Você já deve ter ido a uma farmácia e se deparado com um papel colorido, com letras miúdas e várias informações escritas. Sim, estamos falando da receita azul! 

Esse tipo de prescrição médica é ideal para medicamentos controlados e com regras específicas para garantir a segurança e a efetividade do tratamento.

Mas afinal, você sabe o que é uma receita azul? Qual é o seu prazo de validade? E como preencher corretamente uma receita desse tipo? 

Não se preocupe, neste conteúdo vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre a receita azul e outros tipos de prescrição médica, para que você possa ficar informado e seguro para recomendar esses medicamentos.

Inclusive, na hora de utilizar um software para clínicas e consultórios e organizar as informações de seus pacientes. Acompanhe a leitura!

Afinal, o que é uma receita azul?

A receita azul é um tipo de prescrição médica utilizada para a prescrição de medicamentos controlados. Ou seja, medicamentos que têm o potencial de causar dependência ou efeitos colaterais graves. 

Essa receita tem como função garantir o uso do medicamento de forma segura e responsável, evitando a automedicação e os riscos associados.

A emissão conta com papel timbrado e deve conter informações específicas, como nome do paciente, nome do médico, dosagem do medicamento, quantidade para uso, entre outros.  Além disso, essa receita tem um prazo de validade e o paciente só pode utilizá-la uma vez.

Banner Conclinica teste app

Como é o controle envolvendo esse tipo de receita?

O controle das receitas azuis é bastante rigoroso, visando garantir a segurança dos pacientes e evitar o uso indevido dos medicamentos controlados, de acordo com a Portaria SVS/MS nº344/98

Tanto o médico quanto a farmácia são responsáveis pelo controle e pela fiscalização do uso dessas receitas.

O médico deve fazer uma avaliação criteriosa do paciente antes de prescrever um medicamento controlado, levando em consideração fatores como histórico médico, idade, peso, entre outros. 

Além disso, é fundamental que o médico informe ao paciente sobre os riscos e efeitos colaterais do medicamento prescrito. Bem como sobre a importância de seguir as orientações de uso e de descarte adequado.

Já a farmácia, por sua vez, deve conferir todas as informações da receita, verificar se o medicamento está dentro do prazo de validade, conferir a dosagem e a quantidade de uso, e registrar a dispensação do medicamento em um sistema específico.

Por fim, a farmácia também deve armazenar as receitas azuis em um local seguro, para evitar extravio ou uso indevido.

Qual seu prazo de validade?

A receita azul tem um prazo de validade determinado, que varia de acordo com a legislação de cada país. No Brasil, por exemplo, esse prazo é de 30 dias, a partir da data de emissão.

Esse detalhe é importante para garantir o consumo do medicamento de forma segura e responsável, evitando a automedicação e os riscos associados ao uso indevido de medicamentos controlados.

Diferença entre receita B1 e B2

Médica fazendo anotações. Imagem ilustrativa para texto receita azul.

Além da receita azul, existem outros tipos de prescrição médica para medicamentos controlados, como as receitas B1 e B2. 

A principal diferença entre essas receitas é a classificação dos medicamentos, que varia de acordo com o potencial de causar dependência ou efeitos colaterais graves.

A receita B1 é utilizada para medicamentos considerados de baixo potencial de causar dependência ou efeitos colaterais graves, como alguns tipos de analgésicos e antitérmicos. 

Já a receita B2 é para medicamentos com alto potencial de causar dependência ou efeitos colaterais graves, como os psicotrópicos e os opióides.

Assim como a receita azul, as receitas B1 e B2 também têm prazo de validade e exigem controle rigoroso por parte do médico e da farmácia.

Outros tipos de receitas e seus diferenciais

Além das receitas para medicamentos controlados, existem outros tipos de prescrição médica utilizados pelos profissionais de saúde. Confira abaixo as principais diferenças entre eles:

Receituário branco

O receituário branco é o tipo mais comum de prescrição médica, com uso para medicamentos não controlados. Essa receita não tem prazo de validade e pode ser utilizada mais de uma vez.

No entanto, é importante ressaltar que mesmo os medicamentos não controlados devem ser prescritos com cuidado e responsabilidade. Levando em consideração o histórico médico e as necessidades específicas de cada paciente.

Receituário amarelo

O receituário amarelo serve para a prescrição de medicamentos sujeitos a controle especial. Ou seja, medicamentos que não são considerados controlados, mas que apresentam algum risco à saúde. 

Essa receita tem prazo de validade de 30 dias e pode ser utilizada mais de uma vez.

Entre os medicamentos sujeitos a controle especial, estão os anabolizantes, os ansiolíticos e os sedativos, por exemplo. 

É fundamental que os profissionais façam a prescrição dos medicamentos com cautela, levando em consideração os riscos e os efeitos colaterais associados ao seu uso.

Como preencher uma receita azul

Médico fazendo receitas para pacientes. Imagem ilustrativa para texto receita azul.

Para preencher uma receita azul, é necessário seguir algumas informações e regras específicas. Confira abaixo o passo a passo:

  • Utilize papel timbrado da instituição médica, com informações como nome, endereço e telefone.
  • Inclua o nome completo do paciente, com letra legível.
  • Escreva a dosagem e a forma de administração do medicamento prescrito, com detalhes específicos sobre a quantidade e a frequência de uso.
  • Informe o nome do medicamento, sua apresentação e a quantidade para consumo.
  • Escreva a via de administração do medicamento, ou seja, como o paciente deve usá-lo (oral, intramuscular, intravenoso, etc.).
  • Inclua o nome completo, o CRM e a assinatura do médico responsável pela prescrição.
  • Coloque a data de emissão da receita e o número de ordem (que deve ser único e sequencial).

Lembre-se de que é fundamental seguir todas essas informações e regras para garantir a segurança e a efetividade da prescrição médica.

Testar Soluções para Gestão de Clínicas e Consultórios por 7 dias Grátis

Agora você entende tudo sobre receita azul

Neste conteúdo, explicamos tudo o que você precisa saber sobre a receita azul, desde suas características até as regras de preenchimento e controle. 

Além disso, apresentamos outros tipos de prescrição médica, como o receituário branco e o receituário amarelo, e suas diferenças em relação à receita azul.

É importante ressaltar que todas as prescrições médicas devem ser utilizadas de forma responsável e consciente. Levando em consideração as necessidades específicas de cada paciente e os riscos e benefícios associados ao uso dos medicamentos prescritos.

Por isso, é fundamental que médicos, farmacêuticos e pacientes estejam sempre atentos às informações e regras específicas de cada tipo de prescrição médica, garantindo a segurança e a efetividade do tratamento.

Por fim, é importante lembrar que a tecnologia pode ser uma aliada importante no controle e na gestão das prescrições médicas. Inclusive, permitindo a integração de informações entre diferentes instituições de saúde e facilitando o trabalho dos profissionais envolvidos no processo. 

Nesse sentido, soluções como o sistema de gerenciamento de clínicas e hospitais oferecido pela Conclínica podem ser uma ótima opção para garantir a segurança e a efetividade das prescrições médicas.

Fale conosco para conhecer melhor nossas soluções. Aproveite para conferir mais conteúdos como esse no Blog da Conclínica.

Compartilhe em suas redes sociais