A Importância Da Guia TISS e Como Preencher no Padrão da ANS

A Guia TISS é uma forma de descrever o atendimento de médicos feito em beneficiários de planos de saúde. Ela é produzida e enviada ao plano pelo próprio profissional e/ou sua clínica. Neste artigo você saberá da sua importância e as principais formas de preencher o documento. 

Leia sobre:

 

  • o que é o TISS e a ANS;
  • quais são os tipos de Guia TISS;
  • como preencher a Guia TISS no padrão.

O que é o TISS e a ANS?

TISS é a sigla para Troca de Informações na Saúde Suplementar, um padrão para registro de informações entre clínicas, hospitais e consultórios médicos e planos de saúde. Já a ANS é a sigla para Agência Nacional de Saúde Suplementar, reguladora responsável pelo setor de planos de saúde e vinculada ao Ministério da Saúde.

Os principais objetivos do TISS são:

  • padronizar ações administrativas de instituições e planos de saúde;
  • dar suporte em atividades de avaliação, assim como acompanhamento econômico das operadoras de plano de saúde (RES).

A TISS foi oficialmente implementada em 2012 por meio da Resolução Normativa Nº 305 e levou a uma estruturação padronizada de guias, com campos que devem ser preenchidos e faturados de maneira eletrônica.

O padrão é obrigatório por lei, mas esse não é o único motivo pelo qual as clínicas médicas devem segui-lo. Dentre outras vantagens estão:

  • padronização de coleta e análise de dados;
  • maior conhecimento sobre a saúde suplementar;
  • elimina a necessidade de papel no dia a dia;
  • comunicação e autorização de procedimentos mais ágeis;
  • menor risco de erros e fraudes.

Quais são os tipos de Guia TISS

Existem diferentes modelos de guias TISS e, para fazer o preenchimento correto delas, é preciso conhecer esses tipos. Veja a seguir.

Guias de consulta

São as guias usadas em clínicas e consultórios médicos para o faturamento das consultas realizadas por beneficiários de planos de saúde, não apenas ambulatoriais e hospitalares, mas também consultas a outros tipos de profissionais da saúde, como fonoaudiólogos e psicólogos. 

Nesse tipo de Guia TISS, é preciso descrever:

Guias de honorário individual

Usadas para realizar o faturamento dos serviços de auxílio fornecidos por um profissional de saúde que participou de um procedimento, como auxílio em cirurgias, anestesistas e pediatras presentes em partos. 

Guias de resumo de internação

Essas guias são voltadas para procedimentos complexos que tiveram necessidade de internação hospitalar do paciente. Geralmente, o faturamento nesse caso pode ser feito com apenas uma guia, mas, caso a internação do paciente ultrapasse o período de 30 dias, a cobrança poderá ser parcial. 

Guias de Recurso de Glosa

Uma guia obrigatória entre operadoras e prestadores de serviços de saúde, este tipo de documento serve para que os processos de glosa (faturamentos não recebidos ou recusados) sejam padronizados para troca eletrônica.

Guias de demais despesa

Servem para complementar demais tipos de Guia TISS, por isso, não podem ser faturadas sozinhas. Ela serve para autorizar a cobrança de despesas adicionais como materiais e medicamentos usados nos procedimentos médicos.

 

Como preencher a Guia TISS no padrão?

O padrão da ANS para preenchimento da Guia TISS é constantemente atualizado, sendo a última atualização divulgada no site da Agência Nacional de Saúde Suplementar em fevereiro de 2020. 

O padrão TISS é dividido em três partes, sendo elas:

  1. representação de conceitos: conjunto padronizado de terminologias, códigos e descrições utilizados pela TISS;
  2. conteúdo e estrutura: guias e demonstrativos utilizados pelo setor de saúde suplementar, padronizando campos, formatos e regras de preenchimento;
  3. comunicação: transações eletrônicas, incluindo as regras de comunicação e segurança, entre os sistemas de informação das operadoras de plano de saúde e os sistemas de informações dos prestadores de serviços.

A seguir, você verá as principais orientações para fazer esse preenchimento da maneira correta. 

Formato de apresentação

A maneira como os dados são apresentados é pela lista de mensagens, no  layout dos formulários e suas respectivas legendas. Além disso, eles devem estar em forma de arquivos de schemas XML e descritores WSDL (úteis para a validação de arquivos trocados de forma eletrônica). 

Legendas

As  legendas devem conter os seguintes itens:

  • nome do termo, para identificação do mesmo no padrão TISS; 
  • número do campo na guia, para identificar a posição do termo na guia em papel; 
  • nome do campo na guia, para identificar a forma que está impressa a identificação do termo na guia em papel.

No espaço “descrição do termo na legenda”, deve ser incluído o significado do termo utilizado, assim como a condição de preenchimento identifica como  conteúdo do termo deverá ser informado na guia.

O preenchimento da legenda pode se apresentar no layout como obrigatório, condicional ou opcional.

Tipos de dados, formato e tamanho

O tipo de dado é o que vai informar se o termo escolhido é representado por um campo de data ou hora. Já o tamanho descrito no layout é a quantidade máxima de dígitos/caracteres para a representação do dado.

O  formato diz a maneira com que os dados devem ser representados, por exemplo em caso de datas: DDMMAA (dia, mês e ano). 

Agora que você já sabe melhor sobre a função e como preencher uma Guia TISS, confira o artigo como credenciar meu consultório a um plano de saúde no blog do Conclínica!


Prontuário Médico Eletrônico: 3 Formas de Organização de Arquivos com Eficiência

2525O prontuário médico eletrônico é uma espécie de documentação digital. Nele, são armazenados os dados e informações de um paciente com o objetivo de tornar o atendimento mais eficaz e assertivo. Devido a sua extrema importância, neste artigo, vamos explicar:

  • por que organizar os prontuários médicos é importante;
  • como são organizadas as informações dos pacientes com um sistema de prontuário médico eletrônico;
  • como otimizar agora o arquivamento dos prontuários da sua clínica.

Por que organizar os prontuários médicos é importante?

Prontuários são documentos que reúnem informações médicas referentes a um paciente, como laudos de exames, atestados, prescrições e tratamentos pelos quais ele passou.

O objetivo é ter uma referência para os profissionais de saúde darem continuidade a um tratamento médico. Por isso, sua elaboração e organização é de extrema importância, uma vez que será utilizado para uma conduta terapêutica assertiva.

E não apenas isso, esses prontuários são de grande valia para instituições médicas por servirem como documentos de referência para questões administrativas, financeiras e jurídicas para clínicas.

A seguir, você vai saber as principais formas de organizar essa documentação e entender por que o prontuário médico eletrônico é a melhor opção para isso.

Como são organizadas as informações dos pacientes com um sistema de prontuário médico eletrônico?

Veja, a seguir, as principais formas de organizar essas informações clínicas e como a função da plataforma Conclínica torna tudo mais simples:

1. Padronização de arquivos

Para a otimização de fluxo e eficácia no dia a dia de qualquer clínica médica, seja qual for a especialidade, a padronização de toda a documentação, assim como seu arquivamento, é essencial.

Por isso, a orientação é manter o conteúdo padronizado desde sua criação até seu arquivamento. O preenchimento de informações essenciais também se faz necessário como:

  • dados do paciente;
  • anamneses;
  • exames;
  • hipóteses de diagnósticos;
  • diagnósticos definitivos;
  • tratamentos;
  • cirurgias;
    etc.

Ter tudo isso apontado com clareza nos arquivos é importante, e essa é uma das vantagens do prontuário médico eletrônico. Neste recurso disponibilizado no Conclínica, o profissional terá:

  • campos de preenchimento personalizável: além dos espaços obrigatórios de um prontuário, com o sistema da plataforma Conclínica é possível incluir áreas customizadas para cada paciente. Isso permite que o médico adicione informações da melhor maneira, com os destaques e detalhes mais importantes especificamente para sua clínica;
  • total legibilidade: se as informações descritas nos prontuários não estiverem claras, como pode ocorrer em documentos em papel, o arquivamento e uso dessas informações se torna difícil. Mas com o sistema de prontuário médico eletrônico do Conclínica, tudo é preenchido digitalmente e os dados ficam, além de padronizados, totalmente compreensíveis.

2. Integração de dados

A organização dos prontuários médicos deve estar alinhada também a outros sistemas. Como falamos, esse documento tem valia administrativa e até financeira para clínicas médicas, uma vez que armazena toda a trajetória médica do paciente.

Neste sentido, o recurso de prontuário médico eletrônico do Conclínica se faz altamente eficaz, integrando não só dados cadastrais do paciente (referente a cobranças, atendimentos, etc), mas também outros sistemas como:

  • agenda: imagine a situação onde um paciente está fazendo um acompanhamento médico e, além de retornos a consultas, precisa fazer diversos exames e tratamentos em um determinado período de tempo. Um prontuário médico eletrônico interligado a agenda desse paciente melhorará a qualidade do atendimento, uma vez que o agendamento de todos os procedimentos será melhor gerenciado e mais confortável para ele;
  • telemedicina: essa é outra forma que a integração facilita na organização dos arquivos médicos. No recurso do Conclínica, por exemplo, é permitido acessar laudos facilmente, tornando o atendimento a distância mais otimizado e diminuindo a possibilidade de trocas de exames, por exemplo.

3. Armazenamento seguro

A eficácia da organização desses arquivos médicos não pode ser considerada 100% se a segurança das informações ali dispostas for falha. Por essa razão, é importante que a clínica evite o tradicional armazenamento analógico, com pastas e papéis impressos guardados em armários, e passe a aderir a tecnologia.

Com o recurso de prontuário médico eletrônico do Conclínica, todos os prontuários podem ser armazenados em nuvem oferecendo:

  • possibilidade de backup;
  • segurança dos dados dos pacientes;
  • salvamento diário de novas informações inclusas;
  • fácil acesso.

Como otimizar agora o arquivamento dos prontuários da sua clínica

Agora que você já pôde entender que um sistema de prontuários médico eletrônico otimiza o fluxo de trabalho facilitando a organização e eficácia das atividades de todos os profissionais da sua clínica, não espere mais para adotar esse sistema.

A plataforma Conclínica oferece não apenas o recurso de laudos eletrônicos disponibilizados em nuvem para acesso exclusivo também dos pacientes, mas assim como funcionalidades para elaboração e administração de laudos e exames, controle financeiro, relatórios, estoque e mais.

Entre em contato conosco pelo WhatsApp!


Como um sistema de controle financeiro pode ajudar sua clínica ou consultório

Ter um bom controle financeiro é a chave para manter qualquer negócio vivo. Isso não é diferente com clínicas ou consultórios.

Mas como fazer isso quando os médicos que se dedicam a empreender e abrir o seu próprio espaço de saúde não são ensinados na faculdade? Gerir uma clínica, e ainda por cima garantir um atendimento de qualidade, é uma tarefa difícil para apenas uma pessoa. 

Nessas horas um software médico que ofereça um sistema de controle financeiro pode vir a ser de grande ajuda. Dessa forma, o profissional de saúde pode organizar a gestão da sua clínica e consultório com alguns poucos cliques, e ter total controle de caixa dentro de sua rotina diária.

Quer saber como um sistema de controle financeiro pode ser essencial para o fluxo de caixa e organização das finanças do seu estabelecimento de saúde? Continue lendo.

Qual é a importância de ter um bom controle financeiro em sua clínica?

A maioria dos estabelecimentos que fecham suas portas, clínicas e consultórios também, são devido à uma administração financeira ruim ou ineficiente. 

Falando especificamente do campo médico, muitos profissionais de saúde não se vêem como gestores, o que torna ver a importância de uma boa gestão financeira uma tarefa bastante complicada.

O que é importante ter em mente é que um bom controle financeiro traz inúmeros benefícios ao seu negócio. Aprender a ver onde sua clínica está gastando mais, cortar o que é desnecessário e investir em melhorias quando for  preciso são só os benefícios mais evidentes. Além de, à longo prazo, acabar refletindo na atração e fidelização de novos pacientes.

Mas sua prioridade com a clínica é cuidar de pacientes e salvar vidas, não é? Por isso usar de um sistema de controle financeiro é perfeito. Com um software de gestão para clínicas e consultórios que disponibiliza essa funcionalidade, você passará a ter um financeiro mais eficiente, gerando relatórios fáceis de serem entendidos, mostrando um quadro geral do fluxo de caixa do estabelecimento de saúde.

Por exemplo, a funcionalidade de Controle Financeiro do Conclínica, além de facilitar a sua gestão, oferece:

  • Um melhor controle organizacional em cima das contas que precisam ser pagas e recebidas;
  • Fácil gestão em cima de glosas, repasses médicos e da tesouraria;
  • Organização de caixa para futuro investimento, férias de funcionários e reserva para emergências;
  • Permite ver quais áreas estão dando maior retorno ou menos rendimento, o que ajuda em sua estratégia comercial.

Um ótimo case que temos é o da Dra. Maria Cláudia Camargo, que nos contou que ao utilizar o Conclínica para ter uma melhor organização e facilidade em sua gestão, obteve um enorme benefício com o sistema de controle financeiro. Passando a ver, facilmente, onde gastava, quanto faturava e em que setores precisava economizar.

Com o Conclínica ao seu lado, você pode traçar estratégias para tornar sua clínica mais rentável de forma organizada. Projetando metas, acompanhando e alcançando resultados com as informações que o software disponibiliza.

Leia Também:

Como funciona o sistema de controle financeiro do Conclínica 

A funcionalidade “Controle Financeiro” pode ser facilmente configurada para o uso imediato. Preparamos esse passo a passo, em vídeo e textual, mostrando como o sistema de controle financeiro funciona e o que a ferramenta oferece. Confira o vídeo abaixo:

https://youtu.be/Co7eAu_rhrI

Para acessar a funcionalidade, basta clicar no cifrão ($) na barra lateral à esquerda da tela. Agora que você está na aba de Controle Financeiro, você verá 5 opções que irão ajudá-lo a organizar as finanças da sua clínica ou consultório.

  • Tesouraria
  • Contas a pagar
  • Contas a receber
  • Notas fiscais
  • Cadastros

Tesouraria

O sistema de controle financeiro permite que você espelhe suas contas bancárias e registre todas as movimentações para um controle das suas finanças em tempo real

Na tela inicial você terá uma rápida visão da situação atual das suas contas, visualizando as movimentações que aconteceram no dia. Elas são separadas em três tipos de movimentação:

  • Simples;
  • Quitação;
  • Transferência.

Cada uma com uma cor diferente, para facilitar a visualização e entendimento. Além do seu saldo atual no canto inferior direito da tela.

Na tela de Tesouraria você também pode registrar as suas operações diárias de:

Basta acessar a opção que deseja, no canto superior direito, preencher os dados na nova tela e salvar as informações. Lembre-se de preencher as informações de forma correta, para um controle mais preciso de seus gastos e lucros.

Para casos de compensação em cheque, basta clicar na opção. Além de outras ações como visualização, editar a informação inserida e gerar notas fiscais.

Contas a Pagar

Registre suas contas a pagar para manter o controle dos seus gastos. O menu tem fácil visualização e pode ser configurado rapidamente, como você pode ver na tela a seguir:

Para inserir uma nova conta, basta acessar a opção “Novo Lançamento”, no canto superior direito da tela, preencher todas as informações para cadastro e salvar. Contas que possuem periodicidade recorrente (como luz e o aluguel da sala, por exemplo) também podem ser registradas. Só precisa preencher o campo “data limite” no cadastro.

Assim como na aba “Tesouraria”, suas contas a pagar também são separadas em três opções, que podem ser filtradas para facilitar sua operação. São elas:

  • Atrasadas;
  • Pagas;
  • Em aberto.

Cada uma com cores diferentes e seus respectivos valores. Além de constar o valor total a ser pago no determinado período, editar, excluir e confirmar o pagamento de cada conta.

Contas a Receber

Nessa tela é onde você controla as contas que você irá receber. Os pagamentos inseridos como “Novo Crédito” na Tesouraria, aparecerão automaticamente neste menu, assim como também é possível incluir novos. Basta clicar na opção “Novo Lançamento”, como mostra a tela abaixo:

Essa tela é muito similar com a de “Contas a Pagar”, também separando suas receitas em três opções:

  • Atrasado;
  • Parcialmente recebido;
  • Em aberto.

Cada uma separada por cor e possível de ser filtrada. Além de mostrar o valor total a ser recebido no período, no canto inferior direito.

Notas Fiscais

O sistema de controle financeiro do Conclinica disponibiliza esse menu para uma maior praticidade, sendo possível integrar com o sistema de nota fiscal eletrônica da sua região. Tornando seu envio e emissão mais rápido.

A plataforma permite que você emita notas para pessoa física (CPF) e jurídica (CNPJ). Basta se cadastrar sua empresa com as seguintes informações:

  • CNPJ;
  • Tipo de serviço prestado;
  • Percentual ISS.

Caso ainda não possua cadastro, nós criamos esse conteúdo para ajudá-lo a cadastrar sua empresa. E também temos um passo a passo para configurar, cadastrar e emitir notas fiscais.

Cadastros

Nesta opção você pode cadastrar todos os tipos de gastos que seu espaço de saúde possui. O sistema de controle financeiro do Conclínica permite que você separe seus gastos em categorias e grupos, como:

  • Contas;
  • Funcionários;
  • Despesas de procedimentos realizados;
  • Fornecedores;
  • Regras de repasse;
  • Centros de custo.

O vídeo abaixo detalha como cada opção abre uma possibilidade para uma melhor organização financeira da sua clínica ou consultório:

https://youtu.be/oB_fVgPJdKU

O sistema de controle financeiro do Conclínica foi desenvolvido para ser de fácil manuseio, intuitivo e prático para não tomar muito tempo da sua rotina diária. Além de contar com uma equipe de suporte à sua disposição para ajudá-lo a todo o instante, em horário comercial.

O Conclínica também conta com uma série de funcionalidades incríveis para ajudá-lo a gerenciar seu estabelecimento de saúde. Que tal realizar um teste grátis e dar esse passo em rumo à uma gestão mais prática, rápida e simples em seu espaço de saúde?


Como cuidar do fluxo de caixa da sua clínica em tempos de pandemia

Dentre as muitas coisas para dar atenção em uma clínica, planejar, manter e cuidar da saúde financeira dela está entre os principais cuidados. Principalmente se você quer vê-la crescer e prosperar. Mas com a pandemia causada pelo novo coronavírus, essa atenção deve ser redobrada.

Isso porque o fluxo de caixa de muitos setores da economia do país foi severamente afetado durante esse período. Com clínicas e consultórios não foi diferente. Agora é o momento para rever as finanças e resolver os problemas causados pela falta de atendimento.

Para diminuir o impacto da crise em sua clínica, vamos dar dicas de como cuidar do fluxo de caixa para mantê-la viva e se recuperar durante esse período.

Como manter a gestão financeira da sua clínica durante a pandemia

A crise causada pelo novo coronavírus provocou uma grande mudança na forma de tocar os negócios. Ter um bom controle financeiro é essencial para saber a condição do caixa nesse momento, para tomar decisões mais assertivas no futuro.

Faça um comparativo com sua situação antes da pandemia

Uma boa forma de começar a cuidar do seu fluxo de caixa é rever todos os custos que você tinha antes da pandemia, e compará-los com o momento atual. Faça a si mesmo as seguintes perguntas:

  • Quanto era o meu gasto mensal antes da pandemia?
  • Quanto estará agora?
  • Qual era o lucro da clínica antes?
  • Qual é agora?

Isso irá ajudar a decidir os próximos passos de forma mais assertiva.

Reveja seus custos

Rever seus custos durante esse período ajuda a ter um melhor controle de caixa. É importante montar uma estratégia visando manter os gastos controlados. Desde que, claro, não venha a prejudicar o nível do atendimento das consultas, ferramentas médicas e tecnologias que auxiliam sua gestão e serviços.

Alinhe seu planejamento financeiro mensal às suas expectativas

Um bom planejamento financeiro ajuda a mensurar seu caixa. Ter consciência do frágil momento atual é ideal para dar uma visão mais segura e embasada às decisões para o seu consultório. Por isso é importante alinhar o financeiro do seu espaço de saúde à suas expectativas.

Sua capacidade de projetar seus passos futuros para superar os desafios e dificuldades que podem se apresentar durante esse período, serão fundamentais para colocar sua clínica novamente em uma situação estável e sem apertos.

Acompanhe o movimento do caixa

Uma das dicas para fazer um controle de caixa que passamos foi “registrar as transações financeiras da clínica”. Nesse momento, essa dica passa a ser ainda mais importante. 

Manter esse rigoroso controle financeiro do que entra e sai da sua clínica não só irá ajudar a saber se você terá lucro no fim do mês, mas no próprio planejamento financeiro futuro. Assim, você sabe exatamente onde investir dinheiro e onde pode cortar despesas.

Com um software médico é possível gerar relatórios detalhados do fluxo de caixa da clínica, e ter um controle mais preciso.

Siga separando suas contas pessoais das do consultório

Outra dica que vale a pena ser lembrada. Ao misturar suas contas pessoais com as da clínica, você perde a real dimensão do controle financeiro do espaço de saúde, e onde está o problema. Logo, não consegue solucioná-lo.

Não saber mensurar as despesas e receitas torna essa situação, que já é bastante frágil, em uma muito mais complicada.

Use da Telemedicina

O volume de pacientes presenciais ainda deve ser limitado durante esse período. Muitos nem podem ir até o consultório por fazerem parte do grupo de risco. Uma boa solução para atender à distância de forma segura e eficiente é usando a Telemedicina.

Com o uso da funcionalidade, é possível manter seus atendimentos disponíveis, respeitando o isolamento social e mantendo sua rentabilidade. Vantagem para todos.

Além disso, o uso da Telemedicina pode ser estendido para muito além do atendimento durante a quarentena. Mas também para atender de qualquer lugar em situações de emergência, sempre que necessário. Mantendo forte a relação médico-paciente.

Leia Também:

Utilize as reservas financeiras da clínica

Lembra da dica sobre “manter uma reserva para situações de emergência”? Pois essa ocasião pode vir a ser uma dessas. Afinal, cortar despesas e negociar pagamentos ajudam muito, mas podem não ser o bastante.

Com um bom planejamento financeiro previamente executado, é possível usar dessa reserva de capital de giro para alguma emergência. Use da melhor forma para manter a clínica ativa até tudo retornar à normalidade.

Use de um software médico

Nessas horas, um software médico para clínicas e consultórios fornece uma grande ajuda para automatizar sua gestão e ter um fluxo de caixa mais preciso. Como o Conclínica, que possui a funcionalidade de controle financeiro. Que permite:

  • Organizar suas glosas e repasses médicos, por exemplo, para uma gestão mais fluída;
  • visualização exata de quais contas já foram ou serão pagas, e suas datas de vencimento;
  • Estruturar seu financeiro para criar reservas para futuros investimentos.

Também é possível atender à distância usando da Telemedicina. Além de outras funcionalidades importantes para a gestão médica, como prontuário eletrônico e sistema de agendamento médico.

Veja o depoimento da Dra. Maria Cláudia Camargo sobre como as funcionalidades do Conclínica ajudaram a aumentar a produtividade em sua clínica dermatológica.

Gostou do conteúdo? Compartilhe com colegas médicos que precisam dessas e outras dicas disponíveis aqui no blog.


Como fazer um controle de caixa na sua clínica ou consultório? Confiram 6 dicas práticas

O sonho de abrir a própria clínica é importante para o médico. Ter o seu próprio espaço e vê-lo crescer aos poucos até atingir a estabilidade financeira é o objetivo de muitos profissionais de saúde.

Mas para manter esse sonho vivo, e prosperando, é preciso dar uma atenção especial ao seu fluxo de caixa. Coisa que muitos não dão por não terem sido preparados para lidar com os aspectos financeiros de gerenciar um estabelecimento de saúde. 

Por isso vamos explicar a importância de manter um controle de caixa na sua clínica e dar 6 dicas para tornar sua gestão mais eficiente. 

Quer saber mais? Continue lendo.

O que é fluxo de caixa?

Antes vamos entender o que é um fluxo de caixa. Nada mais é do que uma simples e eficiente forma de descrever a movimentação financeira da empresa (no caso, sua clínica ou consultório) durante um determinado período. Seja mensal ou quinzenal.

O objetivo de ter um controle do fluxo de caixa é organizar os gastos e recebimentos que sua clínica possui. Implementado de forma correta, o controle de caixa se torna um aliado na tomada de decisões do médico, para investir em algum diferencial para o consultório ou quando poupar, ou até mesmo cortar despesas.

Hoje um sistema de gestão online já atua com a funcionalidade de controle financeiro, para ajudar o médico a ter um controle de entrada e saída dos gastos e ganhos do estabelecimento de forma organizada e fluída.

Quais as vantagens de organizar o fluxo de caixa da sua clínica?

Sabendo quanto de dinheiro entra e sai da clínica, é possível calcular o saldo para ter um olhar mais estratégico para a gestão do estabelecimento. Claro, desde que esse valor sempre se mantenha no positivo, para futuramente:

  • Avaliar possibilidades de investimentos;
  • Reajustar salários de funcionários;
  • Organizar compra de insumos e novos equipamentos;
  • Planejar expandir suas atividades.

Um fluxo de caixa também ajuda em saber exatamente quanto custa manter a clínica aberta, e se esse saldo é o bastante para cobrir seus custos e gerar lucros.

Como fazer um controle de caixa da sua clínica?

Há duas formas de como criar um fluxo de caixa no seu estabelecimento, a manual e a digital. Na manual, pode-se usar Livros-Caixa para registrar todas as entradas e gastos. É eficiente, mas acaba se tornando muito repetitivo.

O processo digital ajuda a criar previsões de gastos e entradas financeiras. É possível fazer gráficos e ver relatórios mensais para entender com muito mais facilidade o que está acontecendo na saúde financeira do seu consultório.

Mas antes é importante conhecer um conceito básico de contabilidade, chamado Regime de Caixa.

No Regime de Caixa você reconhece todos os:

  • gastos: tudo com que você gaste dinheiro na clínica, como parcelas de equipamentos, compras de insumos, etc;
  • recebimentos: todos os pagamentos feitos a você por pacientes, repasse de convênios, etc;

Assim como despesas referentes à sua conta no momento em que há alguma movimentação financeira.

Agora que explicamos o que é fluxo de caixa e sua vantagem, vamos passar 6 dicas para organizar o financeiro da sua clínica da melhor forma:

Separe suas contas pessoais das contas do consultório

Essa é uma dica essencial para organizar seu caixa, e um erro básico cometido por muitos. Separar suas finanças pessoais e as do consultório evita que você misture seus gastos, o que pode levar a pensar que seu negócio está no vermelho, quando na verdade podem ser suas contas pessoais.

Lembre-se: além de ser responsável pela sua saúde financeira, você também é responsável pela saúde da sua clínica. Então misturar ambas as contas, além de não ser profissional, não tem como dar certo.

Prepare um bom planejamento financeiro

O primeiro passo rumo a um fluxo de caixa organizado é ter um bom planejamento. Afinal, somente assim você terá certeza do quanto está entrando e saindo das finanças da clínica de modo preciso.

Para isso, separe as todas as entradas e saídas do dinheiro de caixa da sua clínica. Assim você consegue saber de onde vem seus maiores custos. Você pode separar como:

  • Custos Fixos: despesas que se não se alteram ou alteram muito pouco, como luz, aluguel da sala, água, etc;
  • Custos Variáveis: São gastos que variam de acordo com o movimento de pacientes na clínica. Também incluem insumos, como luvas, gazes, materiais descartáveis, etc.

Para facilitar sua visualização e controle, procure separar os gastos da clínica em setores. Por exemplo, ao listar “Recepção” separe todos os gastos que você possui com este setor, como compra de papel, tinta de impressora, salário do profissional, etc. 

Dessa forma sua visão de onde você precisa investir ou reter gastos na clínica será muito mais assertiva.

Registre todas as movimentações financeiras

Pode parecer óbvio, mas é extremamente importante. Para fazer um bom fluxo de caixa mensal em sua clínica, é preciso ter controle total sobre tudo que está acontecendo financeiramente nela.

Registre cada entrada e saída de dinheiro do caixa, anote tudo. Conte com a ajuda de um contador experiente ou dos funcionários da recepção para isso. Até mesmo, para tornar o trabalho de todos mais fácil, intuitivo e prático, conte com a ajuda de ferramentas como planilhas ou um sistema de gestão online para clínicas e consultórios.

É necessário que esse registro seja diário e feito com o máximo de atenção. Deve incluir absolutamente todos os gastos, desde materiais médicos até a água para o bebedouro. Com essa análise, é possível saber quais procedimentos da clínica são mais rentáveis e quais planos de saúde são os mais usados, por exemplo. E focar seus esforços neles.

Use o seu fluxo de caixa para fazer projeções e previsões

Agora que você sabe como fazer um controle de caixa, é importante começar a pensar em como será no futuro. Fazer projeções e previsões também são partes necessárias de manter um fluxo de caixa.

Ao saber quanto exatamente entra e sai da clínica, e as datas exatas dessas operações, você consegue prever quanto terá de caixa para os meses seguintes.  Informação que é útil para:

  • negociar prazos de contas a pagar, para evitar começar o mês com dívidas;
  • antecipar possíveis necessidades prevendo gastos futuros, assim você pode economizar com antecedência, evitando ser pego desprevenido e tenha que recorrer a empréstimos bancários.

Com esse planejamento para o futuro você passa a ter inteligência para:

  • Saber se precisa aumentar a quantidade de consultas;
  • reduzir ou aumentar atendimentos por convênios;
  • planejar férias;
  • mudar datas de grandes pagamentos para não coincidirem.

São pequenas coisas que podem ser de grande valia para a saúde financeira do seu consultório.

Crie uma reserva financeira

Outra dica essencial para a sobrevivência da sua clínica. Imprevistos acontecem no dia a dia. Um encanamento pode estourar no banheiro, algum vazamento que manche sua parede, etc. Para casos repentinos assim, é dessa reserva que virá a solução.

Não só para emergências desse tipo. Pode acontecer de, por exemplo, determinado mês seu atendimento sofrer uma queda brusca. infelizmente, tais acontecimentos são naturais em todo o tipo de mercado. Em outras palavras, esteja preparado para essas eventualidades.

Crie uma meta para reservar mensalmente uma quantia para um fundo de emergência. Assim você evita ser pego desprevenido.

Tenha a ajuda de um software médico para clínicas 

Uma última dica muito importante. Use a tecnologia de um software médico online para tornar sua movimentação financeira muito mais fácil e assertiva, centralizando todas as informações importantes em um único lugar. 

Por exemplo o Conclínica conta com a funcionalidade “Controle Financeiro , que oferece uma ampla e completa visão das finanças da clínica, organizando suas receitas e despesas para evitar gastos desnecessários e fornecendo relatórios completos e detalhados. Além de outras funcionalidades que ajudam a gerenciar sua clínica, como agendamento médico e Prontuário eletrônico. 

Por que não aproveita para fazer um teste grátis e conhecer mais do sistema?

Agora que você tem dicas essenciais, é hora de colocar a mão na massa e organizar o fluxo de caixa do seu consultório. Nada de deixar para depois. E conte com o Conclínica para ajudá-lo nessa tarefa.


Atendimento Humanizado: o que é e como pode ajudar sua clínica

Embora o atendimento médico seja essencial para o tratamento do paciente, é muito importante que haja uma interação entre ambos. Sua qualidade depende dessa conexão estabelecida no primeiro contato.

E nesse sentido, muito se fala que os médicos na área da saúde devem adotar um atendimento humanizado para com seus pacientes. Lembrar que aquela é uma pessoa em um estado de enfermidade, buscando ajuda. Portanto é fundamental que ele seja atendido da melhor forma possível.

Mas o que vem a ser exatamente o atendimento humanizado? E que tipo de benefícios ele pode trazer à minha clínica médica?

Para saber por que ele é tão importante, continue lendo.

O que é atendimento humanizado?

Atendimento humanizado trata-se de práticas e recursos com o intuito de ampliar o relacionamento médico-paciente. Parece meio óbvio, mas entender o sofrimento de quem está sendo atendido, e incluir o enfermo no seu tratamento, ouvindo suas opiniões, passa a ser de suma importância.

Para a humanização na saúde é essencial ir além de simplesmente tratar o paciente com o seu conhecimento técnico. Deve-se lidar com a ética de lidar com outro ser humano durante o atendimento. O tratamento não deve simplesmente curá-lo da enfermidade atual, mas sim prover uma completa melhoria na qualidade de vida do paciente.

Trata-se de colocar as necessidades do paciente em primeiro lugar. Enxergá-lo como mais do que uma estatística ou um caso a ser resolvido, obrigando-o a passar por uma série de exames. Oferecer uma melhor experiência como um todo, e investir mais na prevenção da sua saúde. 

E lembre-se: a experiência do paciente com o seu atendimento não se trata simplesmente da consulta física. Ela já se inicia no processo de agendamento, e segue mesmo após a saída da pessoa de seu consultório.

Leia também:

Por que implementar o atendimento humanizado em sua clínica

Agora que você viu do que se trata, verá que Implementar a humanização do atendimento traz várias vantagens. Não só para o paciente, mas para a clínica também.

Participação direta do paciente no tratamento

É comum pensarmos na figura do médico como o personagem central na assistência, visto que é ele quem detém o conhecimento para tratar determinado quadro clínico. Mas isso muda no atendimento humanizado.

Nesse caso o paciente não só pode, mas deve ser estimulado a opinar sobre o seu próprio tratamento. E a equipe médica deve levar suas queixas e o que diz em consideração. O objetivo aqui não é que o paciente clinique a si mesmo, mas sim entender melhor a realidade de cada quadro.

Melhoria nos resultados dos tratamentos

Ao perceber um maior empenho e um real interesse por parte do médico, o paciente passa a ter mais confiança em sua consulta. E, logo, deposita uma maior seriedade ao seu tratamento. 

É uma ótima forma de garantir que o paciente seguirá a risca as recomendações passadas na consulta. E logo, aumenta as chances de obter um resultado positivo na saúde.

Melhor eficácia no tratamento

O atendimento humanizado permite que o médico estabeleça uma relação de confiança com o paciente. Mais que ouvir sobre sua enfermidade, é preciso que o profissional de saúde entenda suas dificuldades, seus medos e limitações.

Ao perceber essa postura por parte do médico, o paciente fica mais aberto e receptivo ao tratamento. Adota uma posição mais colaborativa, confia nas orientações e se esforça para que, da melhor forma possível, cumpra a sua parte no tratamento.

Foco na prevenção

Com essa aproximação na relação médico-paciente, e a confiança que é gerada a partir dela, o profissional de saúde entende melhor as deficiências e necessidades do enfermo. Essa proximidade passa a ser relevante quando o foco é a prevenção de futuras doenças no paciente.

Dessa forma o médico ataca não só o problema imediato, mas o envolve em um tratamento mais amplo e a longo prazo para sua saúde.

Necessidade de menos exames

Tomar mais tempo na anamnase, dando mais atenção ao paciente e pedindo o máximo de detalhes sobre seus sintomas e seus hábitos, pode diminuir a necessidade de exames mais complexos.

Com isso, além de aumentar a confiança do paciente no tratamento (como dissemos acima), o médico contribui para evitar a sobrecarga nos laboratórios e unidades de exames.

O paciente participa da decisão

Na humanização do atendimento, o médico pode incluir o paciente na tomada de decisão para o melhor tratamento. Já que ele é a parte interessada, nada mais justo que ele também decida em relação a alguns possíveis procedimentos.

Por exemplo, tornar opção do paciente decidir se deve seguir em frente com um tratamento invasivo que não oferece garantia de resultado. Essa e outras decisões, como internações a longo prazo, devem ser abertamente discutidas. De preferência incluindo outros membros da família.

Atendimento que gera novos pacientes

E como benefício extra, esse empenho redobrado do médico no cuidado ao paciente reflete diretamente no estabelecimento de saúde. Quanto mais pacientes curados e tratados de forma diferenciada, mais eles irão recomendá-lo para outras pessoas.

A Tecnologia em favor do atendimento humanizado

Se tratando de humanização na saúde, a tecnologia surge como uma grande aliada. Ela visa facilitar o dia a dia médico e empoderar o paciente para trazer praticidade ao atendimento.

Por exemplo, um sistema de gestão online para clínicas e consultórios, como o Conclínica, oferece diversas funcionalidades que visam ajudar o médico, tornando sua burocracia, como prontuário médico e laudos,  mais rápida e organizada de acessar.

Além disso, um sistema de agendamento online permite que o próprio paciente possa marcar sua consulta de forma simples e prática, sem necessidade da recepção interromper seus afazeres e otimizando a marcação de consultas.

Assim, o médico pode focar sua atenção completa no paciente. Ouvi-lo, entender seus medos e sintomas, para oferecer um verdadeiro atendimento humanizado.

Oferecer um atendimento humanizado aos pacientes, mais do que gerar empatia e ser totalmente receptivo a seus pacientes, também oferece uma imensa vantagem competitiva. Por isso humanizar seu atendimento pode ser o fator decisivo de escolha entre clínicas na cabeça do seu paciente. Procure levar essa humanização ao DNA da sua clínica. 

E conte com o Conclínica para mais dicas que ajudam seu dia a dia e sua clínica.


Agendamento Online: como a funcionalidade pode beneficiar a sua clínica

A tecnologia já auxilia médicos e consultórios a bastante tempo. E, em um negócio extremamente competitivo, os profissionais precisam conseguir maneiras de se destacar para conseguir novos pacientes. Seja pelo seu atendimento ou através do  marketing médico.

E uma dessas maneiras, que pode ajudar o médico a agilizar e melhorar o seu atendimento, é o agendamento online. Uma forma inovadora de trabalhar a relação médico-paciente, dando a ele liberdade na hora de marcar suas consultas. 

Isso mudou o modo como as clínicas se organizam e gerenciam o seu tempo. Desocupa as linhas telefônicas da clínica e deixa as recepcionistas livres para lidar com questões mais urgentes do consultório.

Além disso, mostra para o paciente que sua clínica acompanha as inovações tecnológicas e sempre trabalha para oferecer um atendimento diferenciado.

Quer saber todas as possibilidades e  vantagens de usar o agendamento online em seu atendimento? Continue lendo.

[lwptoc min="1" title="Navegue pelos tópicos do conteúdo"]

Quais as vantagens do agendamento online?

Geralmente uma funcionalidade que acompanha sistemas de gestão online, o agendamento é uma facilidade que ajuda na rotina de todos em uma clínica. E ajuda em vários aspectos, como:

  • otimização do tempo;
  • melhora no atendimento;
  • melhor produção do estabelecimento.

Por ser um sistema online, ele fica 24 horas disponível para agendar consultas e exames. Assim, o paciente fica livre para escolher o melhor horário na hora que desejar. Chega de se limitar a apenas entrar em contato durante o horário comercial.

Além disso, a funcionalidade oferece várias vantagens para todos os aspectos de envolvidos em gerenciar uma clínica. Vamos falar delas a seguir. 

Vantagens do agendamento online para clínicas

Para a clínica, um sistema automatizado de agendamento traz grandes vantagens para o atendimento e a organização. Confira: 

Aumento de consultas particulares

Se sua clínica quer focar em atender menos pacientes com planos de saúde, o agendamento online pode ser uma grande ajuda nesse sentido. Isso por que, junto com uma estratégia de divulgação no digital, essa funcionalidade auxilia no aumento no número de consultas particulares.

Redução nos custos

Já parou para calcular quanto seu consultório gasta de telefone por ano? Ao implantar o agendamento online, é possível ter uma melhor gestão financeira e economizar nesse aspecto. Praticamente toda a comunicação é realizada online (incluindo confirmação de encaixes, remarcação, marcação de exames, etc). 

Isso também facilita na organização da clínica, já que a agenda mantém todos os compromissos online e organizados em um único lugar. Sendo constantemente atualizado.

Agiliza o trabalho da recepção

Com o agendamento online, a recepção consegue focar no atendimento das pessoas que estão na sala de espera. Isso porque diminui muito o número de ligações procurando por agendamento ou informações sobre a clínica.

O que resulta em mais rapidez na fila de pacientes, já que a secretária consegue realizar os procedimentos necessários antes da consulta com muito mais agilidade.

Aumenta a produtividade do seu consultório

A tecnologia permite mais agilidade e evita duplicidade de marcações de consulta. O que faz com que a recepção não precise perder tempo resolvendo problemas como esse. 

Dessa forma a ferramenta proporciona mais tempo para a secretária, por exemplo, se dedicar a papelada do plano de saúde. O que dinamiza o atendimento e possibilita a redução do tempo das pessoas na sala de espera. Contribuindo, também, com a produtividade da clínica.

Comunicação digitalizada e moderna

Sua clínica oferece equipamentos de última tecnologia, reúne profissionais de saúde atualizados e oferece os tratamentos mais atuais? 

Então por que não modernizar também o atendimento aos pacientes com o agendamento online? Lembre-se: restringir a marcação de consultas e exames, em muitos casos, acaba afastando as pessoas do tratamento. 

Mas, não se preocupe porque esse problema é facilmente resolvido com uma comunicação digitalizada e sempre disponível ao paciente.

Vantagens do agendamento online para os pacientes

Como dito acima, o paciente pode fazer o agendamento online de consultas por conta própria, o que lhe dá mais liberdade. Mas essa não é a única vantagem que ele adquire com a funcionalidade. Confiram:

Melhora a relação clínica-paciente

Com 71% dos lares brasileiros conectados à internet (segundo dados da TIC Domicílios 2020), essa tecnologia mudou a forma não só de consumir produtos ou serviços. Mas, até mesmo o relacionamento clínica-paciente.   

Hoje em dia, as pessoas prezam por um atendimento rápido. Inclusive em consultórios de profissionais da saúde. E, claro, sem precisar passar por ligações demoradas nem perda de tempo com musiquinhas de espera ao telefone para conseguir marcar uma consulta.

O agendamento online agiliza esse tipo de atendimento, sem esse tipo de irritação e evitando os desgastes comuns para uma melhor relação clínica-paciente.

Além disso, um sistema de agendamento oferece envio de SMS para:

  • confirmação de exames e consultas;
  • Contato para avaliação de atendimento;
  • lembranças em datas comemorativas, como dia das mães, natal e aniversário, por exemplo.

Tudo isso faz com que sua clínica e atendimento ofereçam uma experiência positiva para o paciente. Antes, durante e depois da consulta. Fidelizam o paciente, que pode divulgar seu consultório com o boca a boca.

Leia também:

Áreas da saúde que podem se beneficiar com agendamento online

Dar ao cliente a opção de marcar consultas pela internet não é apenas para grandes clínicas. Independente do porte, se você quer oferecer melhor atendimento aos seus pacientes, experimente investir na modernização de processos com um software de gestão online voltado para médicos e outros profissionais de saúde que administram suas próprias clínicas ou consultórios. 

Consultórios

  • Consultório médico (clínico geral e/ou outras especialidades)
  • Consultório odontológico
  • Consultório de nutricionista
  • Consultório de psicólogo
  • Consultório veterinário
  • Consultório de acupuntura médica 
  • Consultório de fisioterapeuta
  • Consultório de fonoaudiologista

 Clínicas em geral

  • Clínica de oftalmologia (clínica de olhos)
  • Clínica de ortopedia
  • Clínica de cardiologia
  • Clínica de dermatologia 
  • Clínica pediátrica
  • Clínica dentária 
  • Clínica de ultrassom 
  • Clínica de fisioterapia 
  • Clínica veterinária
  • Clínica de fonoaudiologia
  • Centros Médicos em geral

Os primeiros passos para modernizar a sua clínica

Para implantar o agendamento online em seu consultório, não é obrigatório ter página na internet, perfis de redes sociais (embora ajude bastante na divulgação e na atração de mais pacientes) ou um departamento de marketing. 

Basta usar um software de gestão específico para a área de saúde, como o Conclínica, que permite personalização da plataforma. O que garante que você possa usar a identidade visual do seu consultório. 

Inclusive no sistema de marcação pela internet é possível usar o logotipo e trocar o esquema de cores para manter o padrão da sua marca. Caso sua clínica já tenha site, a agenda online personalizável é anexada a ele por meio da integração com a plataforma Marcamed.

Vale lembrar que ao usar esse tipo de ferramenta, você consegue modernizar não apenas a forma de agendar consultas. Também mexe com todo gerenciamento de processos da clínica. E ainda reduz consideravelmente os riscos de falha humana durante processos importantes como relatórios gerenciais, cadastro dos pacientes e prontuário eletrônico.

Como um software de gestão pode ajudar no agendamento e melhoria do atendimento no consultório

Apesar do brasileiro adorar um celular, ele tem usado o aparelho cada vez menos para ligações. Só para você ter ideia de como o hábito de ligar está cada vez mais raro em nosso país, confira os dados da última pesquisa da Anatel

Entre agosto de 2019 e o mês 8 de 2018 deixaram de existir 6,69 milhões de linhas telefônicas no Brasil. Sendo que em apenas 3 meses (comparação com maio de 2019), a redução foi de 250,23 mil.

É com base em estatísticas como essas que diversas clínicas já começaram a modernizar sua forma de agendamento ao oferecer um canal mais prático para pacientes, recepcionistas e médicos. 

Agenda online para pacientes: confira o passo a passo

A marcação de consulta online permite que o paciente agende sua visita ao médico no momento que precisar, seja dia ou seja noite. Basta acessar a página da clínica ou consultório desejado e clicar no botão Marque Agora na parte de Agendamento de Consulta. 

Depois é só criar login e senha caso seja a primeira marcação de consulta online. Para isso é necessário preencher o pequeno formulário que solicita os seguintes dados:

  • Nome completo,
  • Data de nascimento
  •  CPF
  •  Sexo
  • Telefone fixo
  • Celular
  • E-mail  (e confirmação no campo ao lado)
  • Senha desejada (confirmação no campo ao lado)

Ao completar o cadastramento no sistema, é hora de inserir login e senha para entrar na área de marcação online de consulta que é dividida em 3 breves etapas:

  1. Filtros de pesquisa: para selecionar especialidade, médico, unidade, convênio e a partir de que data quer se consultar. Após o preenchimento de todos os campos, é só clicar no botão Buscar Horários.
  2. Data, horário e médico: nesta página está o nome do médico selecionado na etapa anterior e os dias e horários para o paciente escolher. 
  3. Marcação de Consulta: na etapa final, a pessoa confere se todas as informações selecionadas estão corretas e clica no botão Agendar Consulta. Caso precise mudar algo, é só clicar no botão Rever Escolhas. Ao concluir o agendamento é só selecionar a opção Sair. 

Como disponibilizar o agendamento online para pacientes da sua clínica

É preciso contratar um sistema de gestão de clínicas e consultórios que ofereça a funcionalidade. No Conclínica, por exemplo, a função de agendamento online é feita a partir da integração com o Marcamed (que é a solução que reúne a agenda de todos os profissionais de saúde para realizar a marcação online). O que é bem simples de fazer.

Já para que os médicos tenham acesso à todas as consultas agendadas com eles, nos diferentes consultórios ou clínicas em que trabalham reunidas em um só lugar, é necessário usar a função Multi agenda do software Conclínica. 

Agilidade no atendimento como diferencial para seu consultório 

Quando toda equipe usa um sistema de gestão online eficaz, que oferece também muitas outras funcionalidades que vão do financeiro ao operacional, faz toda a diferença para a qualidade do atendimento da sua clínica. Isso porque ela passa a ter um ótimo diferencial em relação às outras. 

Como os recepcionistas podem se concentrar apenas nas atividades que envolvem o paciente que está aguardando na recepção, eles podem se concentrar na organização da fila de espera, autorização de convênios, entre outras. O que torna o atendimento muito mais rápido.

Benefícios de usar um software de gestão

Como falamos acima, usar um sistema de agendamento online também modifica para melhor a gestão dos processos do estabelecimento. Então, para uma gestão mais completa e automatizar o consultório como um todo, uma boa dica é integrar o agendamento com um software de gestão online.

Um software de gestão beneficia não só com um o uso de uma agenda eletrônica e tudo que ela oferece, mas também:

  • cria relatórios com vários parâmetros, como gênero, planos de saúde, localidade, etc;
  • oferece prontuário eletrônico;
  • otimiza o estoque de insumos;
  • ajuda no controle financeiro.

Quer administrar sua clínica ou consultório da melhor maneira possível para você, todos os profissionais de saúde e seus pacientes? 

A dica então é experimentar gratuitamente o Conclínica que é um sistema web para gestão de consultórios e clínicas que facilita do atendimento ao faturamento com o plano de saúde passando pela segurança de dados, prescrições eletrônicas, relatórios gerenciais e muito mais.


DATASUS: o que é e qual é o objetivo do sistema?

Desde os anos 90, passou a ser dever do estado garantir a saúde da população. Por isso, em setembro, surgiu o Sistema Único de Saúde (SUS), com o objetivo de promover e organizar os serviços de saúde.

Com isso, os serviços de saúde passaram a obedecer parâmetros técnicos, sendo organizado e acessível de forma hierarquizada, e sua gestão, descentralizada. Ao longo dos anos, várias ferramentas foram criadas com o objetivo de dar suporte e atender às demandas da saúde pública.

Mas a quantidade de informações adquiridas eram enorme. Com esse problema em mãos, foi criado um novo departamento, onde seriam armazenados todos esses dados. E, dessa forma, embasar as políticas públicas de saúde no país.

Assim nasceu o DATASUS, formalizado pelo decreto nº100, de 16 de abril de 1991, com a criação da Fundação Nacional de Saúde (FUNASA).

Quer saber mais sobre o departamento e seu objetivo para a saúde no Brasil? Siga lendo este post.

[lwptoc min="1" title="Navegue pelos tópicos do conteúdo"]

O que é o DATASUS?

O DATASUS é o departamento de informática do Sistema Único de Saúde. Ou seja, um órgão da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde.

Nos seus quase 30 anos de atuação, o DATASUS já desenvolveu mais de 200 sistemas que atuam para o Ministério, ajudando a fortalecer o SUS. Hoje, o departamento é um grande aliado, provendo soluções tecnológicas e softwares para as necessidades das secretarias estaduais e municipais. 

Também é competência do DATASUS:

  • Definir padrões, normas, diretrizes e procedimentos para transferência de informações e contratação de bens e serviços de informática no âmbito dos órgãos e entidades do Ministério;
  •  Definir padrões para a captação e transferência de informações em saúde, visando à integração operacional das bases de dados e dos sistemas desenvolvidos e implantados no âmbito do SUS;
  • assegurar aos gestores do SUS e órgãos congêneres o acesso aos serviços de informática e bases de dados, mantidos pelo Ministério.

O DATASUS dispõe de duas bases, no Rio de Janeiro e em Brasília, onde são mantidos seus servidores. Seu Storage (estrutura de armazenamento de dados) pode armazenar informações da saúde de todo cidadão brasileiro. E fornece ligação entre as cidades e todos os Núcleos Estaduais do Ministério da Saúde, FUNASA, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e a Casa do Índio.

Em termos de disponibilizar informações de saúde, o DATASUS é considerado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) como um dos mais completos sistemas do mundo.

Leia também:

Qual é o objetivo do DATASUS?

O objetivo do DATASUS é coletar, processar e disseminar informações sobre saúde no país. Além de ajudar no suporte em informática e sistemas necessário para o planejamento, operação e controle aos órgãos do SUS.

O departamento também usa de informações integradas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para realizar projetos específicos na área de saúde. Tal cruzamento de dados permite avaliar da melhor forma a situação da saúde em determinado território. E qual o melhor curso de ação para ser tomado.

Essas informações ficam disponíveis em programas como o TABWIN (para Windows) e o TABNET (para a internet). 

Desenvolvendo e ajudando a melhorar os sistemas de informática permitem ao DATASUS a criação de novos:

  • produtos;
  • sistemas;
  • serviços;
  • aplicativos.

Todos fornecendo dados e ferramentas de trabalho para o Ministério da Saúde. Além disso, proporcionam a troca de informações entre agências.

Utilizando o DATASUS como Business Intelligence

O DATASUS também pode ser utilizado como uma espécie de Business Intelligence para gestores da área da saúde pública. Assim eles ganham um melhor suporte para sua gestão.

O sistema oferece ferramentas para a apoiar a decisão à partir do próprio banco de dados gerado pelo DATASUS, com informações coletadas dos municípios de todo o país. O que temos é o uso de uma tecnologia que antes era usada por empresas de produção, indústria e comércio,  auxiliando na gestão de informações estratégicas para o SUS. 

Com esses dados, é possível construir relatórios e painéis gráficos de alta performance, e uma vasta quantidade de representações estatísticas e matemáticas, para aprimorar a produtividade, o controle a avaliação e gestão dos órgãos de saúde.

Isso tudo na teoria. Mas na prática, há uma profunda falta de informações por parte das prefeituras. E uma grande irregularidade em cumprir as exigências do processo de preenchimento dos dados do DATASUS. Muitas sequer usam de qualquer sistema de gestão digital. 

Sendo assim, o gestor público deve, antes de tudo, implantar um sistema de gestão pública em sua prefeitura. Para assim, contribuir com a base de dados do DATASUS. Só assim ele pode implementar as informações disponibilizadas, para fazer a diferença favor das estratégia de saúde dos municípios.

O DATASUS como auxílio no combate ao novo Coronavírus

Um grande exemplo de como o banco de dados do DATASUS pode ajudar durante uma crise é a sua assistência no combate à COVID-19. Tanto no combate ao vírus quanto na assistência à população.

Graças ao DATASUS, foi montado uma equipe de resposta rápida para auxiliar da melhor forma gestores de saúde pública e profissionais de saúde. Isso ajudou na prioridade do órgão para o primeiro semestre deste ano, que era fornecer acesso aos dados de evolução da pandemia e prover tecnologia e informação do SUS.

Também foi criado o Comitê de Crise do Novo Coronavírus, para:

  • avaliar novas tecnologias para a gestão da saúde em razão da crise;
  • avaliar a sustentabilidade dos sistemas propostos;
  • coordenar ações internas;
  • priorizar e reduzir ações em respeito às orientações;
  • Cuidar e prevenir o próprio Ministério da Saúde.

Também foram criados:

Registro de Notificações

O principal desafio do DATASUS, no início da pandemia, era fornecer um meio de notificar casos suspeitos e confirmados em todo o país. Assim, os vigilantes em saúde poderiam informar o mais breve possível ao Ministério da Saúde.

Dessa forma, o Ministério tinha conhecimento e rápida atualização do avanço do vírus no Brasil, para que as medidas mais assertivas fossem tomadas.

Criação do Painel Coronavírus

Foi desenvolvido o portal coronavírus, com dados da evolução do vírus no país, apresentando uma série de dados, números de óbitos e casos confirmados. Tudo com o objetivo de manter a transparência do órgão para com o povo.

Aplicativo Coronavírus SUS

Com o objetivo de manter a população informada de forma confiável, também foi criado o aplicativo Coronavírus-SUS. 

Além de informações, o aplicativo também permite o cidadão realizar uma auto-avaliação da sua saúde e cuidados para evitar a propagação da COVID-19.

Perguntas recorrentes

Um pequeno resumo sobre o DATASUS:

[sc_fs_multi_faq headline-0="h3" question-0="O que é DATASUS?" answer-0="É o Departamento de informática do Sistema Único de Saúde, que tem por objetivo dar assistência à saúde no país por meio da coleta, processamento e disseminação de informações." image-0="" headline-1="h3" question-1="Como ter acesso ao DATASUS?" answer-1="O DATASUS disponibiliza duas formas de acessar as informações do seu banco de dados: via TABNET, usando diferentes plataformas municipais ou federais, ou via download das bases de dados integrais." image-1="" headline-2="h3" question-2="O que é o FormSus?" answer-2="É um Sistema para Criação de Formulários, desenvolvido para dar agilidade, estruturação e qualidade ao processo de coletar e disseminar dados pela Internet." image-2="" headline-3="h3" question-3="Quais são os Sistemas de Informação de Saúde?" answer-3="Atualmente há 4 sistemas: Sistema de Informações sobre a Mortalidade (SIM); Sistema de Informações sobre os Nascidos Vivos (SINASC); Sistema de Notificação sobre os Agravos de Notificação (SINAN); Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI). " image-3="" count="4" html="true" css_class=""]

Achou esse post informativo? Então confira mais como esse no blog do Conclínica, com muitos outros posts que ajudam e orientam o médico e o gestor de saúde no seu dia a dia


CNES: o que é, como funciona e como fazer o seu cadastro

Um passo essencial para o médico que pretende abrir o seu próprio consultório ou clínica médica é cadastrar o seu estabelecimento no CNES.

Mas antes de fazê-lo, é importante saber exatamente o que é e o qual é o seu objetivo para depois entender a sua importância. E esse é o objetivo desse post.

Quer saber mais sobre o que é o CNES? Como funciona e seu objetivo, e o melhor: como fazer o cadastro da sua clínica? Então continue lendo.

[lwptoc min="1" title="Navegue pelos tópicos do conteúdo"]

O que é o CNES?

Antes de tudo vamos estabelecer o que vem a ser o CNES.

É a sigla para “Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde”, um banco de dados que ajuda a compreender melhor serviços prestados pelos centros de saúde no país. Nessa lista é possível encontrar estabelecimentos públicos, privados e conveniados.

Ele reúne uma série de informações, como:

  • equipe médica;
  • profissionais de saúde;
  • leitos disponíveis;
  • tipo de atendimento prestado;

Qual é o seu objetivo?

Graças ao CNES, o Ministério da Saúde tem conhecimento de todos os consultórios, clínicas e hospitais em território nacional.

Tais dados são importantes para gerenciar os serviços de saúde que estão disponíveis para a população. Como em, por exemplo, levantar locais que precisam de mais leitos hospitalares e outros repasses do governo.

Ou seja, o governo tem no CNES um sistema de informações, que possibilita ao Ministério um maior controle sobre suas finanças.

Além disso, ele também:

  • automatiza o processo de coleta de dados feitas por estados e municípios;
  • embasar o planejamento das ações da saúde no Brasil;
  • realizar a integração entre outros sistemas do SUS;
  • dar visibilidade para o potencial assistencial do país.

Como surgiu o CNES?

O sistema de cadastro surgiu pela aprovação da Portaria MS/SAS nº 376, de 3 de outubro de 2000. Mas essa legislação sofreu algumas alterações, após opinião de pessoas, gestores municipais e estaduais do SUS.

Então, em dezembro do mesmo ano, entrou em vigor a Portaria MS/SAS nº 511/2000, que fala do cadastramento de hospitais, clínicas e consultórios em todo o país.

Na época, o órgão governamental apontou uma série de inconsistência entre os repasses feitos pelo Ministério e informações cadastrais do Sistema de Internações Hospitalares (SIH) e do Sistema de Informações Ambulatoriais (SIA), dois bancos de dados que precederam o CNES.

Leia também:

Por que cadastrar sua clínica no CNES?

Embora seja visto como uma simples burocracia, cadastrar sua clínica no CNES pode trazer algumas vantagens.

Ele fornece um mapa assistencial do país e garante o bom funcionamento dos estabelecimentos de saúde. Além disso, o cadastro no CNES passa credibilidade à clínica, pois ele passará a aparecer nas pesquisas das pessoas.

E também é visto por possíveis parceiros, que é o maior dos benefícios do cadastro. É necessário ter sua clínica cadastrada no sistema para ser integrado à qualquer serviço relacionado ao SUS.

Outro grande benefício diz respeito aos planos de saúde. Após o cadastro a clínica recebe um número de inscrição, que é usado nos contratos das operadoras dos planos. Então, embora seja visto como algo burocrático, o cadastro no CNES é essencial para a legalidade da sua clínica e realizar parcerias no ramo da saúde.

Como realizar o cadastro no CNES?

Para realizar o cadastro da clínica no banco de dados, em primeiro lugar é necessário procurar o órgão gestor de saúde em nível municipal e estadual. Ao efetuar seu pedido, junto à secretaria de saúde do município, a seguinte documentação deverá ser apresentada:

  1. localização;
  2. CNPJ;
  3. razão social;
  4. licença junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA);
  5. autorização do Departamento de Urbanismo ou órgão similar;
  6. natureza da organização;
  7. atendimentos prestados;
  8. instalações físicas, incluindo a quantidade de leitos no estabelecimento;
  9. equipamentos disponíveis;
  10. profissionais que atuam no local.

De posse desses documentos e autorizações necessários, você pode efetuar o cadastro no site do CNES.

Guia de cadastro para o CNES

Agora no portal, siga esses passos para efetuar o seu cadastro com sucesso:

Clique em “serviços > gestores”, e preencha os dados solicitados pelo sistema;

Preencha a aba “Tipo de Estabelecimento”, que podem ser:

  • unidade mista;
  • consultório isolado;
  • unidade de serviço de apoio à diagnose e terapia;

Preencha a aba “Classificação do Tipo de Estabelecimento” com atenção, de acordo com a atividade primária desenvolvida. Farmácias também podem ser cadastradas;

Atenção à aba onde devem ter as informações de “Diretor Clínico”. É obrigatório o seu preenchimento quando for um pronto-socorro ou hospital geral;

Os dados do gerente ou diretor também devem ser preenchidos;

Ao final, as fichas devem estar assinadas pelo gestor responsável para serem encaminhadas à vigilância sanitária local. Envie-as em duas vias, junto com as outras licenças pedidas.

Em caso de erro em algum preenchimento, o Ministério da Saúde fará contato pedindo a correção. Se tudo estiver de acordo, um número de inscrição para a instituição será enviado.

O que é o SCNES?

Em uma tentativa de ajudar os consultórios e clínicas de pequeno porte, foi criado o SCNES. Um software para facilitar o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde.

Uma forma simples, com o intuito de facilitar a coleta de informações sobre esses consultórios médicos, suas equipes, seus insumos e serviços oferecidos.

Ele possui menos campos para preencher do que o cadastro comum, um mecanismo de ajuda e um banco de dados alimentado com os mesmos dados do portal. Além disso, também tem um módulo para a atuação de equipes da saúde da família. 

O cadastro no CNES é obrigatório?

Sim. Todos os estabelecimentos de saúde devem se cadastrar no órgão.

Estabelecimentos que não se cadastrarem, ou estiverem com sua inscrição irregular, são considerados pelo CNES como ilegais. E, portanto, estão sujeitos a sanções.

Alguns exemplos de penalidades a esses estabelecimentos estão o atraso de pagamentos ou perda do vínculo com planos de saúde, já que as operadoras usam dos registros para manter os contratos.

Leia também:

Perguntas recorrentes sobre CNES

Algumas perguntas recorrentes sobre o cadastro nacional:

[sc_fs_multi_faq headline-0="h3" question-0="Quem tem que ter o CNES?" answer-0="Todo o estabelecimento de saúde, para que o Ministério da Saúde tenha um banco de dados cada vez mais exato e possa trabalhar os recursos da melhor forma para atender a todo o território nacional." image-0="" headline-1="h3" question-1="Qual é o objetivo do CNES?" answer-1="Além de ter conhecimento de todo o estabelecimento de saúde no Brasil, o órgão: automatiza o processo de coleta de dados feitas por estados e municípios; embasar o planejamento das ações da saúde no Brasil; realizar a integração entre outros sistemas do SUS; dar visibilidade para o potencial assistencial do país. " image-1="" headline-2="h3" question-2="O que é registro no CNES?" answer-2="É o registro de inscrição que é dado ao preencher o cadastro corretamente. Com ele, é possível realizar parcerias com operadoras de planos de saúde e ser integrado à qualquer sistema relacionado ao SUS." image-2="" count="3" html="true" css_class=""]

Agora que você conhece toda a importância do CNES, compartilhe esse post com colegas médicos, gestores e outros profissionais da área de saúde. E conte com o software de gestão para clínicas e consultórios Conclínica para automatizar seus processos. Faça um teste grátis.


As diferenças entre consultório, clínica e centro médico

As diferenças entre consultório, clínica e centro médico

Passado todo o desafio que é se graduar em medicina, e o período de residência, um novo desafio surge para o médico recém-formado: qual caminho seguir?

Principalmente quando se trata do melhor ambiente para atender pacientes, seja para começar a trabalhar, ingressar por meio de concurso ou abrir seu próprio estabelecimento de saúde. O médico se vê dividido em escolher entre consultório, clínica ou um centro médico.

E embora os três sejam constantemente confundidos, eles possuem distintas diferenças entre si. Para tomar a melhor decisão de para onde seguir, é necessário saber como cada uma delas funciona para escolher qual delas opção no momento.

Por isso, vamos estabelecer o que são e quais sãos as diferenças entre consultório, clínica e centro médico. Assim, diminuir as incertezas e equívocos entre os estabelecimentos e dar ao recém-formado médico todas as informações para que ele decida da melhor maneira.

O que é um consultório?

Um consultório médico é um espaço onde o profissional de saúde pode:

  • prestar consultas;
  • realizar e solicitar exames;
  • prescrever receitas;
  • e encaminhar pacientes para outros consultórios ou hospitais, quando necessário.

Um consultório tem como objetivo primário o atendimento. Por isso tem uma estrutura básica, formada em espaço privado para as consultas, uma recepcionista e o médico.

Há casos em que o médico divida esse espaço com outros profissionais, e todos façam seus atendimentos em horários diferentes. É uma opção para dividir os custos de manter uma sala, como luz e água.

E legalmente, para abrir um consultório não é necessário ter CNPJ.  Basta usar de CPF e o laudo de avaliação do imóvel junto ao pedido de liberação à Vigilância Sanitária. 

Como regularizar o seu consultório médico?

Por se tratar de um ambiente de saúde, é importante obter certos documentos que comprovam que o local escolhido está de acordo com a lei. Tenha sempre em mãos:

  • licença da Vigilância Sanitária;
  • Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES);
  • Alvará da Prefeitura;
  • Certificado da LIMPURB.

O que é uma clínica?

Diferente de um consultório, uma clínica médica faz mais do que focar suas ações em atendimento. Ela foca na prestação de serviços. Por isso exige uma estrutura diferente.

Seu tamanho irá depender da especialidade que é oferecida. Se for, por exemplo, uma clínica de fisioterapia, ela terá aparelhos necessários para um atendimento mais focado, como barras paralelas, eletroterapia e faixas elásticas para os exercícios.

Nesses casos, esses procedimentos costumam levar além a relação médico-paciente. O que leva a equipe a ser maior e mais qualificada. 

Por isso, e por ser um espaço mais amplo, com aparelhos mais caros, seu custo geralmente é dividido entre colegas profissionais. Dessa forma, todos podem fazer uso da infraestrutura para o mesmo fim, oferecer um serviço completo de diagnóstico e tratamento.

Em uma clínica é possível:

  • realizar consultas e exames;
  • realizar procedimentos de baixa complexidade;
  • realizar intervenções médicas de acordo com a especialidade, etc.

E diferente de um consultório, para abrir uma clínica é necessário ter CNPJ.

Como abrir uma clínica médica?

Assim como um consultório, abrir uma clínica também requer dar atenção a normas, como:

  • definir a área de atuação, tudo de acordo com os regulamentos da Agência Nacional de Saúde (ANS);
  • definir registro na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), órgão que padroniza os critérios de tributação de acordo com a atividade exercida;
  • regularizar a licença sanitária junto à Vigilância Sanitária;
  • pedir o certificado de conformidade junto ao Corpo de Bombeiro;
  • obter junto ao departamento de limpeza urbana o cadastro da clínica, para solicitar uma coleta adequada de resíduos.

Leia também:

Especialidade de atuação ou estrutura em uma clínica: qual é a diferença?

Clínicas médicas não dizem respeito somente ao espaço, mas também à especialidade que nelas são oferecidas.

Nesse caso, com uma boa estrutura médica, com centro cirúrgico e UTI, uma clínica médica pode realizar cirurgias de baixa complexidade, como por exemplo:

  • retirada de pedras na vesícula;
  • vasectomia;
  • intervenções oftalmológicas;
  • cesáreas.

No entanto, se a clínica médica atua apenas como especialidade, realizar tais procedimentos não é possível.  O profissional médico que opta por essa escolha não é habilitado a realizar atendimentos cirúrgicos em adultos.

É bom saber dessas diferenças antes de optar pela sua atividade.

O que é um centro médico?

Em um centro médico, encontram-se várias instalações para oferecer diversos serviços de saúde. O que já é uma grande diferença entre um consultório e uma clínica médica.

À grosso modo, podemos dizer que um centro médico é um conjunto de clínicas, pois deve oferecer todos os serviços de uma clínica em um só estabelecimento. E com várias especialidades diferentes.

Os próprios centros médicos costumam se auto-denominarem clínicas, o que aumenta a confusão entre ambos. Mas na prática, um centro médico pode ter centros cirúrgicos e consultórios de atendimento de todas as especialidades. Para tanto, basta respeitar as mesmas normas vistas para abrir uma clínica. Inclusive de posse de um CNPJ.

Qual a diferença entre consultório, clínica e centro médico?

Agora que foi dito o que é cada uma, podemos perceber três diferenças básicas entre consultório, clínica e centro médico:

  • Infraestrutura;
  • atividades propostas;
  • jurídico;

Embora muito parecidos, cada um tem processos bastante distintos na prática, que os distingue. Mas é importante ter essas diferenças claras, principalmente para definir a escolha do profissional.  E também para explicar aos pacientes, pois ainda existe uma clara confusão entre os três. Além de também ter uma clara diferença no marketing médico de cada estabelecimento.

Perguntas recorrentes sobre consultório, clínica e centro médico

Dentre tudo que falamos acima, destacamos:

O que é um consultório médico?

Um consultório é um espaço voltado exclusivamente para o atendimento médico ao paciente, composto por um profissional de saúde e uma recepcionista. Ocasionalmente mais um profissional pode usar o mesmo consultório, para diminuir os custos da sala."

Como organizar um consultório médico?

Vamos dar 5 dicas para organizar um consultório: Conheça a sua rotina de trabalho; Use de um sistema de gestão com agenda eletrônica; trabalhe com pacientes elegíveis; forneça um ambiente confortável para os pacientes e tenha uma equipe bem treinada.

Qual a diferença entre uma clínica e um consultório?

Um consultório tem como prioridade o atendimento. Enquanto uma clínica, como pode ser de um tamanho maior, pode focar na prestação de serviço ao paciente. Uma clínica pode realizar atendimentos mais focados em uma específica área e até executar operações de baixo risco. E, diferente de um consultório, para se abrir uma clínica é necessário ter um CNPJ.

Qual é a diferença entre hospital e clínica?

Diferente de uma clínica, que foca em apenas uma especialidade para atendimento, um hospital, ou centro médico, pode atender a várias especialidades dentro de um mesmo espaço.

Gostou desse conteúdo? Aqui no blog do Conclínica, você encontra mais conteúdos como esse que vão esclarecer dúvidas e ajudar no dia a dia médico.