A clínica ampliada sugere uma nova forma de enxergar o atendimento aos pacientes. Portanto, ao invés de simplesmente tratar sintomas, os profissionais da saúde realizam uma busca mais ampla pelas origens de determinado quadro clínico.

Isso é feito a partir do posicionamento dos pacientes como participantes do diagnóstico e do tratamento, por meio de uma escuta ativa e estabelecimento de uma relação humanizada.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo completo para que você conheça todas as vantagens dessa metodologia e como aplicá-la ao seu negócio.

Boa leitura!

Afinal, o que é clínica ampliada?

A clínica ampliada é uma forma de se trabalhar dentro de uma clínica ou consultório médico que prioriza a realização de atendimentos focados na autonomia do paciente.

Isso quer dizer que os profissionais da saúde deverão procurar saber quais são as necessidades, dores, angústias e outros fatores que podem estar relacionados ao quadro clínico apresentado por aqueles que procuram algum tipo de assistência.

Então, com uma quantidade maior de informações, a gestão clínica e os médicos poderão atuar em conjunto para oferecer um atendimento com qualidade elevada, configurando um trabalho multidisciplinar.

Portanto, pode-se dizer que há um empoderamento do paciente, que passa a contar com um tratamento individualizado. Assim, cria-se a possibilidade de formação de vínculos e melhora a forma como ele encara todo o processo.

Banner Conclinica teste app

Como ela funciona na prática?

A clínica ampliada propõe a não limitação dos pacientes às doenças que eles apresentam. Na verdade, a intenção é considerar o contexto de vida que pode ter levado ou contribuído para o desenvolvimento de um determinado quadro clínico.

Portanto, deve-se realizar o tratamento de maneira integral, permitindo que cada um participe ativamente do processo de cura. 

Então, o primeiro passo tomado pelo trabalhador da saúde é escutar os motivos que levaram o paciente a adoecer. 

Contudo, isso engloba, além dos sintomas apresentados, fatores relacionados a outros aspectos, como relações afetivas, socialização, isolamento, desemprego e todos os outros aspectos que podem iniciar ou piorar uma doença.

Então, pode-se dar início a uma discussão a respeito dos possíveis diagnósticos e tratamentos em conjunto com o paciente. Assim, levantam-se possibilidades e alternativas para cada problema.

médicos dispostos para atendimento. Imagem ilustrativa para texto Clínica ampliada.

Quando surgiu a clínica ampliada?

A clínica ampliada é uma diretriz instituída pelo Programa Nacional de Humanização da Assistência à Saúde, do Ministério da Saúde, no início dos anos 2000.

O programa também é conhecido como HumanizaSUS e trouxe diversas modificações à maneira como os profissionais da saúde deveriam encarar os atendimentos e a gestão de diversos aspectos do trabalho.

Então, foram estabelecidos 3 princípios fundamentais que direcionam essas mudanças. São eles:

  • Autonomia e protagonismo dos sujeitos atendidos;
  • Inseparabilidade entre a atenção e a gestão dos processos de produção da saúde;
  • Transversalidade.

Entenda melhor quais são os principais objetivos da clínica ampliada

Ao conhecer as diretrizes da clínica ampliada, muitas pessoas podem imaginar que essa é uma forma de desconsiderar outras formas de trabalho dentro das clínicas e consultórios médicos.

Além disso, pode-se imaginar que, seguindo esse modelo de atuação, os profissionais passariam a ter uma demanda excessiva e que extrapola as atividades essenciais.

Contudo, busca-se justamente o contrário. Afinal, o objetivo principal é integrar diferentes abordagens e incentivar a colaboração entre as áreas da saúde.

Dessa forma, realiza-se os tratamentos de forma descentralizada e com maior aderência por parte dos pacientes, que sentem que suas impressões sobre as situações são levadas em consideração.

Portanto, confira, a seguir, os eixos fundamentais da clínica ampliada segundo o Ministério da Saúde!

Compreensão ampliada do processo saúde-doença

Este eixo busca incentivar o planejamento dos tratamentos com base em dados práticos, retirados de acontecimentos vividos em situações reais de trabalho.

Portanto, trata-se de uma maneira de suavizar o recorte teórico parcialmente arbitrário sobre os fatos. Assim, corre-se menos risco de que um conhecimento específico seja privilegiado e impeça um tratamento que englobe outras áreas.

Construção compartilhada dos diagnósticos e terapêuticas

Muitas vezes, a complexidade da clínica pode provocar uma sensação de desamparo nos profissionais da saúde.

Portanto, é preciso reconhecer esse nível elevado de complexidade e a necessidade da construção compartilhada de diagnósticos e terapêuticas.

Afinal, não há necessidade de insistir em uma decisão unilateral quando a realização de processos compartilhados se mostra muito mais eficaz.

Então, essa integração leva em conta tanto a equipe de profissionais quanto os pacientes, que participarão ativamente dos processos.

Ampliação do “objeto de trabalho”

Embora muitos profissionais da saúde se especializem em um grupo definido de pacientes, doenças, habilidades ou filosofia, o objeto de trabalho em todos os casos continua sendo a pessoa.

Contudo, a fragmentação nas organizações consequente do alto grau de especialização dos profissionais — ainda que necessário — tornou distante essa concepção.

Então, isso pode acarretar em divisão das responsabilidades, como se cada um precisasse apenas “fazer a sua parte”, tratando um ponto específico e encaminhando o caso para a especialidade seguinte.

Isso causa ao paciente, na verdade, a sensação de desproteção. Afinal, ele fica trocando constantemente de profissionais que tratam apenas de quadros superficiais e sentem que as raízes dos problemas nunca são identificadas e muito menos resolvidas.

Por isso, a clínica ampliada trabalha para a mudança dessa cultura. Para que mesmo o médico mais especializado amplie o seu objeto de trabalho e continue se responsabilizando por pessoas e não por um procedimento, diagnóstico ou parte do corpo específica.

A transformação dos “meios” ou instrumentos de trabalho

Para modificar a forma de atuação em clínicas e consultórios médicos também é preciso modificar os instrumentos de trabalho utilizados. Mas, nesse caso, o foco não está nos equipamentos médicos, como estetoscópios ou bisturis, nem em exemplos mais complexos.

Na verdade, deve haver uma atualização dos sistemas de gestão, com o objetivo de possibilitar a comunicação transparente e ágil entre as equipes.

Além disso, é essencial aprimorar as habilidades de escuta e compreensão do outro e de si mesmo.

atendimento de paciente em Clínica ampliada.

Suporte para os profissionais de saúde

Os profissionais da saúde atuam cuidando de outras pessoas, mas quem cuida dos profissionais da saúde? Muitas vezes, o ambiente clínico pode ser pesado, afinal, trabalha-se com assuntos delicados e realidades difíceis.

Também é importante ressaltar que a redução do objeto de trabalho em especialidades muito individuais também dificulta o compartilhamento de dificuldades em um coletivo. Como consequência, há um isolamento e a tentativa de não lidar com a própria dor.

Por isso, é fundamental criar formas de oferecer suporte aos profissionais da saúde para que lidem melhor com as situações difíceis causadas por questões ocupacionais e pessoais.

Sendo assim, o ponto principal é se libertar dos conceitos de “neutralidade” e “não envolvimento” que muitos sentem como obrigação quando o assunto são as próprias questões.

A maior parte das dificuldades geradas pelo trabalho nesse ambiente vem de fatores como:

  • Os próprios processos de trabalho;
  • Equipes pouco solidárias entre si e com muitos conflitos;
  • Dificuldade de visualizar resultados graças à fragmentação do tratamento.

Vantagens da clínica ampliada: compreenda os prós do modelo

A clínica ampliada traz diversos benefícios, tanto para os médicos quanto para os pacientes. Isso porque, como você viu, os pacientes recebem um atendimento mais completo, que envolve questões que vão além dos sintomas apresentados.

Por outro lado, os profissionais da saúde contam com uma rede de apoio maior, tanto para a construção dos diagnósticos e tratamentos quanto para lidarem com questões pessoais relacionadas ao trabalho ou não.

Entenda melhor os benefícios para cada uma das partes!

Para os pacientes

Com a clínica ampliada, os pacientes têm a possibilidade de melhorar a saúde de forma geral, e não apenas tratar uma questão específica. Afinal, com a busca mais detalhada sobre a origem dos problemas, é possível descobrir outros pontos que precisam de cuidados.

Além disso, eles passam a contar com a atenção de uma equipe multidisciplinar. Ou seja, que abrange mais de uma área do conhecimento, aumentando as chances dos tratamentos serem efetivos.

Para os médicos

Por outro lado, a mesma equipe multidisciplinar que cuida melhor dos pacientes também garante aos médicos uma estrutura mais receptiva à resposta de dúvidas e contribuições com diagnósticos e elaboração de tratamentos.

Dessa forma, constrói-se um ambiente mais colaborativo em que todos trabalham com o mesmo objetivo: oferecer o melhor atendimento ao paciente, solucionando as questões de maneira abrangente por meio de uma relação humanizada.

Como ter uma clínica ampliada?

Agora você já conhece os objetivos principais da clínica ampliada e as vantagens obtidas pelos profissionais da saúde e pelos pacientes. Mas, afinal, como atuar seguindo esse modelo?

Confira o passo a passo a seguir!

Monte uma equipe multidisciplinar

É importante ressaltar que, além da maior autonomia dada àqueles que procuram ou precisam de um tratamento, todo o processo deve ser realizado de maneira multidisciplinar.

Portanto, os médicos devem contar com o auxílio de outros profissionais da saúde, como psicólogos, psiquiatras, fisioterapeutas, professores de educação física, nutricionistas, entre outros.

Dessa forma, será possível construir uma alternativa terapêutica que inclua ações individuais e coletivas.

Então, como exemplo, é possível pensar em um paciente com dores articulares e problemas cardiovasculares causados por sobrepeso. 

Trata-se de um caso clínico que necessita do auxílio de um nutricionista e um educador físico. Assim, haverá maneiras de trabalhar não apenas na diminuição dos sintomas, mas na causa dos problemas.

Trabalhe com a escuta ativa

A escuta ativa é uma das principais habilidades desenvolvidas para obter os resultados desejados com a clínica ampliada. 

Isso quer dizer que os profissionais não estarão presentes apenas para anotar sintomas, para realmente entender as dores do paciente e deixá-lo mais à vontade. 

Assim, eles estarão mais propensos a não esconder nenhuma informação e aceitar melhor os conselhos e recomendações. Afinal, sentirão que estão participando do processo e não apenas recebendo ordens.

Dessa forma, é possível elevar significativamente a qualidade do serviço prestado e estabelecer uma conexão genuína com aqueles que estão sendo atendidos.

Dialogue abertamente com o paciente

Muitas vezes, o desenvolvimento de um quadro clínico está ligado a fatores pessoais que não são levados em consideração na maioria dos atendimentos médicos.

Portanto, é possível considerarmos, como exemplo, um dos transtornos mais comuns em toda a sociedade contemporânea: a ansiedade. Além do desconforto gerado diretamente por ela, muitos outros problemas podem aparecer como consequência.

Então, ela pode desencadear transtornos alimentares, isolamento social, problemas na vida profissional, depressão, sedentarismo e muitos outros quadros. 

Por isso, é fundamental investigar aspectos mais abrangentes da vida dos pacientes em busca da origem dos problemas.

paciente sendo atendido.

Foque na autonomia do paciente

Ao longo do tempo, a medicina evoluiu até um ponto em que os atendimentos se tornaram, basicamente, aplicações de procedimentos técnicos para resolver questões evidentes ou urgentes.

Contudo, esse tipo de abordagem tira autonomia do paciente e subestima a capacidade de fazer julgamentos sobre a própria saúde. 

É claro que não devemos confiar apenas em nossas intuições, pois nada se compara à conclusão médica baseada em formações acadêmicas, experiências clínicas e realização de exames.

Mas é importante levar em consideração o ambiente social e econômico em que cada pessoa está inserida, incluindo suas crenças, opiniões e características próprias. 

Dessa forma, elas deixam de ocupar o lugar de simples espectadores e passam a entender e participar do que está acontecendo.

Afinal, ao tomar um medicamento, por exemplo, é importante que você saiba, ao menos, como ele vai atuar no seu organismo. E isso não quer dizer que você vai contrariar as recomendações médicas.

Conheça soluções do Conclínica

A clínica ampliada envolve a construção de uma equipe multidisciplinar formada por diferentes tipos de profissionais. Com isso, é possível realizar exames mais precisos e elaborar terapêuticas mais completas.

Mas, para isso, as clínicas e consultórios devem contar com sistemas de gestão que possibilitem a comunicação transversal entre as equipes, otimizando o tempo, os recursos financeiros e a agenda médica na rotina.

Por isso, a Conclínica oferece diversas funcionalidades desenvolvidas especialmente para otimizar todas as áreas dos empreendimentos da área da saúde. 

Entre elas, estão o prontuário eletrônico, chat interno, mobilidade de acesso a partir da nuvem, sistema de laudos e exames online e muito mais.

E se você quiser conferir outras formas de melhorar a experiência dos seus pacientes, continue no Blog da Conclínica!

Compartilhe em suas redes sociais