar corretamente tudo o que será necessário desde o início até o fim. O aumento do espaço físico, gastos com novos funcionários e profissionais da saúde, investimento em um bom software de gestão, consultoria de marketing e outros devem estar nesse plano de negócio.

Cada etapa precisa ser previamente pensada e estudada para que os erros sejam minimizados e mais facilmente resolvidos.

  1. Especialidades

Essa decisão deve ser muito bem avaliada, pois implicará em outros momentos como o da escolha do novo espaço. O tipo de serviço que você oferecerá precisa estar claro: terá várias especialidades ou apenas uma? Poderão ser realizados exames no local ou não? Essas e outras questões necessitam ser respondidas para dar início à procura de espaço, materiais e equipamentos específicos.

  1. Localização

A escolha do local é de extrema importância para a clínica. Se após uma análise detalhada você decidir que seu espaço atual supre as necessidades desse novo empreendimento e que prefere fazer correções a ter outro ambiente, tudo bem! Mas lembre-se: talvez o gasto seja maior e o trabalho também. Avalie as possibilidades.

  1. Levantamento de custos

Mesmo após o planejamento é preciso estar atento aos gastos do projeto. No início, você colocará o que pretende gastar, no entanto, imprevistos acontecem e os gastos devem ser reavaliados ao longo dessa empreitada. A cada etapa concluída uma nova avaliação do seu controle financeiro. Conte os contratados, os equipamentos, a obra, o marketing, documentos, possíveis terceirizações e tecnologias extras.

  1. Documentação

Estar em dia com a documentação evita dores de cabeça. A mudança de um consultório para uma clínica requer novas permissões para funcionamento, assim como alvará do local. A fiscalização é rígida e manter tudo dentro das especificações aumenta a credibilidade do seu estabelecimento.

Gostou do post? Aqui no blog nós compartilhamos muitas dicas para o sucesso da sua clínica, continue no nosso site e fique por dentro das atualizações!

Aproveite para conhecer o Conclínica, um software de clínica que aperfeiçoa suas atividades. Clique aqui.


Como liderar uma equipe com eficiência?

Para que um estabelecimento consiga alcançar seus objetivos e obter bons resultados é preciso que a frente dele exista um líder qualificado que saiba delegar tarefas. Em uma clínica médica também! A administração de um negócio, como consultórios e clínicas, necessita de gestores que dominem a transferência de funções sem receios, pois a falta de organização gerencial pode custar caro a toda equipe.

Há várias atitudes que podem contribuir para a liderança de uma equipe com o máximo de eficiência. Quer saber quais são? Acompanhe:

Seja claro e defina suas metas

Se você quer que as funções repassadas sejam feitas de forma correta, você deve ser objetivo quanto a sua expectativa. Dar instruções e explicar o impacto de tal tarefa no conjunto final diminuirá possíveis erros e mostrará que você tem consciência do todo. Isso não quer dizer que você vá eliminar a liberdade de cada colaborador, haverá apenas uma definição da meta pretendida.

Um controle dessas funções é expresso por meio de prazos. Com ele as etapas podem ser revisadas e discutidas antes do término da ação, e um software para gestão pode ajudar bastante nesse processo.

Conheça sua equipe

Saber com quem você trabalha é fundamental para o processo de liderança. Conhecer seus hábitos, suas dificuldades e habilidades ajudam a entender o funcionamento da equipe e as relações que ela estabelece. Quando você sabe quem são essas pessoas, você consegue delegar tarefas mais facilmente, pois está ciente de quem se encaixa em cada função.  A comunicação contribui nessa parte.

Valorize a união

Um bom líder sabe que o trabalho em conjunto garante um melhor resultado. Ele sabe que manter a união de forma agradável e leve evita problemas que, consequentemente, afetariam todo o projeto. Logo, valorizar a troca de ideias e a confiança auxilia na integração entre as pessoas. Além disso, saber admitir falhas e conseguir se retratar também é ideal.

Utilizar ferramentas de gestão

Seja qual for a instituição, ter ferramentas que auxiliem o trabalho de todos e facilite as ocupações intensifica a produtividade. O líder deve conhecê-las e aplicá-las no dia a dia para garantir o bom serviço. Os sistemas de gestão para clínicas e consultórios gerem todo o estabelecimento e ao mesmo tempo conseguem fazer um acompanhamento detalhado de todas as atividades.

Cumpra com suas responsabilidades

Para liderar com competência, o líder necessita estar à frente dos acontecimentos e não fugir das suas obrigações para assim conseguir criar soluções rápidas e úteis. Ser capaz de fazer elogios e críticas quando necessárias são atitudes que o compõe.

Faça um teste grátis e conheça na prática o Conclínica, um software de gestão que otimiza suas atividade!

 

 

 

 


Como evitar as queixas no consultório médico?

Como evitar as queixas no consultório médico?

Quando um paciente sai de uma consulta médica pode ter a impressão de que o profissional não o atendeu da melhor forma e pensar “ele não me examinou direito” ou “ele não me perguntou nada”. Essa situação pode ocorrer por vários motivos, dentre eles a falta de profissionalismo médico ou uma deficiência na comunicação entre as partes. Por esse contexto (essa situação) o que acham? acontecer mais do que deveria, colocamos neste artigo algumas dicas de como evitar queixas no consultório e realizar uma consulta corretamente.

Quando um especialista faz uma consulta é importante que ele coloque em prática o que lhe foi ensinado ao longo de sua formação. Uma das principais coisas que se aprende sobre a entrevista clínica é a importância de se ouvir o paciente. Para que ele dê um diagnóstico é preciso escutar atentamente o que o paciente tem a dizer, junto com perguntas gerais, como os sintomas, período de início e o local do corpo afetado. Ainda é de extremo valor realizar perguntas mais específicas, como as relativas ao histórico familiar ou viagens recentes que podem ter desencadeado tais incômodos.

Essa etapa deve durar o tempo necessário para que se entenda o que está havendo com o paciente. Acelerá-la ou reduzir sua relevância é um erro!

Durante a consulta há um protocolo a ser seguido. Este se chama tríade médica e entende-se como: ver, sentir e escutar. Esse procedimento simples garante uma boa avalição do estado do paciente.

  • VER: olhar o paciente por completo, avaliá-lo sem deixar passar nada e procurar possíveis causas. Cada especialista irá observar sua área de domínio.
  • SENTIR: tocar o paciente de forma a identificar os sintomas.

Atenção: é nessa etapa que se costuma ter muitas queixas dos pacientes avaliados. Eles fazem reclamações relativas à falta de toque do médico, “ele nem encostou em mim”. Vale observar que em alguns casos, essa etapa torna-se desnecessária, já que o médico pode lhe conferir o diagnóstico com certeza utilizando apenas as duas outras.

  • ESCUTAR: não apenas escutar o que o paciente tem a dizer, mas também o próprio corpo. Com a ajuda de algum aparelho deve-se ouvir os sons que o corpo produz para detectar um possível problema.

Além dos estágios do atendimento, há uma série de cuidados que devem ser tomados para evitar reclamações:

  • Manter um preço justo ajuda na manutenção dos pacientes e na satisfação dos mesmos;
  • Ter profissionais qualificados, respeitosos e dispostos a ajudar e entender as demandas é primordial para uma boa avaliação do estabelecimento;
  • Investir em comunicação interna e externa para sanar dúvidas de pacientes e dos próprios funcionários contribui para a diminuição de falhas na gestão para clínicas. A comunicação é a grande chave para o sucesso. É por meio dela que as partes serão ouvidas e esclarecidas;
  • Ser uma clínica ou um profissional flexível quanto aos horários, formas de pagamentos e planos credenciados pode influir em uma melhora no relacionamento com os clientes.

Por fim, saber a forma correta de atendimento clínico e manter um diálogo eficiente faz toda a diferença na hora do serviço.

Conheça o Conclínica e saiba mais formas de melhorar seu atendimento médico.


Abrir um consultório médico: quais documentos são necessários?

Abrir um consultório médico: quais documentos são necessários?

Abrir um consultório médico e manter uma boa gestão de clínica não é uma tarefa simples. São muitos os desafios a serem superados ao longo do projeto, mas com o planejamento correto e dedicação você estará preparado para todos eles. Um dos primeiros desafios encontrados é a regularização dos documentos do consultório médico.

Sim, além de prestar atenção no controle financeiro, é importante entender qual papelada deve ser reunida. Esses documentos são de extrema importância para manter o consultório conforme as exigências legais e de acordo com o padrão de qualidade.

Abaixo listamos os documentos mais comuns na hora de regularizar um consultório médico.

  • Alvará da Vigilância Sanitária

O cadastro da Vigilância Sanitária é feito por meio do envio de vários documentos e exige que seu empreendimento esteja corretamente classificado no CNAE (Classificação Nacional de Atividade Econômica), órgão que informa as atividades praticadas na sua instalação.

De modo geral, esse alvará alega que o consultório foi inspecionado pela Vigilância Sanitária e está de acordo com as especificações legais de estrutura e condições de higiene. Para consegui-lo é necessário o CNPJ do local e o contrato de empreendimento registrado.

É ideal que se procure saber como é essa legislação na sua cidade, já que ela pode ter variações em cada município.

Fique atento: a licença é publicada no Diário Municipal, por isso, deve-se verificar se foi deferida ou não.

 

  • Alvará de Funcionamento

Esse alvará, obtido pela Prefeitura da sua cidade, é a declaração para que seu consultório realmente funcione. A regularização pode ser feita como pessoa física ou jurídica, de forma que na primeira serão pedidos documentos pessoais e na segunda, os documentos da empresa (CNPJ, CARTEIRA DE CLASSE, IPTU PAGO).

A licença pode ser feita via internet e deve ser renovada anualmente 60 dias antes da expiração.

  • CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde)

O cadastro é estabelecido pelo Ministério da Saúde e tem o intuito de guardar dados de todos os estabelecimentos de saúde do território nacional.

Você deve buscar o Gestor Municipal de Saúde do local, podendo ser a Secretaria Municipal de Saúde ou a Secretaria Estadual de Saúde, e só ele poderá fazer o cadastramento e a manutenção do estabelecimento no CNES.

A solicitação de cadastro só poderá ser feita após a declaração da Vigilância Sanitária.

  • Declaração da Limpurb

Como seu consultório irá gerar resíduos biológicos, químicos e perfuro-cortante, essa declaração específica garantirá a coleta desse material que será descartado.

A coleta é feita pela prefeitura após a emissão do certificado do órgão encarregado.

  • Atestado do Corpo de Bombeiros

O atestado refere-se às regras de segurança do local. Ele pode ser obtido diretamente no Corpo de Bombeiros com o Alvará de Funcionamento e o CNPJ.

Sim, os documentos são muitos, mas é de extrema importante tê-los para garantir a confiança do consultório e a segurança dos pacientes.


Inadimplência: como lidar com ela nos consultórios médicos?

A inadimplência é um assunto complexo e delicado de lidar quando se tem um empreendimento. Nos consultório médicos, os profissionais da área têm dificuldade de tratar desse assunto por respeito à saúde dos pacientes e por todo mal estar que ele envolve.

Se manter um consultório médico bem estruturado financeiramente não é uma tarefa fácil, imagina com pacientes inadimplentes? Difícil, não é mesmo?  Com o intuito de te ajudar a lidar com essa situação, vamos compartilhar agora algumas alternativas de como você pode resolvê-la e evitar que ocorra.

Atualização de cadastro

O primeiro passo para evitar a inadimplência no seu consultório é ter um controle sobre os cadastros de pacientes. Essa base de dados te manterá informado sobre o perfil do paciente e sobre as formas de contato com ele, pois, se houver a inadimplência, você terá como contatá-lo por telefone ou e-mail, além de ter referências registradas, caso ele negue o ocorrido.

Essa atualização é essencial, porque depois de algum tempo os pacientes podem mudar de endereço ou telefone e, assim, ficaria difícil encontrá-los para cobrança.

Formas de pagamento

Escolher formas de pagamentos seguras também ajuda a melhorar o controle financeiro e evitar a inadimplência. Quando se opta pelo uso do cartão de crédito, por exemplo, o problema do não pagamento é transferido para a instituição financeira correspondente. Assim, você acaba não tendo que lidar com essa situação delicada e seu fluxo no caixa fica mais seguro e garantido. Apesar de apresentar algumas taxas, ainda é mais vantajoso do que correr riscos no caixa.

Procure saber as formas de pagamentos ideais para você e seu paciente, assim, ambos podem sair beneficiados.

Invista em avisos de pagamento

Por vezes, as pessoas deixam de realizar o pagamento de suas obrigações por esquecimento. Esse é um problema recorrente, não só nas clínicas, mas em outras instituições também! Por isso, uma forma de fazer com que os pacientes lembrem-se do pagamento é enviar lembretes a eles.

Os lembretes são uma ótima maneira de manter o paciente informado sobre os prazos e nutrir uma comunicação com ele, de forma que o seu consultório esteja presente e seja bem visto por conservar um diálogo franco.

Há softwares de gestão de clinicas que mandam essas mensagens automaticamente e garantem a segurança dos dados.

Relacionamento com o cliente

Um fator importante na hora de resolver essa situação com o paciente inadimplente é o nível de relacionamento que se tem com ele. Quando há uma comunicação sem ruídos e com total confiança, fica mais fácil tratar sobre formas de pagamento e negociação da dívida.

Dessa maneira, é ideal que se tenha uma comunicação ativa com o paciente, antes, durante e após o agendamento e atendimento médico, com grande eficiência e dedicação às necessidades dele.

Portanto, fica claro que do jeito correto e com o máximo de paciência e respeito, o assunto “inadimplência” fica mais leve de ser resolvido.

Saiba mais sobre o Conclínica e como ele pode auxiliar com o cadastro dos pacientes e a atualização de dados.

 

 


Quero montar minha clínica: Por onde começar?

Cada vez mais profissionais da área de saúde estão vendo no sonho de montar uma clínica médica a oportunidade real de iniciar um negócio e se tornar um empresário do ramo. Contudo, muitos não sabem por onde começar ou acabam não obtendo sucesso por variados motivos.  Por essa razão, nesse artigo daremos algumas dicas de como começar a montar sua clínica sem cometer erros.

Ficou interessado? Continue lendo este post.

Por onde começar?                                                                                              

Em primeiro lugar, você deve estar atento às especificações de estabelecimentos médicos categorizados pela Agencia Nacional de Saúde (ANS), que foram divididos em 54 tipos. Aqui exemplificaremos as três mais utilizadas no mercado:

  • Consultório médico com até duas especialidades;
  • Consultório geral com mais de duas especialidades e com local para procedimentos médicos;
  • Clínica geral com execução de mínimos procedimentos médicos.

Após essa escolha, é importante que se pesquise sobre a documentação necessária para montar a sua clínica.

O passo inicial é estar regulamentado de acordo com a Agência Nacional da Vigilância Sanitária (ANVISA), seguido de leituras que tratem da segurança do paciente, qualidade de atendimento, administração e outras finalidades que podem ser encontradas no site da ANVISA, assim como a Resolução 50, que fala sobre o projeto físico, planejamento e elaboração ideal de uma clínica.

Ainda será preciso preencher o cadastro na Vigilância Sanitária para obter a licença de funcionamento, regularizar-se no Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde, obter o alvará da prefeitura e o certificado da empresa de limpeza urbana do seu estado, que garante a coleta de resíduos descartados.

Sim, a lista de documentação é extensa, mas é só o começo! Veremos agora estratégias para o sucesso da clínica.

  • Conheça seu público-alvo: essa decisão implica na escolha de local, estrutura, decoração, compra de aparelhos e tudo mais na sua clinica. Saber quem será seu paciente garante um atendimento especializado e completo;
  • Escolha o local corretamente: como dito antes, o local será definido de acordo com o público. Se seu público for de maior poder aquisitivo, o local deverá condizer com a realidade desse paciente, assim como um de menor poder aquisitivo. De qualquer forma, deverá ser um local que garante a segurança e a hospitalidade dos pacientes;
  • Faça um planejamento financeiro: liste todos os gastos do seu negócio, desde obras iniciais a pagamentos de funcionários e instrumentos. Ter um bom planejamento auxilia na diminuição de erros e te mantém informado;
  • Aplique tecnologia: a melhor forma de fazer uma boa gestão financeira e administrativa da sua clinica é com o uso de um software de gestão. Ele facilita o gerenciamento do local, otimiza o agendamento de consulta e acelera os processos burocráticos melhorando todo o atendimento da clinica;
  • Invista em Marketing: a divulgação adequada da sua clínica fará toda a diferença na hora de conseguir pacientes. Contratar uma equipe de marketing ou um profissional freelancer, deve estar no planejamento financeiro.

Seguindo nossas dicas fica mais fácil evitar o erro e alcançar o sucesso mais rapidamente. Clique aqui e saiba mais sobre o Conclínica, um software de gestão médica que otimiza as rotinas da sua clinica médica.


Consulta particular: como atrair pacientes sem convênio

Quando se deseja montar um consultório particular é certo que se faça uma pesquisa de mercado minuciosa para conhecer seu público-alvo e descobrir seus principais interesses na área da saúde. É a partir da conclusão dessa pesquisa que o espaço, localização, serviço e preço cobrado na consulta são obtidos e avaliados.

No entanto, mesmo com todo planejamento, a frequência do seu consultório pode cair e as coisas saírem do rumo. Por isso, nesse artigo falaremos sobre estratégias de engajamento para atrair mais pacientes e ampliar sua agenda médica.  Interessou-se pelo assunto? Continue lendo!

Como atrair pacientes?

No momento que um consultório particular percebe a diminuição no número de pacientes é imprescindível procurar estratégias para controlar o quadro. Um dos primeiros pontos a se pensar é a diminuição do preço cobrado pela consulta. Contudo, há outras ideias que podem ser adotadas. Veja:

Aumentar a visibilidade do consultório

Investir em estratégias de publicidade pode alavancar seu negócio e torná-lo mais conhecido. A divulgação em plataformas digitais é a chave para um marketing menos custoso e com maior índice de visualizações. Propagar seu negócio deixando-o ser visto é uma forma de obter credibilidade e confiança no mercado.

Profissionais qualificados

Manter uma equipe de colaboradores responsáveis e aptos para os cargos é de extrema importância. Quando o paciente vai ao seu consultório e paga por uma consulta ele quer e deve receber o melhor serviço prestado, sendo incluído não só o atendimento por um médico capacitado, como uma recepção adequada e ágil. A forma como o paciente será atendido é primordial para fazê-lo voltar ou não.

Preço justo e tecnologia

O preço cobrado pelo serviço deve ser justo e condizente com a realidade financeira dos pacientes. Assim como dito antes, há uma pesquisa prévia para conhecer seu consumidor e é baseado nela e nos atributos do consultório que o valor será obtido. De modo geral, quanto mais instrumentos de alta qualidade seu estabelecimento tiver, mais alto poderá ser o valor cobrado. Logo, investir em tecnologia como softwares de gestão e utensílios inovadores que façam a diferença e facilitem o agendamento médico e o atendimento, atraem pacientes.

Comunicação

Manter uma excelente rede de comunicação auxilia na capitação de novos pacientes. Responder todas as dúvidas sobre horário de consultas, serviços e procedimentos realizados contribuem para uma boa avaliação do consultório, já que uma assistência adequada, seja presencial, telefônica ou por meio das plataformas digitais, fornece confiança e transparência.

Flexibilidade

Alguns médicos iniciantes no mercado escolhem se credenciar a planos de saúde e, assim, ter uma flexibilidade maior. Atender convênios tem prós, como o aumento no número de pacientes e com isso criar uma reputação, e contras, como a diminuição do valor da consulta e o aumento da carga de trabalho.

Um consultório precisa ter tudo organizado para atender melhor seus pacientes. Conheça o Conclínica, software de gestão online, e avance no atendimento dos seus pacientes.

Tem alguma dúvida sobre estratégias de engajamento? Deixe sua pergunta aqui embaixo!


Como tornar a sua clínica sustentável

A preocupação com a preservação do meio ambiente tem feito com que inúmeras instituições de diversas áreas adotem medidas de sustentabilidade no mundo todo. O enorme consumo de energia e a grande produção de resíduos de hospitais, clínicas e consultórios tornam obrigatória a implementação nesse tipo de instituição.

Confira alguns dos benefícios da sustentabilidade para a sua clínica:

  • Cumpre a legislação, evitando problemas com a Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária;
  • Reduz os custos com materiais, tornando o orçamento mais eficiente;
  • Preserva a saúde dos membros da equipe, proporcionando postos de trabalho mais seguros;
  • Preserva o meio ambiente, evitando o descarte incorreto;
  • Proporciona uma visão mais cuidadosa e confiante para os pacientes.

Saiba como tornar a sua clínica sustentável

Selecionamos quatro dicas básicas e efetivas para transformar a sua clínica em uma instituição de saúde sustentável, preservando a saúde pública, do meio ambiente, dos pacientes e da sua equipe, confira:

Redução do uso de papéis

Com o avanço da tecnologia e a informatização de clínicas e consultórios, a utilização de papéis para prontuários, receitas, agendas e outros documentos ficou no século passado. A redução do uso de papel através da utilização de prontuários eletrônicos e softwares médicos, além de modernizar a instituição também contribui para a preservação do meio ambiente, visto que há uma grande retirada de árvores e o não reflorestamento, além do descarte incorreto que inviabiliza a reciclagem.

Descarte de resíduos

Instituições de saúde são algumas das principais produtoras de resíduos, logo, promover o descarte correto é FUNDAMENTAL.

Com o intuito de gerenciar corretamente esses materiais, a Anvisa e o Conama - Conselho Nacional do Meio Ambiente obrigam por lei que todo serviço de saúde tenha um PGRSS - Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde.

[RDC nº 306/2004 da Anvisa e Resolução nº 358/2005 do Conama]

Lâminas cirúrgicas, agulhas e outros objetos cortantes devem ser sinalizados e descartados separadamente de outros tipos de resíduos.

Resíduos infecciosos devem ser colocados em recipientes próprios com especificações exatas sobre como lidar com esse material e identificados de forma visível com o símbolo de risco na parte frontal.

Materiais farmacêuticos devem ser devolvidos aos seus fabricantes, que são os responsáveis pela correta destinação final.

Materiais radioativos dispõem de regulamentação própria do CNEN - Comissão Nacional de Energia Nuclear. É importante ressaltar que os hospitais são os responsáveis por sua destinação final.

Condições de trabalho

Quando se trata de resíduos em qualquer tipo de instituição é importante lembrar dos malefícios que eles podem causar à saúde dos funcionários caso não sejam manejados de forma correta. Ter o controle da exposição de luz em equipamentos que impedem o ofuscamento e assegurar que a emissão de odores aconteça em áreas afastadas dos postos de trabalho são dois fortes exemplos.

Produtos biodegradáveis

Um dos principais cuidados em ambientes que prestam serviços de saúde é a limpeza. A utilização de produtos biodegradáveis é uma escolha que além de diminuir o acúmulo de resíduos tóxicos no meio ambiente, permite a redução de custos, pois são produtos que costumam render mais e limpar de forma mais efetiva, e têm menor possibilidade de causar lesões e alergias na pele de quem os manuseia.

Agora que você já sabe os primeiros passos para tornar a sua clínica sustentável, que tal começar agora?


Marketing para clínica de geriatria: como fazer?

A geriatria é um ramo da medicina em que o médico especialista em clinica geral atende o público idoso. Esse profissional tem conhecimentos em varias áreas da medicina e trata alterações psicológicas, funcionais e anatômicas características do processo de envelhecimento, sendo procurado também por pessoas entre 30 e 40 anos para tratamento e acompanhamento médico preventivo. O objetivo principal das clinicas de geriatria é preservar a saúde, condicionar a independência e manter a qualidade de vida de pessoas a partir dos 65 anos (classe considerada de idosos).

Ter uma clinica voltada para essa faixa etária é bem comum, no entanto, muitos profissionais do ramo têm dificuldades na hora de planejar estratégias de marketing voltada para esse público. Confiram três dicas importantes que separamos para vocês:

Fuja dos estereótipos

Quando vemos propagandas pelos meios digitais e em banners nas ruas, muitas vezes não percebemos que são imagens estereotipadas, com muita generalização e pouco significado. Em clínicas de geriatria ocorre o mesmo problema. Idosos nos dias de hoje não têm mais cabelos brancos e agulhas de tricô! Eles estão em todos os ambientes, fazendo coisas diferentes e iguais, sua representação precisa condizer com a nova realidade.

É preciso criar uma persona com o qual o idoso possa se identificar, interagindo com todas as faixas etárias e enfatizando temas como saúde, família e bem-estar, tudo acima dos clichês.

Seja claro e direto

Os profissionais que investem nessa área precisam ser criativos e simples ao mesmo tempo. A terceira idade recebe melhor campanhas que priorizem a linguagem direta, com informações relevantes e textos visuais. É importante que a mensagem seja recebida em no máximo 3 segundos para que o foco não seja mudado. Manter letras grandes, fontes claras e legíveis ajuda no entendimento do conteúdo. Para ter acesso a informações importantes sobre cada paciente e aprimorar sua comunicação, é indicado contar com um software para gestão.

Construção de confiança

Os pacientes mais velhos costumam ser leais às clinicas que demonstram dar importância ao conforto e à segurança. Para que ganhem a confiança desses pacientes é necessário realizar atendimentos humanizados desde o momento de marcar a consulta na agenda médica até depois das visitas do paciente, ter espaços confortáveis e acessíveis, equipe médica presente e disposta a ajudar e, acima de tudo, tratamento igualitário.

A confiança também é estabelecida no pós-atendimento. Manter um canal de comunicação aberto é essencial para demonstrar cuidado e atenção com o paciente. Enviar mensagens de texto (SMS) informando sobre algum exame, consulta ou felicitações pelo aniversário do paciente, faz toda diferença.

Agora que você conhece as três estratégias básicas de marketing para clínicas de geriatria, invista mais nas partes administrativa e financeira com o Conclinica, um software de gestão online com vários recursos para o seu negócio. Clique aqui e saiba mais.