A Guia TISS é uma forma de descrever o atendimento de médicos feito em beneficiários de planos de saúde. Ela é produzida e enviada ao plano pelo próprio profissional e/ou sua clínica. Neste artigo você saberá da sua importância e as principais formas de preencher o documento. 

Leia sobre:

 

  • o que é o TISS e a ANS;
  • quais são os tipos de Guia TISS;
  • como preencher a Guia TISS no padrão.

O que é o TISS e a ANS?

TISS é a sigla para Troca de Informações na Saúde Suplementar, um padrão para registro de informações entre clínicas, hospitais e consultórios médicos e planos de saúde. Já a ANS é a sigla para Agência Nacional de Saúde Suplementar, reguladora responsável pelo setor de planos de saúde e vinculada ao Ministério da Saúde.

Os principais objetivos do TISS são:

  • padronizar ações administrativas de instituições e planos de saúde;
  • dar suporte em atividades de avaliação, assim como acompanhamento econômico das operadoras de plano de saúde (RES).

A TISS foi oficialmente implementada em 2012 por meio da Resolução Normativa Nº 305 e levou a uma estruturação padronizada de guias, com campos que devem ser preenchidos e faturados de maneira eletrônica.

O padrão é obrigatório por lei, mas esse não é o único motivo pelo qual as clínicas médicas devem segui-lo. Dentre outras vantagens estão:

  • padronização de coleta e análise de dados;
  • maior conhecimento sobre a saúde suplementar;
  • elimina a necessidade de papel no dia a dia;
  • comunicação e autorização de procedimentos mais ágeis;
  • menor risco de erros e fraudes.

Quais são os tipos de Guia TISS

Existem diferentes modelos de guias TISS e, para fazer o preenchimento correto delas, é preciso conhecer esses tipos. Veja a seguir.

Guias de consulta

São as guias usadas em clínicas e consultórios médicos para o faturamento das consultas realizadas por beneficiários de planos de saúde, não apenas ambulatoriais e hospitalares, mas também consultas a outros tipos de profissionais da saúde, como fonoaudiólogos e psicólogos. 

Nesse tipo de Guia TISS, é preciso descrever:

Guias de honorário individual

Usadas para realizar o faturamento dos serviços de auxílio fornecidos por um profissional de saúde que participou de um procedimento, como auxílio em cirurgias, anestesistas e pediatras presentes em partos. 

Guias de resumo de internação

Essas guias são voltadas para procedimentos complexos que tiveram necessidade de internação hospitalar do paciente. Geralmente, o faturamento nesse caso pode ser feito com apenas uma guia, mas, caso a internação do paciente ultrapasse o período de 30 dias, a cobrança poderá ser parcial. 

Guias de Recurso de Glosa

Uma guia obrigatória entre operadoras e prestadores de serviços de saúde, este tipo de documento serve para que os processos de glosa (faturamentos não recebidos ou recusados) sejam padronizados para troca eletrônica.

Guias de demais despesa

Servem para complementar demais tipos de Guia TISS, por isso, não podem ser faturadas sozinhas. Ela serve para autorizar a cobrança de despesas adicionais como materiais e medicamentos usados nos procedimentos médicos.

 

Como preencher a Guia TISS no padrão?

O padrão da ANS para preenchimento da Guia TISS é constantemente atualizado, sendo a última atualização divulgada no site da Agência Nacional de Saúde Suplementar em fevereiro de 2020. 

O padrão TISS é dividido em três partes, sendo elas:

  1. representação de conceitos: conjunto padronizado de terminologias, códigos e descrições utilizados pela TISS;
  2. conteúdo e estrutura: guias e demonstrativos utilizados pelo setor de saúde suplementar, padronizando campos, formatos e regras de preenchimento;
  3. comunicação: transações eletrônicas, incluindo as regras de comunicação e segurança, entre os sistemas de informação das operadoras de plano de saúde e os sistemas de informações dos prestadores de serviços.

A seguir, você verá as principais orientações para fazer esse preenchimento da maneira correta. 

Formato de apresentação

A maneira como os dados são apresentados é pela lista de mensagens, no  layout dos formulários e suas respectivas legendas. Além disso, eles devem estar em forma de arquivos de schemas XML e descritores WSDL (úteis para a validação de arquivos trocados de forma eletrônica). 

Legendas

As  legendas devem conter os seguintes itens:

  • nome do termo, para identificação do mesmo no padrão TISS; 
  • número do campo na guia, para identificar a posição do termo na guia em papel; 
  • nome do campo na guia, para identificar a forma que está impressa a identificação do termo na guia em papel.

No espaço “descrição do termo na legenda”, deve ser incluído o significado do termo utilizado, assim como a condição de preenchimento identifica como  conteúdo do termo deverá ser informado na guia.

O preenchimento da legenda pode se apresentar no layout como obrigatório, condicional ou opcional.

Tipos de dados, formato e tamanho

O tipo de dado é o que vai informar se o termo escolhido é representado por um campo de data ou hora. Já o tamanho descrito no layout é a quantidade máxima de dígitos/caracteres para a representação do dado.

O  formato diz a maneira com que os dados devem ser representados, por exemplo em caso de datas: DDMMAA (dia, mês e ano). 

Agora que você já sabe melhor sobre a função e como preencher uma Guia TISS, confira o artigo como credenciar meu consultório a um plano de saúde no blog do Conclínica!

Compartilhe em suas redes sociais